Suicídio: Crime, Pecado, Estatística, Punição

Emanuelle Silva Araújo, Pedro Paulo Gastalho Bicalho

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar algumas dimensões sobre o suicídio: fragmentos históricos, marcos legais, estatísticas e produção de perfis. Para tanto, utilizou-se de dados do Ministério da Saúde, no período entre 1996 e 2010, e pesquisa bibliográfica com vistas a traçar um panorama sobre o tema. Aborda, ainda, as formas com as quais a humanidade percebe e atua frente a esse fenômeno ao longo da história: de ato de liberdade na Grécia Antiga a crime e pecado com o nascimento do cristianismo, até se converter em problema de saúde pública atrelado a transtornos mentais na contemporaneidade. Como resultado, percebeu-se que, de modo geral, na literatura abordada os autores não buscam problematizar o suicídio, apresentando-o unicamente como a morte biológica do ser humano e, por conseguinte, um problema de saúde pública a ser identificado e prevenido.

Palavras-Chave: suicídio; estatística; saúde pública.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v4n2p723-734

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png