O Estado da Arte Psicoterapêutica: evolução histórica e bases epistemológicas da psicoterapia

Maria Luísa Pereira Soares

Resumo


Reflete-se sobre a evolução histórica da investigação em psicoterapia apresentada em três fases. Os objectivos são sintetizar e fazer uma macro reflexão sobre a investigação feita na área. Adaptou-se a proposta de Moreira, Gonçalves e Beutler (2005): até 1954, a Psicologia se tenta afirmar como ciência, entre 1954 a 1969 caracteriza-se pela preocupação em dar resposta aos problemas mentais emergentes do contexto histórico e, de 1969 até hoje, a valorização da relação entre as variáveis do terapeuta e os resultados terapêuticos, bem como pelo conhecimento dos mecanismos responsáveis pela mudança. Aborda-se o processo teórico evolutivo na Psicologia, desde o paradigma positivista e o paradigma construtivista, até ao construccionismo social. Situando a psicoterapia num determinado marco teórico, mais facilmente se apreende a realidade terapêutica como objecto de investigação. Reflete-se sobre a prática psicoterapêutica dever ser sustentada em teoria, a partir de um processo de investigação, historicamente contextualizado.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n1p462-475

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png