INTERPRETAÇÃO DO COMPORTAMENTO A COMPRESSÃO DO SOLO RESIDUAL DO GNAISSE PORTO ALEGRE PELA TEORIA DO ESTADO CRÍTICO

Felipe Gobbi, Adriano V.D. Bica, Luiz A. Bressani

Resumo


Este trabalho apresenta o estudo de um solo residual de gnaisse da cidade de Porto Alegre, no que tange a compressão. Este solo residual apresenta marcado bandamento gnáissico herdado da rocha mãe, que lhe confere uma forte anisotropia textural. Foram executados ensaios de compressão isotrópica e confinada em amostras reconstituídas e ensaios de compressão confinada com amostras indeformadas com diferentes ângulos entre o bandamento gnáissico e a direção de aplicação da tensão principal maior (ângulo d). A interpretação dos resultados foi realizada a luz da Teoria do Estado Crítico. Verificou-se a determinação de uma linha de compressão normal (NCL) para as amostras reconstituídas, tanto em compressão isotrópica como em compressão confinada, entretanto as amostras indeformadas apresentaram retas paralelas no plano n:logs’v dependentes do valor de d (para os níveis de tensão estudados).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18256/2358-6508/rec-imed.v1n2p30-35

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista de Engenharia Civil IMED

Licença Creative Commons
Esta obra da Revista de Engenharia Civil IMED está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2358-6508

 Indexadores

DOAJ.jpg   logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png 
SHERPA-RoMEO-long-logo.gif   
 
 miar.png