Desporto e Bem-Estar Psicológico numa Sociedade Pós Moderna

Maria Luísa Pereira Soares, António Manuel Almeida, Isabel Filipa Oliveira, Liliana Fátima Roque

Resumo


Pretende-se partilhar os resultados do estudo feito na área da avaliação da sintomatologia psicológica que podem contribuir para reflectir sobre a inclusão do desporto numa configuração de ajuda na vida de um ser humano em sofrimento psicológico. Está provado que o Desporto faz bem à saúde física, mas há um longo caminho a percorrer para provar que o desporto faz bem à saúde mental. Será que os sujeitos que praticam desporto têm menos indicadores de sintomatologia psicológica do que os sujeitos que não praticam desporto? O estudo encontrou pouca sintomatologia psicológica no grupo de estudantes de EFD (Educação Física e Desporto). Avaliou-se os índices de solidão e também não apresentam níveis clinicamente significativos. Os resultados mostram que quem está ligado ao desporto, de certa forma parece ter poucos indícios de mal-estar psicológico e poucos níveis de solidão.

Palavras chave: Desporto; sintomatologia psicológica; saúde mental


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v3n2p559-570

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

  Periódicos CAPES
DOAJ.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
latindex.jpg
  Diadorim.jpg  SIS
  circ.png