Consultoria em Psicologia Escolar: Relato de experiência

Márcia Elisa Jager, Naiana Dapieve Patias

Resumo


O fortalecimento de ações em Psicologia Escolar, pela via da consultoria, possui relação com o desenvolvimento histórico da especialidade no país, uma vez que não conquistou sua colocação legalizada nas escolas públicas, permanecendo sua atuação restrita a escolas privadas. Este artigo descreve as ações extensionistas iniciais desenvolvidas no projeto de extensão “Consultoria em Psicologia Escolar: proposta interventiva em queixas escolares”, vinculadas a uma Universidade do interior do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. As ações contemplaram o mapeamento de queixas escolares da rede municipal de ensino da cidade e o desenvolvimento de ações interventivas planejadas a partir das demandas identificadas, tais como grupos com alunos e com professores. Ainda, pela via de relatório do mapeamento das queixas escolares, buscou-se propor intervenções futuras junto à equipe da Secretaria Municipal de Educação. As ações extensionistas proporcionaram um novo olhar às experiências escolares na medida em que as queixas puderam ser compreendidas para além do atendimento individual e intervenções familiares já realizadas pela equipe de Psicologia Escolar da cidade. A partir das práticas desenvolvidas, as ações do projeto de extensão passaram a compor uma alternativa de encaminhamentos junto à equipe de Psicologia Escolar da Secretaria Municipal de Educação.


Palavras-chave


Psicologia educacional; Escola; Professores escolares; Estudantes

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Andrada, E. (2005). Novos paradigmas na prática do psicólogo escolar. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18(2), 196-199. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/prc/v18n2/27470.pdf

Barbosa, D. R., & De Souza, M. P. R. (2012). Psicologia Educacional ou Escolar? Eis a questão. Psicologia Escolar e Educacional, 16(1), 163-173. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-85572012000100018

Barbosa, R. M., & Marinho-Araujo, C. M. (2010). Psicologia escolar no Brasil: Considerações e reflexões históricas. Estudos de Psicologia, 27(3), 393-402. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/pee/v19n3/2175-3539-pee-19-03-00515.pdf

Brasil (2000). Projeto de Lei (PL) 3.688 de 2000. Dispõe sobre a introdução de assistente social no quadro de profissionais de educação em cada escola. Retrieved from http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=20050

Borges-Andrade, J., Bastos, A., Andery, M., Guzzo, R., & Trindade, Z. (2015). Psicologia -brasileira: Uma análise de seu desenvolvimento. Universitas Psychologica, 14(3), 865-880. doi: https://doi.org/10.11144/Javeriana.upsy14-3.pbua

Carlotto, M. S. (2011). Síndrome de Burnout em professores: Prevalência e fatores associados. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27(4), 403-410. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-37722011000400003

Conselho Federal de Psicologia. (2007). Resolução nº 013 de 2007. Institui a Consolidação das Resoluções relativas ao Título Profissional de Especialista em Psicologia e dispõe sobre normas e procedimentos para seu registro. Retrieved from https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2008/08/Resolucao_CFP_nx_013-2007.pdf

De Souza, M. P., Gomes, A. M., Checchia, A. K., Lara, J. S., & Roman, M. D. (2016). Psicólogos em secretaria de educação paulistas: Concepções e práticas. Psicologia Escolar e Educacional, 20(3), 601-610. doi: https://doi.org/10.1590/2175-3539201502031058

Dias, A. C. G., Patias, N. D., & Abaid, J. L. W. (2014). Psicologia escolar e possibilidades na atuação do psicólogo: Algumas reflexões. Psicologia Escolar e Educacional, 18(1), 105-111. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/pee/v18n1/v18n1a11.pdf

Dos Santos, D. C., Menezes, A. B., Borba, A., Ramos, C. C., Costa, T. D. (2017). Mapeamento de competências do psicólogo escolar. Psicologia Escolar e Educacional, 21(2), 225-234. doi: https://doi.org/10.1590/2175-3539201702121109

Guzzo, R. S. L., Mezzalira, A. S. C., Moreira, A. P. G., Tizzei, R. P., & Silva Neto, W. M. (2010). Psicologia e educação no Brasil: Uma visão da história e possibilidades nessa relação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26, 131-141. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-37722010000500012

Guzzo, R. S. L., Moreira, A. P. G., & Mezzalira, A. S. C. (2011). Avaliação psicossocial: Desafios para a prática profissional nos contextos educativos. Avaliação Psicológica, 10(2), 163-171. Retrieved from http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712011000200007

Guzzo, R. S. L., Moreira, A. P. G., & Mezzalira, A. S. C. (2016). Desafios para o cotidiano do psicólogo dentro da escola: a questão do método. In M. V. Dazzani & V. L. T. de Souza (Orgs.), Psicologia escolar crítica: Teoria e prática nos contextos educacionais (pp.22-35). Campinas: Alínea.

Labadessa, V. M., & Lima, V. A. A. (2017). Queixa escolar: Repercussões na escola a partir do atendimento psicológico. Psicologia Escolar e Educacional, 21(3), 369-377. doi: https://doi.org/10.1590/2175-3539201702131116

Lima, A. O. M. N. (2005). Breve histórico da psicologia escolar no Brasil. Psicologia Argumento, 23(42), 17-23. Retrieved from http://132.248.9.34/hevila/Psicologiaargumento/2005/vol23/no42/2.pdf

Marinho-Araujo, C. M. (2014). Intervenção institucional: Ampliação crítica e política da atuação em Psicologia Escolar. In R. S. L. Guzzo (Org), Psicologia escolar: Desafios e bastidores da escola pública (pp.153-175). Campinas: Alínea.

Marinho-Araújo, C. M. (2016). Perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento humano: Fundamentos para atuação em psicologia escolar. In M. V. Dazzani & V. L. T. de Souza (Orgs.), Psicologia escolar crítica: Teoria e prática nos contextos educacionais (pp. 37-55). Campinas: Alínea.

Marinho-Araújo, C. M., & Almeida, S. F. C. (2014). Psicologia escolar: construção e consolidação da identidade profissional. (3ª Ed.). Campinas: Alínea.

Nery, M. da P., & Conceição, M.I.G. (Orgs.). (2012). Intervenções grupais: o psicodrama e seus métodos. São Paulo: Ágora.

Neves, M.M.B.J. (2010). Procedimentos de avaliação das queixas escolares e níveis de intervenção – PAIQUE (pp. 2919-2930). In: VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia.Actas. Braga / Portugal.

Nóvoa, A. (2007). Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo. Palestra proferida. São Paulo: Sinpro. Retrieved from http://www.sinprosp.org.br/arquivos/novoa/livreto_novoa.pdf

Patias, N. D., & Abaid, J. L. W. (2014). O que pode fazer um estagiário de psicologia na escola? Problematizando prática e formação profissional. Educação, 39(1), 187-200. doi: https://doi.org/10.5902/198464444817

Patto, M. H. S. (1993). Introdução à psicologia escolar. São Paulo: Queiroz.

Pereira-Silva, N. L., Andrade, J. F.C., Crolman, S. R., & Mejía, C. F. (2017). O papel do psicólogo escolar: Concepções de professores e gestores. Psicologia Escolar e Educacional, 21(3), 407-415. doi: https://doi.org/10.1590/2175-35392017021311165

Silva, M. B. (2009a). Consultoria em psicologia escolar/educacional - princípios teóricos e técnicos e contribuições de práticas sistematizadas. Curitiba: Juruá.

Silva, M. B. (2009b). Consultoria em Psicologia escolar/educacional: reflexões sobre a teoria, a prática profissional e o estágio supervisionado. In. M. B. Silva (Org.). Consultoria em Psicologia Escolar/Educacional - Princípios Teóricos e Técnicos e Contribuições de Práticas Sistematizadas (pp. 31-74). Curitiba: Juruá.

Tessaro, N. S. (2004). Professor: da formação inicial à competência para ensinar. In G. P., Witter (org.), Psicologia e Educação: Professor, ensino e aprendizagem (pp. 77-105). Campinas: Alínea.




DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2019.v11i1.3016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Márcia Elisa Jager, Naiana Dapieve Patias, Camilla Baldicera Biazus

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

  Periódicos CAPES
DOAJ.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
latindex.jpg
  Diadorim.jpg  SIS
  erihplus.png  
circ.png