Filosofias da História e Teoria da Revolução: Progresso e Utopia, Dominação e Emancipação

João Paulo Bachur

Resumo


O presente artigo busca refletir sobre os acontecimentos desencadeados pela Revolução Francesa. A Revolução em si não será analisada, mas os fenômenos por ela gerados, como o advento da burguesia e da modernidade. A inquietação trazida aqui é a relação entre uma determinada concepção de história e o compromisso pela emancipação do homem. A questão surge a partir de uma análise sobre o diagnóstico habermasiano da modernidade, segundo o qual a emancipação está descartada. Nesse sentido, o objetivo é oferecer um contraponto à teoria habermasiana. A metodologia adotada é a da historiografia conceitual de Reinhart Koselleck. A análise se dá pela ótica da teoria de revolução de Karl Marx. Conclui-se que somente a alternativa revolucionária traz consigo uma concepção de história intrinsecamente ligada à ideia de emancipação autônoma da humanidade, tarefa que não pode ser deixada de lado, mesmo que sua realização seja vislumbrada como algo muito distante da prática.


Palavras-chave


Burguesia; Modernidade; Emancipação humana; Revolução

Texto completo:

PDF

Referências


AGULHON, Maurice, 1848, o Aprendizado da República, trad. Maria Inês Rolim. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1991.

ANDERSON, Perry, O Fim da História: de Hegel a Fukuyama, trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1992.

BENJAMIN, Walter, “Sobre o Conceito de História” in Magia e Técnica, Arte e Política: Ensaios sobre Literatura e História da Cultura – Obras Escolhidas, v. I, trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BERGERON, Louis, FURET, François & KOSELLECK, Reinhart, La Época de las Revoluciones Europeas, 1780-1848, s/ trad.. Madrid: Siglo Veitiuno, 1976.

BERNSTEIN, Eduard, Socialismo Evolucionário, trad. Manuel Teles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

BODEI, Remo, A História tem um Sentido?, trad. Reginaldo de Piero. Bauru: EDUSC, 2001.

BUONARROTI, Philippe, Conspiration pour l’Égalité, dite de Babeuf. Paris: Editions Sociales, 1957.

CONDORCET, Jean-Antoine-Nicolas, Marquis de, Esboço de um Quadro Histórico dos Progressos do Espírito Humano, trad. Carlos A. R. de Moura. Campinas: UNICAMP, 1993.

FAUSTO, Ruy, Marx: Lógica e Política, t. II. São Paulo: Brasiliense, 1987.

FUKUYAMA, Francis, O Fim da História e o Último Homem, trad. Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

HABERMAS, Jürgen. Mudança Estrutural da Esfera Pública, trad. Flávio Kothe. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

HABERMAS, Jürgen. Para a Reconstrução do Materialismo Histórico, trad. Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Brasiliense, 1983.

HABERMAS, Jürgen. O Discurso Filosófico da Modernidade, trad. Luiz Sérgio Repa & Rodnei Nascimento. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

HABERMAS, Jürgen. Técnica e Ciência como “Ideologia”, trad. Artur Mourão. Lisboa: Edições 70, 2001A.

HABERMAS, Jürgen. Teoría de la Acción Comunicativa, v. I (Racionalidad de la Acción y Racionalización Social) e v. II (Crítica de la Razón Funcionalista), 3ª ed., trad. Manuel Jiménez Redondo. Madrid: Taurus, 2001B.

HABERMAS, Jürgen. A Constelação Pós-Nacional: Ensaios Políticos, trad. Márcio Seligmann-Silva. São Paulo: Littera Mundi, 2001C.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. A Razão na História: Introdução à Filosofia da História Universal, trad. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1995A.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830), v. I (A Ciência da Lógica), trad. Paulo Meneses. São Paulo: Loyola, 1995B.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Fenomenologia do Espírito, 6ª ed., trad. Paulo Meneses. Petrópolis: Vozes, 2001.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Filosofia da História, trad. Maria Rodrigues & Hans Harden. Brasília: UNB, 1995C.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Linhas Fundamentais da Filosofia do Direito ou Direito Natural e Ciência do Estado em Compêndio, Parte III, Seção II (“A Sociedade Civil”), 2ª ed., trad. Marcos Lutz Muller, Coleção Textos Didáticos nº 21. Campinas: IFCH/UNICAMP, 2000.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Linhas Fundamentais da Filosofia do Direito ou Direito Natural e Ciência do Estado em Compêndio, Parte III, Seção III (“O Estado”), trad. Marcos Lutz Muller, Coleção Textos Didáticos nº 32. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1998.

HERDER, Johann Gottfried, Também uma Filosofia da História para a Formação da Humanidade: uma contribuição a muitas contribuições do século, trad. José M. Justo. Lisboa: Antígona, 1995.

HOBSBAWN, Eric J. A Era das Revoluções: 1789-1848, 10a ed., trad. Maria Tereza Lopes Teixeira & Marcos Penchel. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

HOBSBAWN, Eric J. Ecos da Marselhesa: Dois Séculos Revêem a Revolução Francesa, trad. Maria Celia Paoli. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.

HOBSBAWN, Eric J. On History. New York: New Press, 1997.

HOBSBAWN, Eric J. “The Making of a “Bourgeois Revolution” “ in FEHÉR, Ferenc (ed.), The French Revolution and the Birth of Modernity. Los Angeles: University of California Press, 1996.

KANT, Immanuel. Idéia de uma História Universal de um Ponto de Vista Cosmopolita, trad. Rodrigo Naves & Ricardo R. Terra. São Paulo: Brasiliense, 1986.

KANT, Immanuel. Resposta à Pergunta: Que é Esclarecimento?, 2ª ed., trad. Floriano de Sousa Fernandes. Petrópolis: Vozes, 1985.

KAUTSKY, Karl, The Class Struggle (Erfurt Program 1892), trad. William E. Bohn. New York: Norton Library, 1971.

KOSELLECK, Reinhart. Futures Past: on the Semantics of Historical Time, trad. Keith Tribe. Massachusetts: MIT Press, 1985.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e Crise: uma Contribuição à Patogênese do Mundo Burguês, trad. Luciana Villas-Boas Castelo-Branco. Rio de Janeiro: EDUERJ & Contraponto, 1999.

LEFEBVRE, Jean-Pierre & MACHERRY, Pierre, Hegel e a Sociedade, trad. Thereza Cristina Ferreira Stummer & Lygia Araujo Watanabe. São Paulo: Discurso Editorial, 1999.

LÖWITH, Karl, O Sentido da História, trad. Maria Georgina Segurado. Lisboa: Edições 70, 1991.

LÖWY, Michael, A Teoria da Revolução no Jovem Marx, trad. Anderson Gonçalves. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARX, Karl. “A Guerra Civil na França” in MARX, Karl & ENGELS, Friedrich, Obras Escolhidas, v. II, s/ trad.. Rio de Janeiro: Alfa-Ômega, 1961.

MARX, Karl. “As Lutas de Classe na França de 1848 a 1850” in MARX, Karl & ENGELS, Friedrich, Obras Escolhidas, v. I, s/ trad.. Rio de Janeiro: Alfa-Ômega, 1961.

MARX, Karl. Contribuição à Crítica da Economia Política, 2ª ed., trad. Maria Helena Barreiro Alves. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MARX, Karl. O 18 Brumário, 6ª ed., trad. Leandro Konder & Renato Guimarães. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista, trad. Marcus Vinicius Mazzari, in Estudos Avançados nº 34, São Paulo: IEA/USP, 1998.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã, trad. Luis Cláudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

NISBET, Robert, La Formación del Pensamiento Sociológico, trad. Enrique Molina de Vedia. Buenos Aires: Amorrortu editores, 1969.

SCHILLER, Friedrich, A Educação Estética do Homem (numa série de cartas), 3ª ed., trad. Roberto Schwarz & Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 1995.

TERRA, Ricardo Ribeiro, “Algumas Questões sobre a Filosofia da História em Kant” in KANT, Immanuel, Idéia de uma História Universal de um Ponto de Vista Cosmopolita, trad. Rodrigo Naves & Ricardo R. Terra. São Paulo: Brasiliense, 1986.

VOLTAIRE, Filosofía de la História, trad. Martín Caparrós. Madrid: Tecnos, 1990.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2019.v15i2.3355

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo
 erihplus.png