Relations between meaning, handling money and marital quality at the start of the family cycle

Claudia Mara Bosetto Cenci, Luisa Fernanda Habigzang

Resumo


Studies about money and conjugal quality indicate this is a complex relation, not always explicit, but inherent to current conjugal relationships. is study of narrative literature review aims to investigate relations between management and meaning of money and marital quality in the rst phase of the family life cycle. e literature points to correlations between these three aspects and proves that the way the couple handles money interferes with the degree of their marital quality. e article initially approaches the couple’s characteristics in the rst familylife cycle, and later, it presents aspects regard- ing conjugal quality. Lastly, it approaches the meaning and handling of money by couples in the rst phase of the family life cycle and possible relations with conjugal quality. 


Texto completo:

PDF

Referências


Atwood, J. D. (2012). Couples and money: The last taboo. The American Journal of Family Therapy, 40(1), 1-19.

Berthoud, C. M. E. (2002). Visitando a fase de aquisição. In: C. M. O. Cerveny & C. M. E. Berthoud (Eds.). Visitando a família ao longo do ciclo vital. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 29-57.

Bolze, S. D. A., Crepaldi, M. A., Schmidt, B., & Vieira, M. L. (2013). Relacionamento conjugal e táticas de resolução de conflito entre casais. Actualidades em Psicología,27(114), 71-85.

Borges, C. C., & Magalhães, A. S. (2009). Transição para a vida adulta: Autonomia e dependência da família. Psico, 40(1), 42-49.

Boyle, J. (2012). Shared money, less conflict, stronger marriages: The relationship between money ownership perceptions, negative communication, financial satisfaction, marital satisfaction and marital instability. Tese de Doutorado, Universidade Estadual do Kansas, Kansas, Estados Unidos. Disponível em: https://krex.k-state.edu/dspace/handle/2097/13638. (Acessado em 29/10/2014).

Burgoyne, C. B., Reibstein, J., Edmunds, A. M., & Routh, D. A. (2010). Marital commitment, money and marriage preparation: What changes after the wedding?. Journal of Community & Applied Social Psychology, 20(5), 390-403.

Capriles, M. A. (2005). Dinheiro: Sanidade ou loucura. São Paulo: AxisMundi.

Carter, B., & McGoldrick, M. (2011). As mudanças no ciclo de vida familiar: Uma estrutura para a terapia familiar. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas.

Cerveny, C. M. O., & Berthoud, C. M. E. (2002). Visitando a família ao longo do ciclo vital. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Cerveny, C. M. O., & Berthoud, C. M. E. (2009). Ciclo vital da família brasileira. In: L. C. Osório & M. E. P. Valle (Eds.). Manual de terapia familiar.Porto Alegre: Artes Médicas, p. 25-37.

Cerveny, C. M. O., Berthoud, C. M. E., Bergamini, N. B. B., Luisi, L. V. V., Filho, R. C., et al. (1997). Família e ciclo vital: Nossa realidade em pesquisa. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Féres-Carneiro, T., & Diniz-Neto, O. (2010). Construção e dissolução da conjugalidade: Padrões relacionais. Paidéia,20(46), 269-278.

Guimarães, C. M., & Cerveny, C. M. O. (2010). O meu, o seu, o nosso dinheiro: Como o dinheiro se articula na vida do jovem casal. Nova Perspectiva Sistêmica, 38(1), 63-78.

Harth, J. (2013). O manejo do dinheiro pelo casal e suas implicações na qualidade conjugal. Dissertação de Mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Brasil. Disponível em: http://www.unisinos.br/mestrado-e-doutorado/psicologia/teses-e-dissertacoes.(Acessado em 29/10/2014).

Karney, B. R., & Bradbury, T. N. (1995). The longitudinal course of marital quality and stability: A review of theory, methods, and research. Psychological bulletin, 118(1), 3.

Madanes, C., & Madanes, C.(1997). O significado secreto do dinheiro e como ele atua nas famílias despertando amor, inveja, compaixão e raiva. Campinas: Editorial Psy.

Carter, B. & McGoldrick (Eds.). As mudanças no ciclo de vida familiar: Uma estrutura para a terapia familiar. Porto Alegre: Artes Médicas.

Meirelles, V., & Souza, R. M. (2010). Preenchendo vazios: Dinheiro e relações parentais. In: A. Garcia (Ed.). Relacionamento interpessoal: Uma perspectiva interdisciplinar. Vitória: ABPRI, p. 18-27.

Moreira, A. S. (2002). Dinheiro no Brasil: Um estudo comparativo do significado do dinheiro entre as regiões geográficas brasileiras.Estudos de Psicologia, 7(2), 379-387.

Mosmann, C. P., Zordan, E. P., & Wagner, A. (2011). A qualidade conjugal como fator de proteção do ambiente familiar. In: A. Wagner (Ed.).Desafios psicossociais da família contemporânea. Porto Alegre: Artmed, p. 58-71.

Matos, Mariana Gouvêa de, & Magalhães, Andrea Seixas. (2014). Tornar-se pais: sobre a expectativa de jovens adultos. Pensando familias, 18(1), 78-91. Recuperado em 28 de setembro de 2015, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-494X2014000100008&lng=pt&tlng=pt.

Mosmann, C., & Falcke, D. (2011). Conflitos conjugais: Motivos e frequência. Revista da Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, 12(2), 5-16.

Mosmann, C., Wagner, A., & Féres-Carneiro, T. (2006). Qualidade conjugal: Mapeando conceitos.Paidéia, 16(35), 315-325.

Pergher, K. N. (2010). Variáveis que devem ser consideradas na avaliação da qualidade do relacionamento conjugal. Revista Perspectivas em Análise do Comportamento, 1(2), 116-129.

Poortman, A. R. (2005). How work affects divorce: The mediating role of financial and time pressures. Journal of Family, 26(2), 168-195.

Rizzon, A. L. C., Mosmann, C. P., & Wagner, A. (2013). A qualidade conjugal e os elementos do amor: Um estudo correlacional. Contextos Clínicos,6(1), 41-49.

Ronchi, J. P., & Avellar, L. Z. (2011). Família e ciclo vital: A fase de aquisição. Psicologia em Revista, 17(2), 211-225.

Russo, G. (2011). Amor e dinheiro: Uma relação possível?. Caderno Centro de Recursos Humanos, 24(61), 121-134.

Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2010). Satisfação conjugal: Revisão integrativa da literatura científica nacional. Psicologia Teoria e Pesquisa,26(3), 525-532.

Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2011). Ajustamento diádico e satisfação conjugal: Correlações entre os domínios de duas escalas de avaliação da conjugalidade. Psicologia Reflexão e Crítica,24(3), 439-447.

Von Bertalanffy, L. (1977). Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Vozes. (Texto original publicado em 1968).




DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v7n2p16-25

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista de Psicologia da IMED

ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

  Periódicos CAPES
DOAJ.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
latindex.jpg
  Diadorim.jpg  SIS
  circ.png