Propriedades Mecânicas de Concretos com o uso de Agregados Residuais

Cristiane Carine dos Santos, Geraldo Cechella Isaia, Denise Carpena Coitinho Dal Molin

Resumo


Com o crescente aumento do consumo dos recursos naturais em nível mundial, geram-se grandes preocupações em relação ao meio ambiente, tornando a sustentabilidade um assunto em destaque quanto à qualidade de vida e a sobrevivência dos seres vivos. A presente pesquisa visa analisar misturas de concreto com agregado residual de construção e demolição (RCD) através dos ensaios de resistência à compressão axial. Os concretos estudados foram moldados com substituição de dois teores de agregado residual, ou seja, substituições de 15 e 30% do agregado graúdo por RCD, o cimento também foi substituído parcialmente por dois tipos de pozolanas em misturas binárias e ternárias, em que se realizaram substituições de 25% de cimento por cinza de casca de arroz (CCA) e 25% de cinza volante CV para as misturas binárias, já para as ternárias os teores de substituições foram de (15+10)% (CCA+CV). Para os ensaios de resistência á compressão axial foram moldados corpos de prova cilíndricos de dimensão 10x20cm e curados em câmara úmida por um período de 28 dias. Através dos resultados pôde-se perceber que em relação ao traço referência (sem substituições), os concretos com pozolanas, tanto em misturas binárias como ternárias obtiveram resistência à compressão axial bem próximos do referência, já os traços moldados com substituições somente de agregados resultaram em resistência à compressão axial bastante inferiores. No entanto, concluiu-se que em relação à resistência à compressão axial é viável a utilização de RCD em concretos, porém quando da utilização de pozolanas na mistura.


Palavras-chave


Concreto; Material pozolânico; Resistência à compressão axial

Texto completo:

PDF

Referências


ABRELPE - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. PANORAMA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL 2014. Cap. 3. Acesso em 08/07/2016. Disponível em: http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2014.pdf

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15113 - Resíduos sólidos da construção civil e resíduos inertes–Aterros–Diretrizes para projeto, implantação e operação. ABNT, São Paulo. 2004.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12653 - Materiais pozolânicos — Requisitos. São Paulo; ABNT, 2015.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5733 - Cimento Portland de alta resistência inicial. Rio de Janeiro; ABNT, 1991.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5738 - Concreto - Procedimento para moldagem e cura de corpos-de-prova. Rio de Janeiro; ABNT, 2016.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5739 - Concreto - Ensaios de compressão de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro: ABNT, 2007.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12653 - Materiais pozolânicos – especificação. Rio de janeiro, ABNT, 2015.

AMERICAN CONCRETE INSTITUTE. Manual of Concrete Practice. Use of Fly Ash in Concrete: ACI 232.2R, Farmington Hills, 1996.

ÂNGULO, S. C. Caracterização de agregados de resíduos de construção e demolição reciclados e a influência de suas características no comportamento. De concretos. 167p. Tese (Doutorado em Engenharia) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, 2005.

ASTM C 618 – Standard Specification for Fly ash and Raw or Calcined Natural Pozzolan for use as a Minerall Admixture in Portland Cement Concrete. Philadelphia, 1978.

BASF REPORT 2014. Economic, environmental and social performance. Disponível em: https://www.basf.com/documents/corp/en/aboutus/publications/reports/2015/BASF_Report_2014.pdf. Acesso em: 12 de janeiro de 2017.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONAMA n° 307/2002. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res02/res30702.html. Acesso em: 18 de junho de 2016.

HELENE, P. R. L.; TERZIAN, P. Manual de dosagem e controle do concreto. São Paulo, 1992.

ISAIA, G. C. Projeto de pesquisa: Influência da nano/microestrutura de concretos com adições minerais e/ou resíduos no desempenho estrutural sob o enfoque da sustentabilidade por ACV e CCV. Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

ISAIA, G. C.; FURQUIM, P.; GASTALDINI, A. L. G. Análise estatística de variáveis influentes na microestrutura e durabilidade de concretos com adições minerais. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 07-23, jan./mar. 2009.

MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M. Concreto: Microestrutura, propriedades e materiais. 2 ed. São Paulo. Ed. Nicole Pagan Hasparyk, 2014.

NEVES, Suzana Andreassa. A qualificação da mão de obra para o aumento da produtividade em obras de construção civil: responsabilidades compartilhadas. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

PABLOS, J. M.; SICHIERI, E. P. Study to reuse an industrial solid waste generated by foundry sands. Journal of Materials Science and Engineering, v. 4, p. 16-25, 2010. PUCMINAS, Tempo e Clima.

PIRES, M. Caracterização do carvão de Candiota e de suas cinzas visando a avaliação do impacto ambiental e a síntese de zeólitas - relatório final. Barcelona: FAPERGS, 2002. 53 p. QUARTZO. Disponível em: http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/silicatos/tectossilicatos/quartzo.html. Acesso em: 24 out 2016.

ROCHA JUNIOR, C. A. F. 2011. Caracterização física, química e mineralógica de cinza leve de caldeira e sua utilização na síntese de zeólitas e aplicação do material zeolítico na adsorção de Cu+2 e Cd+2. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) - Instituto Tecnológico, Universidade Federal do Pará, Belém, 2011.

SAMI, W. T.; AKMAL, S. A. Influence of recycled concrete aggregates on strength properties of concrete. Construction and Building Materials. v. 23, p. 1163–1167, 2009.

ZUNINO, F., LOPEZ, M. Decoupling the physical and chemical effects of supplementary cementitious materials on strength and permeability. A multilevel approach. Cement Concrete and Composites. v. 65, jan. 2016, p. 19-28.




DOI: https://doi.org/10.18256/2358-6508.2020.v7i1.3442

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Cristiane Carine dos Santos, Geraldo Cechella Isaia

Licença Creative Commons
Esta obra da Revista de Engenharia Civil IMED está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2358-6508

 Indexadores

DOAJ.jpg   logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png 
SHERPA-RoMEO-long-logo.gif   
 
 latindex.jpg