Trabalhadores do SAMU: sujeitos que atuam entre o prazer e o sofrimento

Cleusa Arnemann, Lilian Ester Winter

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre a psicodinâmica do trabalho com os profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da região noroeste do RS. Objetivou compreender como o prazer e o reconhecimento se articulam no processo de ressignificação do sofrimento no trabalho, favorecendo a saúde e a emancipação do trabalhador. A coleta de dados foi realizada com 10 sujeitos, baseada na metodologia da psicodinâmica do trabalho criada por Dejours e na escuta psicanalítica. Foi utilizada a análise de conteúdo de Bardin (1979), no qual foram elencadas seis categorias semânticas: a dinâmica do reconhecimento, posição de alerta permanente, o uso da inteligência prática, cooperação, estratégias de defesas coletivas, ressignificação do sofrimento e emancipação dos trabalhadores. Os resultados do estudo apontaram que o processo de reconhecimento é fundamental para ressignificar o sofrimento e transformá-lo em prazer, revelando que outros fatores também interferem nesse processo como a abertura dos espaços de fala, o uso da inteligência prática e o trabalho coletivo baseado na confiança e cooperação. 

Palavras-chave: sofrimento; prazer; emancipação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v4n1p681-690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png