Fatores Correlacionados à Gestação de Risco e Parto Prematuro em Adolescentes

Denice Bortolin Baseggio

Resumo


O presente artigo relata pesquisa sobre os fatores relacionados à gestação de risco e parto prematuro em adolescentes. Foram analisados os dados trazidos por oito gestantes de alto-risco, obtidos através de entrevista semidirigida, Inventário de Depressão de Beck (BDI) e Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). Dentre os resultados, o BDI revelou que 62,5% das pacientes encontravam-se com sintomas mínimos de depressão e 37,5% leve. Os achados apontam uma prevalência de 100% de sintomas de depressão em graus mínimo e leve. No Inventário de Stress, 12,5% da amostra encontra-se na fase de Alerta; 62,5% de Resistência; 25% de Quase Exaustão. As evidências apontam para a prevalência de stress na fase de Resistência, que quando não tratado pode levar a um estado de Quase Exaustão, etapa mais avançada do stress que pode causar maior debilidade orgânica e psíquica na gestante. Concluí-se que o stress durante a gestação de alto risco é um dos fatores que incidem no parto prematuro, uma vez que a angústia presente nesse período é responsável por alterações psicossomáticas que afetam a saúde do indivíduo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n1p506-516

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png