Fragmentos sobre o impacto da globalização e da revolução comunicacional no direito constitucional e no estado nacional

Maurício Ramires

Resumo


A globalização e o incremento das comunicações têm gerado efeitos em todas as áreas da atividade humana, mas nem sempre é simples identificar quais têm sido suas implicações no direito, em especial no direito constitucional. No presente artigo, defendemos que não está em curso uma dissolução do Estado nacional em uma nova estrutura constitucional regional ou mundial, mas sim uma integração discursiva, baseada no diálogo judicial e na abertura dos tribunais à comunicação global.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLARD, Julie & GARAPON, Antoine. Les Juges dans la Mondialisation: La Nouvelle Révolution du Droit. Paris: Seuil/La République des Idées, 2005.

ARNAUD, André-Jean. O Direito entre Modernidade e Globalização: Lições de Filosofia do Direito e do Estado. Trad. Patrice Charles Wuillaume. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

CAPELLA, Juan Ramón. Fruto Proibido: Uma Aproximação Histórico-Teórica ao Estudo do Direito e do Estado. Trad. Gresiela Nunes da Rosa e Lédio Rosa de Andrade. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. O Estado no Direito Constitucional Internacional. Revista de História das Ideias. Vol. 26. Coimbra, 2005.

CARRASCO, Ricardo Miguel Llopis. Constitución Europea: Un Concepto Prematuro. Análisis de la Jurisprudencia del Tribunal de Justicia de las Comunidades Europeas sobre el Concepto de Carta Constitucional Básica. Valencia: Tirant lo Blanch, 2000.

CUNHA, Paulo Ferreira da. Geografia Constitucional: Sistemas Juspolíticos e Globalização. Lisboa: Quid Juris, 2009.

DELMAS-MARTY, Mireille. La Mondialisation du Droit: Chances et Risques. Paris: Dalloz, 1999.

DiNUCCI, Darcy. Fragmented Future. Print. Vol. 53, n. 4. New York, 1999.

FARIA, José Eduardo (org.). Direito e Globalização Econômica: Implicações e Perspectivas. São Paulo: Malheiros, 2010.

FUKUYAMA, Francis. The End of History. The National Interest. Vol. 16. Washington, D.C., 1989.

GRISHAM, John. O Dossiê Pelicano. Trad.: Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

HABERMAS, Jürgen. Faktizität und Geltung. Beiträge zur Diskurstheorie des Rechts und des Demokratischen Rechtsstaat. Frankfurt: Surkamp, 1992.

HÖFFE, Otfried. A Democracia no Mundo de Hoje. Trad.: Tito Lívio Cruz Romão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

HUNTINGTON, Samuel. O Choque de Civilizações e a Recomposição da Ordem Mundial. Trad.: M. H. C. Côrtes. Rio de Janeiro: Objetiva, 1996.

KEATING, Michael. Plurinational Democracy: Stateless Nations in a Post-sovereignty Era. Oxford: Oxford University Press, 2001.

KROTOSZYNSKI, Ronald J. I’d Like to Teach the World to Sing (in Perfect Harmony): International Judicial Dialogue and the Muses – Reflections on the Perils and the Promise of International Judicial Dialogue. Michigan Law Review. Vol. 104. Ann Arbor, 2006.

LOUREIRO, João. Desafios da Técnica. Trabalhos de Hermes (Constitucionalismo, Constituição Mundial e Sociedade de Risco). Nação e Defesa. N.º 97. Lisboa, 2001.

MacCORMICK, Neil. Questioning Sovereignty. Oxford: Oxford University Press, 1999.

MARKESINIS, Basil & FEDTKE, Jörg. Judicial Recourse to Foreign Law: A New Source of Inspiration? In: MARKESINIS, Basil & FEDTKE, Jörg (org.). Judicial Recourse to Foreign Law: A New Source of Inspiration? New York: Routledge, 2006.

MIRANDA, Jorge. Manual de Direito Constitucional. Tomo I: Preliminares; O Estado e os Sistemas Constitucionais. 8ª ed. Coimbra: Coimbra Editora, 2009.

MIRANDA, Jorge. Manual de Direito Constitucional. Tomo II: Constituição. 6ª ed. Coimbra: Coimbra Editora, 2007.

MIRANDA, Jorge. Manual de Direito Constitucional. Tomo III: Estrutura Constitucional do Estado. 6ª ed. Coimbra: Coimbra Editora, 2010.

MORAND, Charles-Albert (org.). Le Droit Saisi par la Mondialisation. Bruxelles: Bruylant, 2001.

MURAKAMI, Junichi; MARUTSCHKE, Hans-Peter; RIESENHUBER, Karl (org.) Globalisierung und Recht. Berlin: De Gruyter Recht, 2007.

PAGLIARINI, Alexandre Coutinho. A Constituição Européia como Signo da Superação dos Dogmas do Estado Nacional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2004.

RODRIGUES, Jorge Nascimento & DEVEZAS, Tessaleno. Portugal: O Pioneiro da Globalização. Vila Nova de Famalicão: Centro Atlântico, 2009.

RODRIGUES, Maurício Andreiuolo. Poder Constituinte Supranacional: Esse Novo Personagem. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 2000.

SACHS, Jeffrey. Globalization and the Rule of Law. Occasional Papers. n. 2. Yale Law School Legal Scholarship Repository. New Haven, 1998.

SILVA, Virgílio Afonso da. Integração e Diálogo Constitucional na América do Sul. In: BOGDANDY, Armin von; PIOVESAN, Flávia; ANTONIAZZI, Mariela Morales [org.]. Direitos Humanos, Democracia e Integração Jurídica na América do Sul. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2012.

SLAUGHTER, Anne-Marie. A Typology of Transjudicial Communication. University of Richmond Law Review. Vol. 29, n. 99. Richmond, 1994.

SLAUGHTER, Anne-Marie. A New World Order. Princeton: Princeton University Press, 2004.

SOUSA SANTOS, Boaventura de. Pela Mão de Alice: O Social e o Político na Pós-Modernidade. 5 ed. São Paulo: Cortez, 1999.

SOUSA SANTOS, Boaventura de. Os Tribunais e as Novas Tecnologias de Comunicação e de Informação. Sociologias. Ano 7, n. 13. Porto Alegre, 2005.

STRAUSS, Andrew L. Beyond National Law: The Neglected Role of the International Law of Personal Jurisdiction in Domestic Courts. Harvard International Law Journal. Vol. 36, n. 2. Cambridge, Mass., 1995.

TATE, Chester Neal & VALLINDER, Torbjörn (org.). The Global Expansion of Judicial Power. New York/London: New York University Press, 1995.

THUMFART, Johannes. Die Begründung der globalpolitischen Philosophie: Zu Francisco de Vitorias “Relectio de Indis Recenter Inventis” von 1539. Berlin: Kulturverlag Kadmos, 2009.

TUSHNET, Mark. The Inevitable Globalisation of Constitutional Law. In: MULLER, Sam & RICHARDS, Sidney (ed.). Highest Courts and Globalisation. The Hague: Hague Academic Press, 2010.

VITÓRIA, Francisco de. Obras de Francisco de Vitória. Relecciones Teologicas. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1960.

VOIGT, Rüdiger (org.). Globalisierung des Rechts. Baden-Baden: Nomos, 2000.

VOIGT, Rüdiger (org.). Globalisierung des Rechts II: Internationale Organisationen und Regelungsbereiche. Baden-Baden: Nomos, 2002.

ZAGREBELSKY, Gustavo. Jueces Constitucionales. In: CARBONELL, Miguel (org.). Teoría del Neoconstitucionalismo: Ensayos Escogidos. Madrid: Trotta, 2007.

[Sem autor]. Developments in the Law: International Criminal Law, VI. The International Judicial Dialogue: When Domestic Constitutional Courts Join the Conversation. Harvard Law Review. Vol. 114. Cambridge, Mass., 2001.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v9n2p184-204

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo