The Pregnancy Experience in Crack Users and Their Influence in the Formation of Maternal-Fetal bond

Kaoara Marini, Evelise Machado Pinto Waschburger

Resumo


The mother-baby bond starts to be established during the gestational period through the pregnant investment with her unborn child. However when drugs are used during the pregnancy the relation may be compromised. The present work aimed to understand, through a qualitative research, the pregnancy experience by the crack users and their bond with the fetus. Three pregnant women, whose uses crack and others drugs, were interviewed in the Hospital Presidente Vargas, in Porto Alegre RS. The interviews were evaluated by content analysis of Bardin and for thematic categories interpretation, the psychoanalytic literature related to pregnancy and bond formations were used. The results point that the pregnant relation with the fetus starts in an ambivalent form, this because the pregnant may lost their baby´s guard; the drug occupies a privileged place in the mother’s psyche, making it difficult for her intended the baby a place in hers emotional universe; without the each other’s support the pregnants cannot become aware of the vulnerable situation that they are exposed to. The support network it is fundamental to intensify the pregnant’s bond and she may able to take care of her ‘s pregnancy.

Texto completo:

PDF

Referências


Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bastos, F. I. & Bertani, N. (2014). Pesquisa nacional sobre o uso de crack: quem são os usuários de crack e/ou similares do Brasil? Quantos são nas capitais brasileiras? In Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ) em parceria com a Secretaria Nacional de Álcool e outras Drogas (SENAD). Disponível em: http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/biblioteca/documentos/Relatorios/329786.pdf

Bowlby, J. (1990). Apego e perda: Apego - A natureza do vínculo. São Paulo: Martins Fontes.

Brazelton, T. B. (2002). Momentos decisivos do desenvolvimento infantil. São Paulo: Martins Fontes.

Bydlowski, M. (2002). O olhar interior da mulher grávida: transparência psíquica e representação do objeto. In Filho, L. C.; Corrêa, M. G.; França, P. Novos olhares sobre a gestação e a criança até os três anos: saúde perinatal, educação e desenvolvimento do bebê. Brasília: L. G. E.

Caron, N. A. (2002). O ambiente intra-uterino e a relação materno-fetal. A relação pais-bebê: da observação à clínica. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Conselho Nacional da Saúde (CNS) (2012). Resolução 466/2012: Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Cranley, M. S. (1981). Development of a tool for the measurement of maternal attachment during pregnancy. Nursing Research, 30(5), 282-284. doi: 10.1097/00006199-198109000-00008

Creswell, W. J. (2010). Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed.

Cunha, I. (1991). Treinamento Perinatal: conhecimentos básicos para a promoção de uma melhor qualidade de vida. Porto Alegre: Sagra DC Luzzatto.

Cunha, G. B. (2001). Prevalência da exposição pré-natal à cocaína em uma amostra de recém-nascidos de um hospital geral universitário. Jornal de Pediatria, 77(5) 369-373. doi.org/10.1590/S0021-75572001000500006

Debray, R. (1988). Bebês/mães em revolta: tratamentos psicanalíticos conjuntos dos desequilíbrios psicossomáticos precoces. Porto Alegre: Artes Médicas.

Domanico, A. (2006). Craqueiros e cracados: bem vindo ao mundo dos nóias! Estudo sobre a implementação de estratégias de redução de danos para usuários de crack nos cinco projetos-piloto do Brasil (Tese de Doutorado não publicada). Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA.

Ferrari, A. G.; Piccinini, C. A. & Lopes, R. S. (2006). O narcisismo no contexto da maternidade: algumas evidências empíricas. Psico, 37(3) 271-278. Disponível em:

http://core.ac.uk/download/pdf/25531784.pdf

Freud, S. (1914). Sobre o narcisismo: uma introdução. In: Freud, S. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 14, p.83-119) Rio de Janeiro: Imago, 1990.

Kernberg, O. (1976). Object Relations Theory and Clinical Psychoanalysis. New York: Jason Aronson.

Maldonado, M. T. P. (1976). Psicologia da gravidez. Petrópolis: Vozes.

McDougall, J. (2004). L'economie psychique de l'addiction. Revue Française de Psychanalyse, 68(2), 511-527. doi: 10.3917/rfp.682.0511

Piontelli, A. (1995). De feto a criança: Um estudo observacional e psicanalítico. Rio de Janeiro: Imago.

Raphael-Leff, J. (1997). Gravidez: a história interior. Porto Alegre: Artes Médicas.

Rapoport, A. & Piccinini, C. A. (2002). A escolha do cuidado alternativo para o bebê e a criança pequena: uma situação sempre difícil. Estudos de Psicologia, 9(3), 497-503. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v9n3/a12v09n3.pdf

Soifer, R. (1992). Psicologia da gravidez, parto e puerpério. Porto Alegre: Artes Médicas.

Soulé, M. (1987). O filho da cabeça, o filho imaginário. In Brazelton, T.B.; Cramer, B.;

Kreisler L.; Schappi R. & Soulé, M. (Eds). A dinâmica do bebê. (p. 132-169). Porto Alegre: Artes Médicas.

Stern, D. A. (1997). Constelação da maternidade. Porto Alegre: Artes Médicas

Szejer, M. & Stewart, R. (2002). Nove meses na vida da mulher: uma aproximação psicanalítica da gravidez ao nascimento. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Wilhem, J. (1997). O que é psicologia pré-natal. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Winnicott, D. W. (1956). A preocupação materna primária. In Winnicott, D. W. Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. (p. 401-405) Rio de Janeiro: Imago, 2002.

Winnicott, D. W. (2001). O relacionamento inicial entre uma mãe e seu bebê. In Winnicott, D. W. A família e o desenvolvimento individual. São Paulo, Martins Fontes.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v7n2p37-47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png