Globalização e direito: perda de soberania do estado e reforma constitucional na periferia do capitalismo/Globalization and law: loss of state sovereignty and constitutional reform in the periphery of capitalism

Mauri da Silva, Maurício Gonçalves Saliba

Resumo


Este trabalho apresenta a globalização como um fenômeno orquestrado no centro para naturalizar a nova ordem econômica mundial baseada neoliberalismo, que demandava o enfraquecimento do Estado nacional, especialmente dos países periféricos, e a sujeição da constituição nacional em prol dos interesses do capital privado, principalmente o estrangeiro. O trabalho foi organizado da seguinte maneira: (i) revistar a literatura sobre as taxonomias de globalização; (ii) apropriar-se da teoria econômica para fundamentar a gênese da propagação da globalização; e (iii) mostrar que na América Latina a ascensão das ideias neoliberais, importadas do centro do capitalismo, provocou uma"onda" de reformas constitucionais receptivas principalmente ao capital estrangeiro.

Palavras-chave: Globalização econômica, Estado, soberania, neoliberalismo, reforma constitucional. 

 

ABSTRACT

This essay presents globalization as a phenomenon organized in the center of the world to naturalize the new world economical order based on the neoliberalism, which demanded the weakening of the National State, specially those from the peripheral countries, as well as the subjection of the national constitution in favor of the interests of the private capital, mainly the foreign one. This issue was organized the following way: (i) reviewing the literature about the taxonomies of globalization; (ii) appropriating the economical theory to establish the genesis of the spread of globalization; and (iii) showing that in Latin America, the rise of neoliberal ideas, imported from the center of capitalism, caused a “wave” of receptive constitutional reforms, principally to the foreign capital.

Key-words: Economical globalization, State, dominance, neoliberalism, constitutional reform.


Texto completo:

PDF HTML

Referências


ARRAUTT, A. A. La reforma a la Ley 30 en el contexto de la globalización. Diálagos de Derecho y Politica, Medellín-Colômbia, v, 3, n. 8, p. 2-17, 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2015.

AZEREDO, M. M. A crise da democracia venezuelana. Relações com os Estados Unidos. Venezuela: In. GUIMARÃES, S. P.; CARDIM, C. H. (Orgs.). Venezuela: Visões brasileiras, Brasília: FUNAG/IPRI, p. 111-156, 2003. Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2015.

BAGCHI, A. K. The past and the future of the developmental state. journal of world-systems research, v. 6, n. 2, p. 398-442, 2000. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2015.

BATISTA, P. N (pai). O consenso de Washington: a visão neoliberal dos latino-americanos, USP, 1994. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

BELLUZZO, L. G. O dólar e os desequilíbrios globais. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 224-232, jul./set., 2005. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

BHALLA, A. S. Market Or Government Failures?: An Asian Perspective. New York: Palgrave Macmillan, 2001. 230p.

BORGES, A. Democracia vs. Eficiência: a teoria da escolha pública. Lua Nova, n. 53, p. 159-179, 2001. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 05 out. 1998. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2015.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 5. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 15 ago. 1995a. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 6. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 15 ago. 1995b. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 7. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 15 ago. 1995c. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 8. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 15 ago. 1995d. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 9. Presidência da República. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 15 ago. 1995e. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

BRENNER, R. O boom e a bolha: os Estados Unidos na economia mundial. São Paulo: Record, 2003. 416p.

CAMARGO, S. R. M. El Nuevo Orden Constitucional Colombiano. Papel Político, Bogotá-Colombia, v. 16, n. 1, p. 13-39, 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2015.

CAMPODÓNICO, H. Reformas e inversión en la industria de hidrocarburos de América Latina. Santiago: CEPAL, 2004. 120p. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2015.

CANO, W. Introdução à economia. 2. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2007. 292p.

CANO, W.; SILVA, SILVA, A. L. G. Política industrial do governo Lula. Campinas: Unicamp, Instituto de Economia, Texto par discussão 181, 2010. Disponível em: . Acesso em: 31 mai. 2014.

CAPELLA, J. R. La globalización: ante una encrucijada político-jurídica. In: Anales de la Cátedra Francisco Suárez. Barcelona: Universidad de Barcelona, p. 13-35, 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2015.

CARDENAS GRACIA, J. En defensa del petróleo. Cidade do México: Universidad Nacional Autonoma De Mexico- UNAM, 2009. 281p. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2015.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise: a economia brasileira no último quarto do século XX. São Paulo: Unesp, 2002. 423 p.

CASTELLANI, A.; SERRANI, E. La persistencia de los ámbitos privilegiados de acumulación en la economía argentina. El caso del mercado de hidrocarburos entre 1977 y 1999. H-industri@: Revista de historia de la industria, los servicios y las empresas en América Latina, Buenos Aires, v. 4, n. 6, p. 1-31, 2010. Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2015.

CHANG, H. J. Chutando a escada: a estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica. São Paulo: Editora Unesp, 2004. 266p.

CHANG, H. J. The market, the state and institutions in economic development. In. CHANG, H. J. (Ed.). Rethinking development economics. Nova York: Anthem Press, 2003. p. 41-60.

DONZELOT, J. The mobilization of society. In: BURCHELL, G.; GORDON, C.; MILLER. P. The Foucault effect: Studies in governmentality, Chicago: The University of Chicago Press, 1991. cap. 8, p. 169-179.

El caso de Atitanac y La Encarnación, Villanueva, Zac. 2009. 209 F. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Universidad Autónoma de Zacatecas, Zacatecas-México, 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2015.

EMIEUX, P. The public choice revolution. Regulation, v. 27, n. 3, p. 22-29, 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2015.

FARIA, J. E. Globalização econômica e reforma constitucional. Revista dos Tribunais, São Paulo: v. 86, v. 736, p. 11-19, 1997. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2015.

FAUNDEZ, J. International economic law and development: before and after neo- liberalism. In.: FAUNDEZ, J.; TAN, C. (Ed.). International Economic Law, Globalization and Developing Countries. Cheltenham (UK) e Northampton (USA): Edward Elgar, 2010, p. 10-34.

FONTAINE, G. El Precio del petróleo: Conflictos socio-ambientales y gobernabilidad en la región amazónica. Quito-Equador: FLACSO - Ediciones Abya-Yala, 2008. 454p.

FRIEDEN, J. As Finanças Internacionais e o Estado nos Países Capitalistas Avançados e nos Menos Desenvolvidos. Revista de Economia Política, v. 3, n. 4, p. 57-84, 1983. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2015.

FRIEDMAN, M. Capitalism and freedom. Chigago: University of Chicago press, 1982. 212p.

GHIO, J. M.; EMENCHEDY, S. “Fugindo do perigo”: a política de reforma administrativa na Argentina de Menem. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 49, n. 2, p. 33-55, Abr./Jun., 1998. Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2015.

GILPIN, R. A economia política das relações internacionais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2002. 492p.

GÓMEZ, J. M. Globalização da política: mitos, realidades e dilemas. Rio de Janeiro: Instituto de Relações Internacionais, PUC-RIO, 1997. Disponível em:

HELD, D. et al. Global transformations: Politics, economics and culture. Stanford: Stanford University Press, 1999.

HELD, D.; McGREW, A. Prós e contras da globalização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. 115p.

IBAÑEZ, L. Las privatizaciones de los servicios públicos en Argentina a partir de la Ley de Reforma del Estado-23696. Buenos Aires: Faculdad de Derecho y Ciencias Sociales, Las tesinas de Belgrano nº 111, 2004. Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2015.

IMMERGUT, E. M. Democratic Theory and Policy Analysis: Four Models of “Policy, Politics and Choice”. der moderne staat–Zeitschrift für Public Policy, Recht und Management, v. 4, n. 1, p. 69-86, 2011.Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2015.

JARAMILLO, H. Reseña de las reformas de políticas sociales en la Colombia. Santigo: CEPAL, 1994. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2015.

LOWE, A. A ciência da economia política. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1969. 328p.

LUÉVANO, M. L. S. Migración y Feminización de la Población rural 2000-2005

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. 3. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1990.

MOLINARES, C. V. R. La inversión extranjera directa en Colombia: años 1990-2009. Saber, ciencia y libertad, Cartagena-Colômbia, v. 5, n. 2, p. 173-184, 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2015.

MURPHY, R. P. Law without the State. Auburn: The Mises Institute, 2011. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2015.

ORGANIZAÇÃODAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Rio de Janeiro: ONU, 2009, 16p. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2015.

PEREIRA, L. C. B. A crise na América Latina: consenso de Washington ou crise fiscal?. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 21, n. 1, p. 3-23, 1991. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

PIRES, M.C. A crise da dívida externa da América Latina na década de 1980. In:. MENDONÇA, M.G.; PIRES, M.C (Org.). Formação Econômica da América Latina. São Paulo: LCTE, 2012. p. 348-369.

SARMENTO, D. Direitos sociais e globalização: limites ético-jurídicos ao realinhamento constitucional. Revista de direito administrativo, v. 223, p. 153-168, 2001. Disponível em: . Acesso em: 04 out. 2015.

SCHNEIDERMAN, D. Constitutional approaches to privatization: An inquiry into the magnitude of neo-liberal constitutionalism. Law and Contemporary Problems, Durham (North Carolina-USA), v 63, n. 4, p. 83-109, autumn, 2000. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2015.

SCHNEIDERMAN, D. Constitutionalizing economic globalization: investment rules and democracy’s promise. Cambridge: Cambridge University Press, 2008. 326p.

SIGMARSSON, D. A. Globalization vs. State Sovereignty: Constitutional Rights in a Crisis? Akureyri (Islândia): University of Akureyri / Faculty of Law and Social Sciences, 2008. 36p. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2015.

SMITH, A. A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Nova Cultural, 1996a. 466p. 1 v.

SMITH, A. A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Nova Cultural, 1996b. 395p. 2 v.

STIGLITZ, J. Más instrumentos y metas más amplias para el desarrollo. Hacia el consenso post-Washington, Desarrollo Económico, Buenos Aires, vol. 38, No. 151, Oct./Dec., p. 691-722, 1998. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2015.

SUNKEL, O; PAZ, P. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Difel, 1976. 243p.

UNCTAD. World investment report 2000: cross-border mergers and acquisitions and development. UNCTAD-UNITED NATIONS, 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2015.

VARELLA, M. D. Internationalization of law: globalization, international law and complexity. New York/London: Springer, 2014. 343p.

WALLERSTEIN, I. M. Após o liberalismo: em busca da reconstrução do mundo. Vozes, 2002. 271p.

WEBER, M. Textos selecionados. São Paulo: Nova Cultural, 1997. 192p.

WIGHT, J. B. The Treatment of Smith’s Invisible Hand, The Journal of Economic Education, v. 38, n. 3, p. 341-358, 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2015.

ZELLER, N.; Reseña del proceso de reforma del Estado en la Argentina, 1989-1996. Buenos Aires: Instituto Nacional de la Administración Pública, Dirección Nacional de Estudios y Documentación, Dirección de Estudios e Investigaciones, Documento 58, 1997. Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2015.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v11n2p85-103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo