O estigma dos não alfabetizados e a democracia brasileira: a inelebigibilidade dos “excluídos de dentro”

Martonio Mont'Alverne Barreto Lima, Thaís Araújo Dias

Resumo


O presente estudo realiza análise dos pressupostos rousseaunianos que preconizam a democracia participava, diante da impossibilidade de elegibilidade dos não alfabetizados brasileiros sob à égide do conceito “excluídos de dentro” proposto por Pierre Bourdieu e Champagne frente a perspectiva democrática. O exercício da cidadania não está restrito ao sufrágio. No bojo do Estado Democrático de Direito encontra-se a representatividade da pluralidade de indivíduos que compõe a sociedade. A imposição de limites à participação política, enquanto direito fundamental, seja na capacidade eleitoral ativa ou passiva é um paradoxo do processo permanente de democratização. A não alfabetização, per si, é falha macrossistêmica. Este estudo se respalda na epistemologia da pesquisa quanti-qualitativa, do tipo analítico-crítico, desenvolvido a partir da utilização de multimétodos no exame da práxis da democracia representativa, com lentes interdisciplinares. Analisam-se dados disponibilizados pelo sítio eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bem como os conceitos políticos, jurídicos e antropológicos presentes na bibliografia corrente e a legislação referente à temática, visando responder: em que medida a pseudoinclusão dos não alfabetizados no sistema eleitoral brasileiro os tornaram “excluídos de dentro” em uma democracia participativa? Nessa conjuntura, objetiva-se analisar a compatibilidade dos princípios da igualdade e da soberania popular diante da inelegibilidade dos não alfabetizados com fulcro na sistematização de elementos democráticos essenciais. Conclui-se que para o rompimento da estigmatização dos não analfabetos no sistema democrático é necessário a elegibilidade e o incentivo a formação educacional destes.

 


Palavras-chave


Democracia Representativa; Inelegibilidade; Direitos Políticos; Não Alfabetizados.; “Excluídos de dentro”.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, F. de. Discurso. In: Câmara dos Deputados. Annaes da Câmara dos Deputados, sessão de 30 de janeiro de 1879. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1879. p. 317-322. Disponível em: http://imagem.camara.gov.br/dc_20b.asp?selCodColecaoCsv=A&Datain=30/1/1879. Acesso em: 13 out. 2019.

ALEIXO, J. C. B.; KRAMER, P. Os analfabetos e o voto: da conquista da alistabilidade ao desafio da elegibilidade. Senatus: cadernos da Secretaria de Informação e Documentos. Senado Federal. Brasília, v. 8, n. 2, p. 68-79, out. 2010.

BEZERRA, G.F. A inclusão escolar de alunos com deficiência; uma leitura baseada em Pierre Bourdieu. Rev. Bras. Educ., vol. 22, n. 69, Rio de Janeiro, Abr./Jun. 2017.

BOBBIO, Noberto. O futuro da democracia. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

BODIN, Jean. Os Seis Livros da República. Vol. I-VI, São Paulo, Ícone, 2011.

BONIFÁCIO (O MOÇO), J. Discurso. In: Câmara dos Deputados. Annaes da Câmara dos Deputados, sessão de 10 de fevereiro de 1879. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1879a. p. 430-432. Disponível em: http://imagem.camara.gov.br/dc_20b.asp?selCodColecaoCsv=A&Datain=10/2/1879. Acesso em: 07 out. 2019.

BOURDIEU, P; CHAMPAGNE, P. Os excluídos do interior. In: BOURDIEU, P. et al. (Orgs.). A miséria do mundo. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

BRANCO, Humberto de Alencar Castelo. Mensagem CN-5, de 1964. Diário do Congresso Nacional. Brasília. Ano XIX, no 13, p. 244, quinta-feira, 25 de junho de 1964.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 18 out. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Emenda constitucional no 25, de 15 de maio de 1985. Altera dispositivos da Constituição Federal e estabelece outras normas constitucionais de caráter transitório. Brasília, 1985. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc_anterior1988/emc25-85.htm. Acesso em: 20 out 2019.

BRASIL, Tribunal Superior Eleitoral. Série Inclusão: a luta dos analfabetos para garantir seu direito ao voto na República. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2013/Abril/serie-inclusao-a-luta-dos-analfabetos-para-garantir-seu-direito-ao-voto-na-republica. Acesso em: 12 de nov 2019.

BREUER, S. Democracia plebiscitária e parlamentarista na sociologia política de Max Weber. Sociologias, v. 1, n. 2, p. 44-67, 1999.

CANOTILHO, J. J. G.; MOREIRA, V. Constituição da República portuguesa anotada. Coimbra: Coimbra, v. 1, 2007.

CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

ELKINS, Z. Quem iria votar? Conhecendo as consequências do voto obrigatório no Brasil. Opinião Pública. vol.6 no.1 Campinas Apr. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-62762000000100005. Acesso em: 12 de nov 2019.

FERRARO, A. R. Educação, Classe, gênero e voto no Brasil imperial: Lei Saraiva-1881. Educar em Revista. Curitiba, Brasil, n. 50, p. 181-206, out./dez. 2013.

FERREIRA, L. P. Princípios gerais do direito constitucional moderno, São Paulo: Saraiva, v.1, 6. ed, 1983.

FOUCAULT, M. Sécurité, territoire, population. Cours au Collège de France, 1977- 1978. Paris: Gallimard/Seuil, 2004.

GOULART, J. Mensagem ao Congresso Nacional. Brasília: Câmara dos Deputados, 1964. p. 439-440.

HABERMAS, J. A constelação pós-nacional: ensaios políticos. São Paulo: Littera Mundi, 2001.

HOBBES, T. Leviatã. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

HOLANDA, S. B. de, org. História Geral da Civilização Brasileira. Tomo II – O Brasil Monárquico, vol.1, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de educação avançam, mas desigualdades regionais e raciais persistem. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/24852-indicadores-de-educacao-avancam-mas-desigualdades-regionais-e-raciais-persistem. Acesso em: 13 de nov. 2019.

LOCKE, J. Os pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

MAGALHAES, F. O passado ameaça o futuro Tocqueville e a perspectiva da democracia individualista. Tempo soc., São Paulo, v. 12, n. 1, p. 141-164, Maio 2000.

MANIN, B. Principes du gouvernement représentatif. Calmann-Levy: Paris, 1995.

MAQUIAVEL, N. O Príncipe. Tradução e notas de José Antônio Martins. São Paulo: Hedra, 2009.

MARSHALL, T. H. Citizenship and Social Class. Chicago: Pluto Classic (reimpr.), 1996.

MILL, J. S. Considerações sobre o governo representativo. Tradução de Manoel Inocêncio de Lacerda Santos Jr. Brasília, DF: UnB, 1981.

NEVES, F. J. T. Tocqueville e Stuart Mill: reflexões sobre o liberalismo e a democracia. Achegas, v.17. p. 27-42, 2004.

OLIVEIRA, L.H.H. de. Voto obrigatório e equidade: um estudo de caso. São Paulo em Perspec. vol.13 no.4 São Paulo Oct./Dec. 1999.

PEDRA, A. S. A inelegibilidade do analfabeto segundo uma perspectiva concretista. Revista de Informação Legislativa, n. 186, p. 69-80, 2011.

PLATÃO, A república. In: Coleção Os Pensadores. 5ª ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

ROUSSEAU, J-J. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Tradução de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

ROUSSEAU, Jean J. O contrato social. Tradução de Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SIEYÈS, E. J. Qu’est ce que lê Tiers État? (A constituinte curguesa). Tradução de Norma Azevedo. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2001.

TOCQUEVILLE, A. de. A Democracia na América. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1987.

TSE. Tribunal Superior Eleitoral. Estatísticas de eleitorado por sexo e grau de instrução. Outubro de 2019. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/estatistica-do-eleitorado-por-sexo-e-grau-de-instrucao. Acesso em: 30 nov 2019.

VELLOSO, C. M. da S.; AGRA, W. de M. Elementos de Direito eleitoral. São Paulo: Saraiva, 2009.

WEBER, Max. “Conferência sobre o socialismo”. In: FRIEDMAN, Luis Carlos (org.). Émile Durkheim, Max Weber: socialismo. Rio de Janeiro: Relumé-Dumará. 1993.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos de sociologia compreensiva. Brasília: Unb, vol. 2, 1999.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2019.v15i3.3920

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo