Psicologia Escolar no Ensino Médio Público: O rap como Mediação

Vera Lucia Trevisan de Souza, Maura Assad Pimenta Neves

Resumo


Este artigo apresenta parte de uma pesquisa em que se investiga o potencial da música, neste recorte o rap, na mobilização de processos imaginativos e criativos de estudantes do Ensino Médio de uma escola pública. Abordando uma visão de adolescência como produção histórica e cultural, visa por em relevo a importância em dar voz aos adolescentes quando se trata de pensar/agir sobre suas condições de vida atuais e futuras. De modo subjacente o artigo permite refletir sobre a atuação do psicólogo na escola, quando ancorado em uma perspectiva crítica que focaliza o coletivo como potência para a transformação da realidade. A análise realizada se sustenta nos pressupostos teórico-metodológicos da Psicologia Histórico-Cultural, priorizando os conceitos de imaginação e pensamento por conceito, funções psicológicas que assumem prevalência na adolescência. Elegeu-se como objeto da presente análise dois encontros envolvendo 40 estudantes em atividades de apreciação musical, reflexão sobre a biografia de dois rappers e sobre suas músicas e produção de músicas. Os resultados demonstram que a experiência com a música, sobretudo o rap, parece potente na promoção de significados e sentidos sobre a vida dos adolescentes, podendo promover novas relações e percepções sobre seus modos atuais de vida e suas possibilidades futuras.


Palavras-chave


Psicologia escolar; Rap; Adolescência; Imaginação; Ensino público

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Barbosa, E. T. (2017). Os “Donos da Imaginação”: A contação e produção de histórias promovendo o interesse e a participação de adolescentes em atividades escolares. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Bardin, L. (2004). Análise de Conteúdo. [trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro] (3a ed.) Lisboa, Portugal: Edições 70. (Obra original publicada em 1977).

Dugnani, L. A. C. (2016). Psicologia escolar e as práticas de gestão na escola: um estudo sobre os processos de mudança mediados pela vontade. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Fernandes, A. C. F.; Martins, R.; Oliveira, R. P. de. (2016). Rap nacional: a juventude negra e a experiência poético-musical em sala de aula. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, 64, pp. 183-200. Obtido em 02 de janeiro de 2019. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rieb/n64/0020-3874-rieb-64-0183.pdf. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i64p183-200

Libâneo, J. C. (2006). Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. (21a ed.). São Paulo: Loyola.

Loureiro, B.R.C. (2016). Arte, cultura e política na história do rap nacional. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros.63, pp. 235-241. Obtido em 02 de janeiro de 2019. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rieb/n63/0020-3874-rieb-63-0235.pdf. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i631p235-241

Maheirie, K. (2003). Processo de criação no fazer musical: uma objetivação da subjetividade, a partir dos trabalhos de Sartre e Vigotski. Psicologia em Estudo, 8(2), pp. 147-153. Obtido em 12 de abril de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pe/v8n2/v8n2a15.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-7372203000200016

March, S., & Fleer, M. (2017). The role of imagination and anticipation in children’s emotional development. In M. Fleer, F. González Rey, e N. Veresov (Eds.), Perezhivanie, emotions and subjectivity: Perspectives in Cultural-Historical Research (pp.105-128). Singapore: Springer

Neves, M. A. P. (2015). Psicologia escolar e Música: mobilizando afetos e promovendo vivências na classe de recuperação. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Neves, M. A. P., & Souza, V. L. T. (2018). Música e psicologia na escola: mobilizando afetos na classe de recuperação. Rev. Psicologia Escolar e Educacional, 22(1), 17-25. Obtido em 12 de abril de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pee/v22n1/2175-3539-pee-22-01-17.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/2175-35392018019065

Ozella, S., & Aguiar, W. M. J. (2008). Desmistificando a concepção de adolescência. Cadernos de Pesquisa, 38 (133), 97-125. Obtido em 12 de abril de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cp/v38n133/a05v38n133.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S0100-15742008000100005

Petroni, A. P. (2013). Psicologia escolar e arte: Possibilidades e limites da atuação do psicólogo na promoção da ampliação da consciência de gestores. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Pino, A. (2010). Estética e semiótica: sensibilidade e razão na Grécia Antiga. In: A. Pino; L. M. Schlindvein; A. A. Neitzel (org.). Cultura, escola e educação criadora. (pp. 11-30). Curitiba: CRV.

Sawaia, B. B. (2009). Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre

liberdade e transformação social. Psicologia e Sociedade, 21(3), 364-372. Obtido em 15 de maio de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/psoc/v21n3/a10v21n3.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S0102-71822009000300010

Souza, V. L. T. (2013). Anotações de aula. Texto não publicado. Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Souza, V. L. T. (2016a). Contribuições da Psicologia à compreensão do desenvolvimento e da aprendizagem. In: Souza, V. L. T.; Petroni, A. P. e Andrada, P. C. (orgs.). A Psicologia da Arte e a Promoção do Desenvolvimento e da Aprendizagem – Intervenções em contextos educativos (pp. 11-28). São Paulo: Loyola.

Souza, V. L. T. (2016b). Arte, imaginação e desenvolvimento humano: aportes à atuação do psicólogo na escola. In: Dazzani, M. V. e Souza, V. L. T. (orgs.) Psicologia Escolar Crítica: teoria e prática nos contextos educacionais (pp. 77-94). Campinas: Alínea.

Souza, V. L. T., Dugnani, L. A. C., Pott, E. T. B., Jesus, J. S., & Neves, M. A. P. (2016). As mediações estéticas como estratégia da atuação do psicólogo escolar em classes de recuperação. In: Dazzani, M. V. & Souza, V. L. T. (orgs.) Psicologia Escolar Crítica: teoria e prática nos contextos educacionais (pp. 205-219). Campinas: Alínea.

Souza, V. L. T, Dugnani, L. A. C., & Reis, E. C. G. (2018). Psicologia da Arte: fundamentos e práticas para uma ação transformadora. Estudos de Psicologia (Campinas), 35(4), 333-346. Obtido em 19 de outubro de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v35n4/1982-0275-estpsi-35-04-0375.pdf doi: https://doi.org/10.1590/1982-02752018000400005

Tateo, L. (2016). What imagination can teach us about the higher mental functions. In: Valsiner, J; Marsico, G.; Chaudhary, N.; Sato, T.; e Dazzani, V. (orgs). Psychology as the Science of human being - The Yokohama Manifesto (pp. 149-164). Switzerland: Springer.

Tateo, L. (2018). Imagining, knowing and understanding. Aula inaugural. Universidade Feral da Bahia, Salvador, Brasil.

Tunes, E., & Pederiva, P. L. M. (2013). Da atividade musical e sua expressão psicológica. Curitiba: Prismas.

Vigotski, L. S. (1995). Obras escogidas III. [trad. Lydia Kuper]. Madrid: Visor. (Obra original publicada em 1931).

Vigotski, L. S. (2001). Psicologia da arte. [trad. Paulo Bezerra]. São Paulo: Martins Fontes. (Obra original publicada em 1925).

Vigotski, L. S. (2003). Pensamento e linguagem. (2a. ed.). [trad. Jefferson Luiz Camargo; rev. téc. José Cipolla Neto]. São Paulo: Martin Fontes. (Obra original publicada em 1934).

Vigotski, L. S. (2010). Quarta aula: a questão do meio na pedologia. [trad. Márcia Pileggi Vinha]. Psicologia USP, São Paulo, 21(4), pp: 681-701. (Obra original publicada em 1931).

Vigotski, L. S. (2012). Obras escogidas IV – Paidologia del adolescente. Problemas de la psicologia infantil. Madrid: A. Machado Libros. (Obra original publicada em 1934).

Vigotski, L. S. (2012). La imaginación y el arte en la infância. (11a ed). Madrid: Ediciones Akal (Obra original publicada em 1930).

Wazlawick, P., Camargo, D., e Maheirie, K. (2007). Significados e sentidos da música: uma breve “composição” a partir da psicologia histórico-cultural. Psicologia em Estudo, 12(1), 105-113. Obtido em 26 de abril de 2018. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pe/v12n1/v12n1a12.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-73722007000100013




DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2019.v11i1.2986

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Vera Lucia Trevisan de Souza, Maura Assad Pimenta Neves

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

  Periódicos CAPES
DOAJ.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
latindex.jpg
  Diadorim.jpg  SIS
  erihplus.png  
circ.png