Lições de ‘Buen Vivir’: impactos ambientais sobre as comunidades indígenas no Brasil contemporâneo

Thaís Janaina Wenczenovicz, Cristhian Magnus De Marco

Resumo


Durante muito tempo a questão indígena esteve centrada na figura do indígena propriamente dito, ou seja, na utilização da sua força de trabalho, nos questionamentos de sua natureza humana e no impasse de serem considerados ou não cidadãos brasileiros. Atualmente os objetos de estudo e procedimentos metodológicos foram alargados e o foco da questão indígena foi transferido da identidade desses povos para a conservação da biodiversidade regional e global, demarcação territorial, etnocídio, exploração das suas terras, violência, dentre outros.  O devido estudo tem por objetivo analisar elementos acerca dos impactos ambientais desencadeados nas comunidades indígenas com a redefinição de seus territórios e a implantação de grandes construções, especialmente as hidrelétricas e mineradoras. O estudo utiliza-se do procedimento metodológico bibliográfico-investigativo e de pesquisa jurisprudencial. 

Palavras-chave


Brasil Contemporâneo; Comunidades Indígenas; Impactos Ambientais

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ANAYA, S. James. Los pueblos indígenas em el derecho internacional. Tradução de Luis Rodrigues-Piñero Royo; Pablo Gutierrez Veja; Bartolomé Clavero. New York, USA. Ed.Trota, 2005.

ARCONADA, Katu. Descolonização e Viver Bem são intrinsecamente ligados. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, v. 340, 2010. Disponível em: < http://www.ihuonline.unisinos.br >. Acesso em: 30 outubro 2011. Entrevista concedida a Moisés Sbardelotto.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília: 5 out. 1988.

BRASIL. IBGE. Dados estatísticos século XX. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/indicadores >. Acesso em: 02 março 2018.

BRASIL. Lei N° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília: 2 set. 1981.

Centro de Derechos Humanos da Pontifícia Universidad Católica do Ecudor. (s.d.). Universidad Andina Simón Bolivar/Ecuador. Disponível em: < http://www.uasb.edu.ec/documents/62017/1434654/Buen+Vivir+y+la+Tutela+Jur%C3%ADdica.pdf/b5267960-932b-4b1a-90fe-2508f1b7ebc2 >. Acesso em: 20 fevereiro 2018.

Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL/ONU). Los pueblos indígenas en América Latina. Avances en el último decenio y retos pendientes para la garantía de sus derechos. Síntesis. Chile: Imprensa Oficial, 2015. Disponível em: < http://www.cepal.org/es/publicaciones >. Acesso em: 20 janeiro 2018.

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). Os Povos Indígenas na América Latina. Avanços na última década e desafios pendentes para a garantia de seus direitos. Síntese. Santigo/Chile, 2015. Disponível em: < https://repositorio.cepal.org/ >. Acesso em: 02 março 2018.

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991.

Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH). Megaproyectos y derechos humanos de los pueblos indígenas. Disponível em: < http://www.cndh.org.mx/sites/all/doc/cartillas/2015-2016/02-DH-Pueblos-indigenas.pdf >. Acesso em: 06 fevereiro 2018.

Conselho Indigenista Misisonário (CIMI). Relatório Violência contra os Povos Indígenas no Brasil–Dados de 2016. Disponível em: < https://www.cimi.org.br/pub/relatorio/Relatorio-violencia-contra-povos-indigenas_2016-Cimi.pdf >. Acesso em: 07 fevereiro 2018.

Convenção sobre Diversidade Biológica (ABS). In: Conhecimento Tradicionais. Trad. Carlos Potiara Castro. Montreal, 2012. Disponível em: < https://www.cbd.int/abs/infokit/revised >. Acesso em: 02 fevereiro 2018.

DÁVALOS, Pablo. Sumak Kawsay: uma forma alternativa de resistência e mobilização. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, v. 340, 2010. Disponível em: < http://www.ihuonline.unisinos.br >. Acesso em: 30 outubro 2011. Entrevista concedida a Moisés Sbardelotto.

LAPPE, E.; LAROQUE, L. F. da S. Indígenas e Natureza: a reciprocidade entre os Kaingang e a natureza nas Terras Indígenas Por Fi Gâ, Jamã Tÿ Tãnh e Foxá. Desenvolvimento & Meio Ambiente, v. 34, p. 147-156, ago. 2015. Disponível em: < http://revistas.ufpr.br/made/article/viewFile/37073/26091 >. Acesso em: 20 fevereiro 2018.

NIMUENDAJÚ, Curt. Etnografia e Indigenismo. Sobre os Kaingang, os Ofaié-Xavante e os índios do Pará. Campinas: Editorada UNICAMP, [1913]1993.

OLIVEIRA, Assis da Costa; RANGEL, Lucia Helena. Juventudes indígenas: estudos interdisciplinares, saberes interculturais: conexões entre Brasil e México. 1. ed. Rio de Janeiro : E-papers, 2017. Disponível em: < http://www.e-papers.com.br >. Acesso em: 18 agosto 2017.

Organização das Nações Unidas (ONU). Las tecnologías de la información y las comunicaciones para el desarrollo. Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas (A/RES/61/295), 2007. Disponível em < http://www.un.org/es/comun/docs >. Acesso em: 13 julho 2017.

Organização das Nações Unidas (ONU). Relatório da 1ª Conferência Mundial sobre os Povos Indígenas. Nova Iorque, 2014. Disponível em: https://nacoesunidas.org. Acesso em 01 de agosto de 2017.

Organização Internacional do Trabalho (OIT). Convenio 169. Disponível em: < http://www.ilo.org/indigenous/Conventions/no169/ >. Acesso em: 08 fevereiro 2018.

PACHECO, Tania. Racismo Ambiental: expropriação do território e negação da cidadania. Série Textos Água e Ambiente, v. 2, p. 11-23, 2008.

Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA). Racismo Ambiental. Disponível em: < https://www.justicaambiental.org.br >. Acesso em: 08 janeiro 2018.

SACHS, Jeffrey D.. The age of sustainable development. New York: Columbia University Press, 2015.

SOUSA SANTOS, Boaventura. La globalización del derecho: los nuevos caminos de la regulación y la emacipación. Bogotá: Universidad Nacional de Colômbia/ILSA-Instituto Latinoamericano de Servicios Legales Alternativos, 1998.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad: Luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Universidad Andina Simón Bolivar, Ediciones Abya-Yala, 2009. Disponível em: < http://www.flacsoandes.edu.ec/interculturalidad/wp-content/uploads/2012/01/Interculturalidad-estado-y-sociedad.pdf >. Acesso em: 15 janeiro 2018.

ZAFFARONI, E. Raúl. El Derecho latinoamericano en la fase superior del Colonialismo. In: Revista Pensar en derecho. FERREYRA, Raúl Gustavo. El principio de subordinación como fundamento del Estado constitucional. Su regulación en Argentina, Brasil, Colombia, Ecuador y México, 2014.

ZIZEK, Slavoj. Vivendo no fim dos tempos. São Paulo: Boitempo, 2012.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2018.v4i2.2539

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo