Comparativo de Projeto de Pavimentos Flexíveis através Métodos de Dimensionamento do Brasil e da AASHTO

Wagner Dambros Fernandes, Luciano Pivoto Specht, Deividi da Silva Pereira, Lélio Antônio Teixeira Brito

Resumo


Este trabalho tem como objetivos fazer a análise de pavimentos dimensionado por meio do método oficial do DNIT confrontando com do uso do software SisPavBR desenvolvido na UFRJ e também o software AASHTOWare Pavement, que carrega consigo o método de dimensionamento proposto pelo AASHTO ME, NCHRP 1-37A. Para isto, foi então feito uso da contagem de veículos realizados para BR116/RS; no entanto, foi necessário criar bandas de volume de tráfego (N), devido o método do DNIT não considerar o arranjo dos eixos como o SisPavBR e AASHTOWare fazem em suas avaliações. Foi realizado também o levantamento do custo executivo do km de pavimento dimensionado por cada método. Desta maneira, verificou-se que enquanto um pavimento dimensionado pelo DNIT necessita de uma espessura de revestimento de 12,5 cm, no SisPavBR a camada necessária é de 19,5 cm e a conforme a AASHTO 40 cm. Da mesma forma, o custo do pavimento foi mais elevado para o dimensionamento da AASHTO e do SisPavBR, em relação ao método oficial. Adicionalmente foi realizada a análise da vida de projeto do pavimento dimensionado pelo DNIT, o qual ficou bem abaixo do esperado em ambas as análises, chegando em um caso a durar apenas 2 meses. Fica patente a necessidade de discutir a evolução do método oficial para uma abordagem mais moderna e em sintonia com a Mecânica de Pavimentos.


Palavras-chave


Dimensionamento Pavimentos; Custo; Vida Útil

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AMERICAN ASSOCIATION OF STATE HIGHWAY AND TRANSPORTATION OFFICIALS. AASHTOWare Pavement ME Design. Informativo Software. Disponível em: http://www.aashtoware.org/Pavement/Pages/default.aspx. Acessado em 27/04/2015.

AMERICAN ASSOCIATION OF STATE HIGHWAY AND TRANSPORTATION OFFICIALS. MEPDG-1 Mechanistic Empirical Pavement Design Guide: A Manual of Practice. Washington D. C. American Association of State Highway Transportation Officials, 2008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7207: terminologia e classificação de pavimentação. Rio de Janeiro, 1982.

BRANCO, Fernando; PEREIRA, Paulo; SANTOS, Luís Picado. Pavimentos Rodoviários. Almedina. Coimbra, Portugal, 2006.

CLIMATE-DATA.ORG. Disponível em: https://pt.climate-data.org. Acessado em: 02 julho 2018.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES. Manual de Pavimentação. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. Rio de Janeiro, RJ, 2006.

FERNANDES, W. D. Análise Comparativa entre os Métodos de Dimensionamento de Pavimentos Flexíveis do Brasil e o Método a AASHTO. Dissertação de mestrado PPGEC. UFSM. Santa Maria, RS, 2016.

FRANCO, F.A.C.P. Método de Dimensionamento Mecanístico-Empírico de Pavimentos Asfálticos – SisPav. Tese de D.Sc. COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2007.

HARTMANN, D.; SPECHT, L. P.; PEREIRA, D. S.; PINHEIRO, R. J. B. Utilização do MEPDG Mechanistic-Empirical Pavement Design Guide na análise estrutural e funcional de pavimentos flexíveis. Revista Pavimentação, v. 23, p. 18-24, 2012.

KLAMT, R. A. Influência da Ação do Tráfego no Custo de Construção e Restauração de Pavimentos Asfálticos. Dissertação de mestrado PPGEC. UFSM. Santa Maria, RS, 2014.

LASTRAN (Laboratório de Sistemas de Transporte, do Departamento de Engenharia de Produção e Transportes da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul). A Influência do Tráfego de Composição de Veículos de Carga – CVC’s sobre os Pavimentos das Rodovias do Rio Grande do Sul. Relatório, v.1. DAER (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem). 2003.

MATOS, Gisnári de Fátima Alves. Estudo do Trincamento Tipo Top-down em Pavimentos Flexíveis através do Método dos Elementos Finitos. Dissertação de Mestrado. PPGMM / UNIJUÍ. Ijuí, RS, 2011.

MATTOS, João Rodrigo Guerreiro. Monitoramento e Análise de Desempenho de Pavimentos Flexíveis da Ampliação da Rodovia BR – 290 / RS – A Implantação do Projeto Rede Temática de Asfalto no Rio Grande do Sul. Tese de doutorado. PPGEC / UFRGS. Porto Alegre, RS, 2014.

MEDINA, J.; MOTTA, L. M. G. Mecânica dos Pavimentos. 3ª Ed. Editora Interciência. Rio de Janeiro, RJ, 2015.

PAPAGIANNAKIS, A. T.; MASAD, E. A. Pavement Design and Materials. New Jersey: John Wiley & Sons, 2007.

RIBAS, J. Parâmetros Elásticos Típicos de Materiais de Pavimentos Flexíveis do Rio Grande do Sul e sua Aplicação em uma Análise de Custo/Benefício. Dissertação Mestrado PPGEC. UFSM. Santa Maria, RS, 2014.




DOI: https://doi.org/10.18256/2358-6508.2018.v5i2.2234

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Wagner Dambros Fernandes, Luciano Pivoto Specht, Deividi da Silva Pereira, Lélio Antônio Teixeira Brito

Licença Creative Commons
Esta obra da Revista de Engenharia Civil IMED está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2358-6508

 Indexadores

DOAJ.jpg   logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png 
SHERPA-RoMEO-long-logo.gif   
 
 miar.png