The Perception of Stress and work Overload of Nursing Professionals in Psychiatric

Janice Dombrovski dos Santos, Sandra Yvonne Spiendler Rodriguez

Resumo


 is is a descriptive study of quantitative method and cross-sectional design in order to evaluate the perception of stress in nurses that work with psychiatric patients and identify factors that could lead to labor overhead in these professionals. e study was conducted in a public psychiatric hospital of Porto Alegre with 70 participants, among Nurses and Technicians. e instruments that were used for this research included the stress-Perception Scale 10, Rating Scale Professionals overload in Mental Health Services IMPACT-BR, short form and Socio-Demographic Data Questionnaire and Labor. e results show that the professionals have low perception occupational stress in daily work with the psychiatric patient. It was also determined low level in the three dimensions that make up the overhead: physical health, impact work on the functioning of sta and overhead related to repercussions emotional work. It was discussed about the possibility of labor stressors be present in other dimensions of the employ- ment relationship, such as the organizational context, which may be used for further research. 


Texto completo:

PDF

Referências


Antunes, R., & Alves, G. (2004). As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação e Sociedade, 25(87), 335-351. doi: 10.1590/S0101-73302004000200003

Ayres, K.V. (2001). Stress e fatores de competitividade: uma análise em empresas incubadas da Região Nordeste [tese de doutorado]. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. Disponível em: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/cienciasmedicas/article/view/1115/1090

Bandeira, M., Silva, M.A. (2012). Escala de Satisfação dos Pacientes com os Serviços de Saúde Mental (SATIS-BR): estudo de validação. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 61(3), 124-132. doi:10.1590/S0047-20852012000300002

Bandeira, M.B., Pitta, A.M.F., Mercier, C. (2000). Escalas brasileiras de avaliação da satisfação (SATIS-BR) e da sobrecarga (IMPACTO-BR) da equipe técnica em serviços de saúde mental. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 49(4), 105-115. Disponível em: http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/lapsam/Artigos%20digitalizados/Escalas%20brasileiras%20de%20avaliacao%20da%20satisfacao%20(SATIS-BR)%20e%20da%20sobrecarga%20(IMPACTO-BR)%20da%20equipe%20tecnica%20em%20servicos%20de%20saude%20mental.PDF

Britto, E.S. (2006). Enfermeiros psiquiátricos: estresse, enfrentamento e saúde (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Carlotto, M.S.; Dias, S.R.S.; Batista, J.B.V., & Diehl, L. (2015). O papel mediador da autoeficácia na relação entre a sobrecarga de trabalho e as dimensões de Burnout em professores. Psico-USF, 20(1), 13-23. doi: 10.1590/1413-82712015200102

Carvalho, M.B., Felli V.E.A. (2006). O trabalho de enfermagem psiquiátrica e os problemas de saúde dos trabalhadores. Revista Latino-Americana Enfermagem, 14(1), 61-9. doi:10.1590/S0104-1169200600010000

Conselho Nacional da Saúde (CNS) (2012). Resolução 466/2012: Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Filgueiras, J.C., Hippert, M.I.S (1999). A polêmica em torno do conceito de estresse. Psicologia: Ciência e Profissão, 19(3), 40-51. doi:10.1590/S1414-98931999000300005

Jacques, M.D.G., Borges, L.D.O., Heloani, R., & Cassiolato, R. (2011). Saúde/Doença no trabalho do psicólogo: a Síndrome de Burnout. In A. V. B. Bastos & S. M. G. Gondin (Orgs.), O Trabalho do Psicólogo no Brasil. (pp. 338-358). Porto Alegre: Artmed.

Lazarus, R.S., Folkman, S. (1984). Stress, appraisal and coping. New York: Springer.

Lipp, M.N., Rocha, J.C. (1994). Stress, hipertensão arterial e qualidade de vida: um guia de tratamento para o hipertenso. Campinas: Papirus.

Meneghini, F., Paz, A.P. e Lautert, F. (2011). Fatores ocupacionais associados aos componentes da síndrome de burnout em trabalhadores da enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, 20(2), 225-33. doi:10.1590/S0104-07072011000200002

Ministério da Saúde. (2004). Legislação em Saúde Mental 1990-2004. 5ª. edição ampliada. Brasília: Editora MS. Disponível em: www.saude.gov.br/saudemental

Nunes, M.B.G. (2000). Estresse nos trabalhadores de enfermagem: estudo em uma unidade de psiquiatria (Dissertação de mestrado). Disponível em Lilacs (415044).

Paula, G.S., Silva, J.L.L., Silvino, Z.R., Braga, A.L.S. (2012). Fatores contribuintes para o sofrimento psíquico em âmbito psiquiátrico para a equipe de enfermagem. Revista de Pesquisa: cuidado é fundamental online. (Ed. Supl.), 5-8. doi: 10.9789/2175-5361.2012

Pelisoli, C., Moreira, A.K., e Kristensen, C.H. (2007). Avaliação da satisfação e do impacto da sobrecarga de trabalho em profissionais de saúde mental. Mental, 5(9), 63-78. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v5n9/v5n9a05.pdf

Reis, R.S., Hino, A.A. e Anez, C.R. (2010). Perceived stress scale: reliability and validity study in Brazil. Journal of Health Psychology, 15(1), 107-114. doi:10.1177/1359105309346343

Rodriguez, S.Y.S, Carlotto, M. S.; Ogliari, D; Giordani, K. (no prelo). Estressores Ocupacionais em Psicólogos Clínicos Brasileiros. Psicogente.

Rossi, A.M., Quick, J.C., Perrewé, P.L. (2009). Stress e qualidade de vida no trabalho: o positivo e o negativo. São Paulo : Atlas.

Sá, A.M.S., Martins-Silva, P.O., Funchal, B. (2014). Burnout: o impacto da satisfação no trabalho em profissionais de enfermagem. Psicologia & Sociedade, 26(3), 664-674. doi: 10.1590/S0102-71822014000300015

Santos, A.F.O., Cardoso, C.L. (2010). Profissionais de saúde mental: estresse e estressores ocupacionais stress e estressores ocupacionais em saúde mental. Psicologia em Estudo, 15(2), 245-253. doi:10.1590/S1413-73722010000200003

Smeltzer, S.C., Bare, B.G. (2012). Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica, 2,12(1), 77-85. Rio de Janeiro: Guanabara.

Stacciarini, J.M., Tróccoli, B.T. (2001). O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Revista Latino-americana de Enfermagem, 9(2), 17-25. doi:10.1590/S0104-11692001000200003

Tamayo, M. R. (1997). Relação entre a síndrome de burnout e os valores organizacionais no pessoal de enfermagem de dois hospitais públicos. (Dissertação de Mestrado não publicada), Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília.

Tanure, B., Neto, A.C., Santos, C.M.M., & Patrus, R. (2014). Estresse, Doença do Tempo: um estudo sobre o uso do tempo pelos executivos brasileiros. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 14(1), 65-88. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/epp/v14n1/v14n1a05.pdf




DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v7n2p59-68

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista de Psicologia da IMED

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png