Estratégias de prevenção e pósvenção do suicídio: Estudo com profissionais de um Centro de Atenção Psicossocial

Sonia de Alcântara Müller, Gerson Silveira Pereira, Regina Basso Zanon

Resumo


O suicídio é considerado um problema de saúde pública que vêm sendo mundialmente debatido.  No Brasil, a região Sul tem se destacado com altos índices de suicídio, alertando profissionais e pesquisadores sobre a temática. O estudo objetivou investigar o desenvolvimento de estratégias de prevenção e pósvenção ao suicídio em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Especificamente, buscou-se verificar ações realizadas referentes à assistência aos sujeitos que tenham ideado, tentado ou cometido suicídio, e aos seus familiares, além de investigar sobre as percepções dos profissionais do CAPS sobre o suicídio. Realizou-se um estudo de caso exploratório. Foram entrevistados cinco profissionais do CAPS, e os dados foram analisados com base na Análise de Conteúdo qualitativa. Os profissionais falaram sobre estratégias para manejo do suicídio, citando a importância da atuação em rede e em equipe, do atendimento humanizado e da atenção à família. Também reportaram sentimentos que indicam sofrimento e empatia. Elaborou-se um modelo de planejamento técnico ilustrando estratégias para a prevenção e pósvenção ao suicídio. Por fim, torna-se evidente que as políticas públicas devem dispor de estratégias intervencionais em relação à prevenção e pósvenção ao suicídio, valorizando e qualificando profissionais da saúde.


Texto completo:

PDF HTML

Referências


Bardin, L. (1977). A análise do conteúdo. São Paulo: Martins Fontes.

Bauman, Z. (2001). Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar.

Bertolote, J. M., Mello-Santos, M. & Botega, N. J. (2010). Detecção do risco de suicídio nos serviços de emergência psiquiátrica Revista Brasileira de Psiquiatria, 32(Supl II), 88-89.

Botega, N. J. (2015). Crise suicida: avaliação e manejo. Porto Alegre: Artmed.

Cassorla, R. M. S. (1985). O que é o suicídio. São Paulo: Ed. Brasiliense.

Cruz, C. W. (2014). As múltiplas mortes de si: suicídios de idosos no sul do Brasil. Tese de Doutorado Não-Publicada. Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo/RS.

Durkheim, E. (1982). O suicídio. Rio de Janeiro: Zahar.

Dutra, E. (2010). Suicídio no Brasil: estratégias de prevenção e intervenções. In Hutz, C. S. (Org.). Avanços em Psicologia Comunitária e intervenções psicossociais (pp. 223-264). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Gil, A. C. (2008) Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Goulart, B. N. G & Chiari, B. M. (2010). Humanização das práticas do profissional de saúde - contribuições para reflexão. Ciência e Saúde Coletiva 15(1), Retirado em 20 de junho de 2016 do http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232010000100031.

Prieto, D. & Tavares, M. (2005). Fatores de risco para suicídio e tentativa de suicídio: incidência, eventos estressores e transtornos mentais. J Bras Psiquiatr., 54(2), 146-154.

Ministério da Saúde. (2013). Mais sobre os serviços disponíveis em Saúde Mental. Retirado em 30 de novembro de 2015 do http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/acoes-e-programas/conte-com-a-gente/leia-mais-conte-com-a-agente.

Rigo, C. S., (2013). Suicídio: uma questão de saúde pública e um desafio para a psicologia clínica. In Conselho Federal de Psicologia, Suicídio e os desafios para a psicologia p. 30. CFP: Brasília.

Rio Grande do Sul. Secretaria Estadual de Saúde. Manual de Prevenção do Suicídio (DVE/NVDANT). Catalogação elaborada no Centro de Informação e Documentação do CEVS/RS. Retirado em 25 de junho de 2016 do http://www.fepam.rs.gov.br

Santos, A. F. O. & Cardoso, C. L. (2010). Profissionais de saúde mental: manifestação de stress e burnout. Estudos de Psicologia. 27(1), 68-69. Retirado em 30 de junho de 2016 do http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n1/v27n1a08.pdf.

Schlösser, A., Rosa, G. F. C. & More, C. L. O. O. (2014). Revisão: comportamento suicida ao longo do ciclo vital. Temas em Psicologia,1(22), 134-135.

World Health Organization (2014). Preventing suicide: a global imperative. Geneva: WHO. Retirado em 12 de setembro de 2015 do http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/131056/1/9789241564779_eng.pdf.




DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2017.v9i2.1686

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista de Psicologia da IMED

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

  Periódicos CAPES
DOAJ.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
latindex.jpg
  Diadorim.jpg  SIS
  erihplus.png  
circ.png