A transferência na relação médico/paciente versus analista/analisando

Jossiele Fighera, Camila Souza Saccol

Resumo


A questão da transferência, tão importante para a psicanálise, está presente tanto na relação entre médico e paciente como na relação entre psicanalista e analisando. O presente trabalho constitui-se de uma revisão da bibliografia, tendo como principal objetivo fazer uma relação, levando-se em consideração principalmente os aspectos transferências, entre a prática médica e do analista. A partir das leituras baseadas em um referencial psicanalítico freudiano e lacaniano, buscou-se fazer um apanhado geral sobre esse tema e algumas considerações sobre a transferência nos diferentes níveis de atuação profissional. No decorrer desse trabalho, pode-se perceber que existe uma diferença fundamental entre a posição do médico e do psicanalista/psicoterapeuta com relação aos seus pacientes, pois a situação médica promove o tratamento do corpo físico, objetivando a sua cura; o analista, por sua vez, trata desse corpo e desse sintoma através da fala, intervindo na história do paciente e provocando efeitos terapêuticos por meio desse atravessamento. A transferência só acontece na relação com o outro, e este outro se faz presente através da subjetividade, pela presença do inconsciente, na medida em que o outro influencia na construção da subjetividade.


Palavras-chave


Transferência; Psicanálise; Medicina

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v1n1p4-9

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png