Subjetividade e Políticas Públicas: Inserção profissional de pessoas com deficiência no Brasil

Cristiane Mega Martins, Pedro Paulo Gastalho de Bicalho

Resumo


Este artigo é o resultado de uma pesquisa bibliográfica sobre as atuais políticas públicas empregadas em prol da inclusão profissional de pessoas com deficiência no Brasil. Discute-se a motivação, existência e aplicabilidade de ações afirmativas, tomando como analisador as leis de reserva de vagas em empresas privadas. Objetivamos defender não só a necessidade dessas ações, como também a importância de políticas públicas de longo prazo para efetivamente integrar a pessoa com deficiência na dinâmica social, visto o caráter subjetivo que atravessa o assunto. A lei e sua fiscalização não são suficientes para garantir o acesso do grupo estudado às mesmas oportunidades que os demais. A fim de diluir o processo de resistência a essas medidas, se faz importante manter uma política pautada no constante diálogo e informação a fim de que a sociedade se sensibilize pela inclusão das chamadas minorias.

Palavras-chave: Pessoas com deficiência, Políticas públicas, Subjetividade


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n2p585-595

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png