INTERPRETAÇÃO DO COMPORTAMENTO A COMPRESSÃO DO SOLO RESIDUAL DO GNAISSE PORTO ALEGRE PELA TEORIA DO ESTADO CRÍTICO

Felipe Gobbi, Adriano V.D. Bica, Luiz A. Bressani

Resumo


Este trabalho apresenta o estudo de um solo residual de gnaisse da cidade de Porto Alegre, no que tange a compressão. Este solo residual apresenta marcado bandamento gnáissico herdado da rocha mãe, que lhe confere uma forte anisotropia textural. Foram executados ensaios de compressão isotrópica e confinada em amostras reconstituídas e ensaios de compressão confinada com amostras indeformadas com diferentes ângulos entre o bandamento gnáissico e a direção de aplicação da tensão principal maior (ângulo d). A interpretação dos resultados foi realizada a luz da Teoria do Estado Crítico. Verificou-se a determinação de uma linha de compressão normal (NCL) para as amostras reconstituídas, tanto em compressão isotrópica como em compressão confinada, entretanto as amostras indeformadas apresentaram retas paralelas no plano n:logs’v dependentes do valor de d (para os níveis de tensão estudados).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2358-6508/rec-imed.v1n2p30-35

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista de Engenharia Civil IMED

Licença Creative Commons
Este obra de Revista de Engenharia Civil IMED está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 2358-6508

 Indexadores

 miar.png logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png 
   SHERPA-RoMEO-long-logo.gif