The psychologist in CRAS: characteristics and challenges of professional practice

Felipe Biasus, Maiara Franceschi

Resumo


This is a field study and descriptive, whose aim was to analyze the characteristics and challenges of the role of the psychologist in the Reference Centres for Social Assistance (CRAS) in the municipalities of Amau-RS region. We sought to evaluate the profiles of professionals the features of the work of psychologists in CRAS, the challenges presented and the theoretical approaches to the work of these professionals. Attended by 16 psychologists who responded to an online questionnaire through Google Docs - a virtual computing platform, free, for creating, storing and questionnaires. Characterising data were analyzed using descriptive statistics. Already textual data were subjected to content analysis following the model proposed by Bardin. The results indicate that the work follows the guidelines of the national social welfare policy, however highlight the need to define the role of psychologists in social welfare policy and the importance of continuing education. Research also shows that education of many of the participants did not provide the necessary support for a practice designed to support, leading professionals who perform their activities in CRAS seek training that enable the necessary basis. Among the challenges encountered highlights the difficulty of interpersonal relationships between psychologists and social workers, defining the roles of different professionals working in CRAS, which is seen by participants as an obstacle in the development of the activities of these professionals and other difficulties related to the lack commitment of members towards the service.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, L.F.de & Romagnoli, R.C. (2010). O psicólogo no CRAS: uma Cartografia dos Territórios Subjetivos. Psicologia Ciência e Profissão, 30 (3), p. 604-619.

Bardin. L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Editora Edições 70.

Brasil (1988). Constituição Federal, de 05.10.88. Atualizada com as Emendas Constitucionais Promulgadas.

Brasil (1993). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Lei Orgânica de Assistência Social. Lei n. 8.742, de 7 de dezembro de 1993, publicada no Diário Oficial da União, Brasília, 8 dez. 1993.

Brasil (2009). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações técnicas para o Centro de Referência da Assistência Social – CRAS. Brasília, DF.

Brasil (2004). Política Nacional de Assistência Social. Brasília, 2004.

Brasil (2006). Norma Operacional Básica do Suas (NOB-RH/Suas). Brasília.

Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP) (2007) Referência técnica para atuação do(a) psicólogo(a) no CRAS/SUAS. Conselho Federal de Psicologia, Brasília-DF.

Cruz, J.M. de. (2009). Práticas Psicológicas em Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Psicologia em Foco. Aracajú. 2(1), p.11-27.

Fontanele, A.F.G. (2008). Psicologia e Sistema Único de Assistência Social-SUAS. Estudo sobre a inserção dos psicólogos nos CRAS. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Psicologia - Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

Macedo, J.P. Sousa, A.P. de; Carvalho, D.M. de; Sousa, F.M.S. de & Dimenstein, M. (2011). O Psicólogo Brasileiro no SUAS: quantos somos e onde estamos? Psicologia em Estudo. Maringa, 16(3), p. 479-489.

Mota, S. T. & Goto, T.A. (2009). Plantão psicológico no CRAS em Poços de Caldas. Fractual: Revista de Psicologia, 21(3), p. 521-530.

Senra, C. M. G. & Guzzo, R. S. L. (2012). Assistência Social e Psicologia: Sobre as Tensões e Conflitos do Psicólogo no Cotidiano do Serviço Público. Psicologia e Sociedade, Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 293-299.

Senra, C.M.G. (2009). Psicólogos Sociais em uma instituição pública de assistência social: analisando estratégias de enfrentamento. Tese de Doutorado, Pós-Graduação em Psicologia - PUC-Campinas, Campinas-SP.

Silva, J. V. & Corgozinho, J.P. (2011). Atuação do Psicólogo, SUAS/CRAS e Psicologia Social Comunitária: Possíveis Articulações. Psicologia e Sociedade. v.23, p. 12-21.

Sobral, M. F. C & Lima, M. E. O. (2013). Representando as práticas e praticando as representações nos CRAS de Sergipe. Psicologia Ciência e Profissão. v. 33, n. 3. p. 630-645.

Ximenes, V. M.; Paula, L.R.C. de & Barros, J.P.P. (2009). Psicologia Comunitária e Política de Assistência Social: Diálogos sobre atuações em comunidades. Psicologia Ciência e Profissão. 29(4), p. 686-699.

Yamamoto, O.H. & Oliveira, I.F.de. (2010). Política Social e Psicologia: uma trajetória de 25 anos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 23 (no especial), p. 9-24, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v7n1p23-34

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png