Análise de sistemas estruturais arqueados em aço para centros esportivos

Fabrício Costa Silva, Gregório Sandro Vieira

Resumo


Neste trabalho, foi realizado um estudo da variação de parâmetros de estruturas para coberturas curvas com intuito de avaliar mudanças na taxa de consumo de aço. Diversos modelos foram concebidos com diferentes geometrias e condições de vinculação. Em um primeiro momento, esses modelos foram divididos em três grupos ou sistemas estruturais, com o objetivo de determinar o mais eficiente do ponto de vista de massa da estrutura. Em seguida, o grupo que apresentou o melhor desempenho foi analisado com uma quantidade maior de dados. O dimensionamento estrutural foi realizado através do programa computacional STRAP® e com base nas prescrições dispostas na norma técnica ABNT NBR 8800:2008. Calculados os modelos, verificou-se que a taxa de aço pode sofrer grandes variações de uma geometria para outra e, em um mesmo sistema, varia consideravelmente em relação ao vão e ao espaçamento. Para determinadas condições de vinculações e um determinado vão, observou-se que a utilização de pequenos espaçamentos entre pórticos com o intuito de diminuir o carregamento sobre cada quadro curvo pode ocasionar grandes taxas de aço. Averiguou-se que esse fenômeno se dá em decorrência da limitação da esbeltez de peças comprimidas. Por outro lado, grandes espaçamentos resultam em grandes áreas de influência que, por sua vez, exigem seções maiores para resistirem aos esforços solicitantes. Assim, existe um espaçamento intermediário ou ótimo que fornece a menor taxa de consumo de material, possibilitando a elaboração de projetos estruturais mais econômicos.


Palavras-chave


estruturas arqueadas; estruturas de aço; arcos; taxa de aço

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AMERICAN IRON AND STEEL INSTITUTE. AISI S100-2007: Method for cold-formed steel structural members. American Iron and Steel Institute. Washington, DC, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120: cargas para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro, 1980.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6123: Cargas para o cálculo de estruturas de edificações. Rio de Janeiro, 1988.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8681: Ações e segurança nas estruturas - procedimento. Rio de Janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8800: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios. Rio de Janeiro, 2008.

BLESSMANN, J. O vento na engenharia estrutural. Porto Alegre: UFRGS, 1995.

BLESSMANN, J. Ação do vento em telhados. Porto Alegre: SAGRA, 1991.

LEET, K. M.; UANG, C. M. Fundamentals of structural analysis. 3ª ed. New York: McGraw-Hill, 2009.

NOGUEIRA, G. S. Avaliação de soluções estruturais para galpões compostos por perfis de aço formados a frio. 2009. 1 v. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2009.

OLIVEIRA, E. P.; GALGOUL, N. S. Consumo de aço em coberturas de estádios: sistema estrutural em treliça x cabos. Engenharia Estudo e Pesquisa, Santa Maria, v. 12, n. 1, p. 14-28, jan/jun. 2012.

SEWARD, D. Understanding structures: analysis, materials, design. 4ª ed. New York: Palgrave Macmillan, 2009.




DOI: https://doi.org/10.18256/2358-6508.2018.v5i2.2352

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Fabrício Costa Silva, Gregório Sandro Vieira

Licença Creative Commons
Esta obra da Revista de Engenharia Civil IMED está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2358-6508

 Indexadores

DOAJ.jpg   logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png 
SHERPA-RoMEO-long-logo.gif   
 
 miar.png