A Construção da Psicopatia no Contexto da Cultura do Medo

Luciana Reis Moreira, Tatiana Fulton de Figueiredo, Anna Paula Uziel, Pedro Paulo Gastalho de Bicalho

Resumo


 O artigo constitui o resultado de uma pesquisa bibliográfica e da discussão de conceitos e práticas acerca da questão da psicopatia. O objetivo é analisar as condições de possibilidade de emergência das características que a definem e seu uso no sistema penitenciário no Brasil, tendo como pano de fundo a cultura do medo e o contexto econômico neoliberal. Como resultado desta dinâmica social, surgem novas formas de exclusão e instrumentos de ratificação, como o PCL-R que enumera critérios taxativos para definir objetivamente um psicopata, tornando-o um ser diferenciado. Coloca-se em análise o trabalho do psicólogo no sistema penitenciário, hegemonicamente restrito à elaboração de laudos, atingindo o objetivo de excluir uma parcela da população indesejável com um diagnóstico que perdurará por sua vida, favorecendo a perpetuação de processos de criminalização.


Palavras-chave


criminologia; psicopatia; cultura do medo; relações de saber-poder; produção de subjetividade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v2n1p297-306

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

INDEXADORES

latindex.jpg DOAJ.jpg Periódicos CAPES

Diadorim.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
circ.png
    SIS