The kidnapping of time and mental health

Israel Kujawa, Pedrinho Arcides Guareschi, Gênesis Marinar Rodrigues Sobrosa

Resumo


This article offers an analysis of factors that influence the well-being and health, in a time when lack of time and indebtedness are elements that run through people’s daily lives. The starting point is the examination of human activity in its positive or negative relationships with respect to an idea of justice. From a narrative review, we evaluated the themes of freedom, necessity, of individualism, competition, lack of time and the relationship between the market and the state. The results of this research indicate that increasing the time busy with activities, which are presented as necessary means to decrease the time free activities, associated with the care of their own well-being and health.

Keywords: health, debt, time, freedom, necessity


Texto completo:

PDF

Referências


Antunes, R. (2005). O caracol e sua concha. Ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo.

Bendassolli, P. F. (2011). Mal-estar no trabalho: do sofrimento ao poder de agir. Revista Mal-estar e Subjetividade, 10 (1), 63- 98.

Carvalho, G. S., Artur, G., Vitor, R., & Carlos, A. (2013). O modelo biomédico e a abordagem de promoção da saúde na prevenção de comportamentos de risco. Recuperado de http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/7640/1/BM%2520%2526%2520HP%2520comp-risco.pdf.

Conselho Federal de Psicologia (1992). Atribuições Profissionais do Psicólogo no Brasil. Recuperado de http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2008/08/atr_prof_psicologo.pdf.

Dalmolin, B.M., & Dias, G.M. (2009). Síndrome de Burnout: uma implicação para trabalhadores em instituições de saúde. In P. Guareschi, H. Possamai, (Orgs.). Territórios de exclusão. Investigações em representações sociais. (pp.40-54). Porto Alegre: ABRAPSO SUL.

Dalmolin, B.M., Doring, M., & Petuco, V., M. (Orgs.). (2011). Violência no trânsito. Retratos de Passo Fundo. Passo Fundo: Berthier.

Dejours, C. (1994). A carga psíquica do trabalho. In C. Dejours, E. Abdoucheli, & C. Jayet, (Orgs.). Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho (pp. 21- 43). São Paulo: Atlas.

Dejours, C. (2003). A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez-Oboré.

Dejours, C. (2005). O fator humano. Rio de Janeiro: FGV.

Fleury, S. (1994). Estado sem cidadãos. Rio de Janeiro: Fiocruz.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo-SP: Atlas.

Guareschi, P. (2005). Psicologia Social e Crítica como prática de libertação. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Hall, S. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A.

Harvey, D. (2011). O Neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Edições Loyola.

Lhuilier, D. (2009). Travail, management et santé psychique. Connexions, 91, 85-101.

Machado, M., S. (2011). Teatro de sombras: violência no trabalho e apropriação da saúde. Em Nets, J., A, & Oliveira, P., A., B. (Org.). Teatro das sombras. (pp.11-31). Porto Alegre: SindBancários.

Morin, E. (2011). Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Editora Sulina.

Moscovici, S. (2011). A invenção da sociedade. Petrópolis. Editora Vozes.

Nets, J., A., & Oliveira, P., A., B. (2011). Teatro de sombras. Relatório da violência no trabalho e apropriação da saúde dos bancários. Porto Alegra: SindBancários Publicações.

Neto, J., F. (2004). Processos de subjetivação e novos arranjos urbanos. Recuperado de http://www.ichf.uff.br/publicacoes/revista-psi-artigos/2004-1-Cap7.pdf

Rother, E. T. (2007). Revisão sistemática e revisão narrativa. Acta Paul Enferm, 20(2), 376-380.

Seligmann-Silva, E. (2011). Trabalho e desgaste mental: o direito de ser dono de si mesmo. São Paulo: Cortez.

Sen, A. (2010). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras.

Sen, A. (1999/2012). Sobre ética e Economia. São Paulo: Companhia das Letras.

Sen, A., & Kliksberg, B. (2010). As pessoas em primeiro Lugar. A ética do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. São Paulo: Companhia das letras.

Subirats, J. (2013). Cambios sociales y estructuras de poder ¿Uma nova ciudadania? Em Brizola, A., L., C., Zanela, A., V., & Gesser, M. (Org.). Práticas sociais, políticas públicas e direitos humanos. (pp.15-45). Florianópolis: ABRAPSO.

Vieira, J. D. (2003). Identidade expropriada, retrato do educador brasileiro. Brasília: CNTE.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v7n2p110-119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png