A Síndrome de Burnout em professores de Educação Física

Fhairus Julielen Valério, Cloves Amorim, Ana Maria Moser

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi  comparar a incidência da Síndrome de  Burnout entre professores de Educação Física e professores de outras disciplinas. Participaram 71 professores. Os instrumentos utilizados foram: o MBI – Maslach Burnout Inventory e o ISSL – Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp, aplicados individualmente. Os dados encontrados apontam que 29,3% dos professores de outras disciplinas apresentam a Síndrome de Burnout contra apenas 10% dos professores de Educação Física. Em ambos os grupos estudados a faixa etária mais afetada foi de 31 a 40 anos de idade, indivíduos do sexo feminino e casados (66,7%). Entre professores de Educação Física afetados pela doença, a faixa de experiência profissional ficou entre 5 a 10 anos de profissão e entre professores de outras disciplinas a incidência foi na faixa de 10 a 20 anos de profissão. Os professores de Educação Física apresentam menor incidência da Síndrome de  Burnout do que professores de outras disciplinas, tal diferença provavelmente possa estar relacionada aos diferentes ambientes de trabalho e a maior realização de atividade física.


Palavras-chave


saúde do trabalhador; professor; saúde do professor; síndrome de Burnout; estresse

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v1n1p127-136

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

INDEXADORES

latindex.jpg DOAJ.jpg Periódicos CAPES

Diadorim.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
circ.png
    SIS