A proporcionalidade como instrumento de interpretação e aplicação da norma penal: possibilidades e limites

Airto Chaves Junior, Fabiano Oldoni

Resumo


A ideia é analisar a proporcionalidade enquanto postulado de interpretação e aplicação do direito, em contraponto aos que tratam a proporcionalidade como um princípio. Para isso, será feita a necessária diferenciação entre princípios e regras e ao final apresentado um conceito operacional à proporcionalidade. Especificamente, busca-se observar a proporcionalidade no contexto da norma penal, identificando as possibilidades e limites de sua aplicação.

PALAVRAS-CHAVE: Norma; Princípio; Proporcionalidade; Interpretação


Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. 5 ed., São Paulo: Malheiros, 2006.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Trad. António de Castro Caeiro. 3 ed. Lisboa: Quetzal Editores, 2009.

ATIENZA, Manuel. As Razões do Direito: teorias da argumentação jurídica. 3ª Ed. São Paulo: Landy Editora, 2006.

ATIENZA, Manuel. El derecho como argumentación en pocas palavras, 2013, p. 35/36 (texto utilizado na disciplina de Argumentação Jurídica ministrada pelo autor na Faculdade de Direito da Universidade de Alicante, Espanha).

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa – www.anvisa.gov.br.

BRASIL. Resolução RDC nº 79, de 28 de agosto de 2000.

BRASIL, Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Apelação criminal n. 05.040723-0, de Chapecó.

BRASIL, Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Apelação Criminal n. 06.004732-9, de São Miguel do Oeste.

BRASIL. Tribunal Regional Federal da 4ª Região, no julgamento da Apelação Criminal n. 2001.72.00.003683-2/SC.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Constituição dirigente e vinculação do legislador: contributo para a compreensão das normas constitucionais programáticas. 2 ed., Coimbra: Editora Coimbra. 2001.

DWORKIN, Ronald. Levando os direitos a sério. 2 ed., São Paulo: Martins Fontes, 2007.

GRAU. Eros Roberto. Ensaio e discurso sobre a interpretação/aplicação do direito. 3 ed., São Paulo: Malheiros. 2005

SARLET, Ingo Wolfgang. Constituição e proporcionalidade: o direito penal e os direitos fundamentais entre proibição de excesso e de insuficiência. Revista de Estudos Criminais, n. 12, ano 3. Sapucaia do Sul: Nota Dez, 2003.

SCHELER, Max. Da reviravolta dos valores, tradução de Marco Antônio dos Santos Casa Nova, Petrópolis: Vozes, 1994.

STRECK, Lenio Luiz. Verdade e consenso. 3 ed., Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009.

STRECK, Lenio Luiz. Da proibição do excesso (Übermassverbot) à proibição de proteção deficiente (Untermassverbot): de como não há blindagem contra normas penais inconstitucionais. In Revista do Instituto de Hermenêutica Jurídica. Vol. 1, n. 2, Porto Alegre, 2004.

Aplicar a “letra da lei” é uma atitude positivista? Revista Novos Estudos Jurídicos – Eletrônica, Vol. 15 – nº 1 – p. 158/173 – jan-abr 2010, disponível em . Acesso em: set. 2013.

STRECK, Maria Luiza Schäfer. Direito penal e constituição: a face oculta da proteção dos direitos fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

REALE, Miguel. Filosofia do Direito. 20 ed., São Paulo: Saraiva, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v9n2p47-67

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo