Sintomas de ansiedade em tabagistas no início do tratamento

Paulo Renato Vitória Calheiros, Margareth da Silva Oliveira, Marcia Fortes Wagner, Karina Silva Matos

Resumo


O estudo objetivou avaliar a intensidade dos sintomas de ansiedade em tabagistas participantes de um programa de tratamento para dependência de nicotina. A amostra constituiu-se de 292 participantes, 72,6% mulheres e 27,4% homens, com média de idade 45,78 e desvio padrão de ± 10,56 anos. Dos participantes, a maioria (57,9%) era casada. O ensino fundamental foi concluído por 43,2% da amostra, 40,0% possuíam o ensino médio e 16,8 % o ensino superior. Quanto ao uso do tabaco, 46,9% confirmaram o hábito por mais de 21 anos, 37% fumaram até dez anos e 16,1% de onze a vinte de anos. Foram utilizados o Fagerström Test for Nicotine Dependence (FTND) e o Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). Os achados mostraram que 40,8% possuíam dependência leve de nicotina,  34,2% dependência média e 25,1% dependência alta, enquanto 28,8% dos pacientes apresentavam ansiedade mínima, 27,1% ansiedade leve, 19,9% ansiedade moderada e 24,3% ansiedade grave. Foi encontrada uma relação significativa entre os resultados da escala BAI com a escala FTND (p < 0,05). Conclui-se a importância de investigar a ansiedade no processo de tratamento do tabagismo.


Palavras-chave


tabagismo; ansiedade; tratamento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2175-5027/psico-imed.v1n1p46-55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2175-5027

Licença Creative Commons

Revista de Psicologia da IMED, da IMED é licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

BASES DE DADOS E INDEXADORES

 DOAJ.jpg Periódicos CAPES
latindex.jpg
 
dialnet.png
 
REDIB
Diadorim.jpg
    SIS
circ.png