Esquemas Iniciais Desadaptativos em Mulheres com Amor Patológico

Marina Kayser Boscardin, Christian Haag Kristensen

Resumo


O Amor Patológico (AP) é um transtorno no qual a mulher é dependente do amor do parceiro e faz de tudo para não perdê-lo, prestando cuidados e atenção de maneira repetitiva, impulsiva e sem controle com o objetivo de evitar o abandono. O AP se desenvolve desde a infância, pois geralmente essas mulheres foram criadas em lares desajustados onde aprenderam que para merecerem amor e atenção deviam lutar por isso e fazer de tudo para conquistá-los, inclusive deixar de lado seus próprios desejos e interesses. Esses padrões aprendidos na infância podem ser considerados, com base na teoria de Jeffrey Young, Esquemas Iniciais Desadaptativos (EIDs), que são padrões autoderrotistas aprendidos na infância e repetidos ao longo da vida.  O presente trabalho sugere a existência de tal relação através da revisão literária acerca dos dois temas, relacionando casos clínicos de pacientes com AP com a teoria dos esquemas de Jeffrey Young.  


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n1p517-526

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png