Limites das intervenções fetais: uma análise ética e jurisprudencial

Janaína Reckziegel, Simone Tatiana da Silva

Resumo


Esta pesquisa situa-se na área do Direito, tendo como objetivo a reflexão sobre os limites das intervenções fetais. O método utilizado foi o qualitativo, tendo como fonte de dados a pesquisa bibliográfica e jurisprudencial. Pretendeu-se responder questões relacionadas às intervenções, tais como: Qual o momento de se realizar intervenções? A mulher pode negar-se a realizá-las? Estas questões não possuem resposta pronta e exigem do pesquisador um repensar. Repensar que não pode apenas basear-se em questões morais e éticas mas também em reflexões filosóficas e relacionadas ao Direito. Aí reside a importância deste texto, tratando-se de estudo inovador, pois apesar de o tema ser amplamente debatido nas ciências médicas, é pouco desenvolvido na áreajurídica. Verificou-se que as intervenções fetais lidam com aspectos eticamente difíceis, como o debate sobre o início da vida e a autonomia da gestante. Em relação à Jurisprudência brasileira, a maior parte dos casos, refere-se a erros médicos em procedimentos e diagnósticos. Finalmente conclui-se que as intervenções fetais apresentam grande relevância, pois são responsáveis pela sobrevivência e prevenção de malformações em crianças. Apesar da importância destacada, as mesmas ainda suscitam debates diversos e apresentam questões éticas e legais ainda não resolvidas.

Palavras-chave


Intervenções Fetais; Nascituros; Autonomia Da Gestante; Bioética

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALMEIDA, Silmara; J.A. CHINELATTO. Bioética e direitos de personalidade do nascituro. Scientia Iuris, v. 7, pp. 87-104, 2004.

BERTONCINI, Carla; SANTOS, Felipe Moraes Rolim. A Personalidade Civil Dos Nascituros E Os Seus Reflexos Jurídico-processuais. Argumenta Journal Law, Jacarezinho, n. 23. pp. 15-32, jul. 2015.

BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de Direito Penal: Parte Especial 2 – Dos Crimes Contra a Pessoa. 9 ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Brasília, 05 out 1988 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao /Constituicao.htm. Acesso em: 25 nov. 2017.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação direta de inconstitucionalidade n. 3.510. Requerente: Procurador Geral da República. Requerido: Presidente da República; Congresso Nacional. Relator Min. Ayres Britto. Brasília, 29 de maio de 2008. Disponível em: http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/paginador.jsp?docTP=AC&docID=611723. Acesso em: 28 nov. 2017.

BRASIL. Lei n. 11.105, de 24 de março de 2005. Diário Oficial da União, Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 28 mar. 2005, pp. 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005 /lei/l111 05.htm. Acesso em: 28 nov. 2017.

BRASIL. Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União, Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 28 mar. 2005, pp. 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/cc ivil_03/leis/20 02/l10406.htm. Acesso em: 28 nov. 2017.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial Nº 1.434.502 – BA (2013/0418476-2). Recorrente: Real Sociedade Espanhola de Beneficência. Recorrido: Jonas Pereira de Oliveira e Outro. Relator: Moura Ribeiro. Brasília, 24 mar. 2015. Disponível em: https://ww2.stj.jus.br/processo/revista/documento/mediado/?componente= MON&sequencial=45526332&num_registro=201304184762&data=20150327&tipo=0. Acesso em: 12 set. 2017.

BRASIL. Projeto de Lei nº 478/2007. Dispõe sobre o Estatuto do Nascituro e dá outras providências. Disponível em: http://camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_ mostrarintegra?codteor=443584. Acesso em: 09 set. 2017.

BRASIL. Superior Tribunal De Justiça. Agravo Em Recurso Especial Nº 510.173 – RJ (2014/0101662-0). Agravante: Casa de Saúde e Maternidade São Lucas Ltda Cooperativa de Trabalho Médico. Agravados: Mônica Gomes da Fonseca de Almeida; Paulo César de Almeida. Relator: Raul Araújo. Brasília, 01 ago. 2014. Disponível em: https://ww2.stj.jus. br/processo/revista/documento/mediado/?componente=MON&sequencial=37295665&num_registro=201401016620&data=20140820. Acesso em: 13 set. 2017.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Agravo em Recurso Especial nº 573.298 - SP (2014/0192301-3). Agravante: Sociedade Campineira de Educação e Instrução. Agravado: A.S.B (Menor) Representado por: M.Z. de S.B. Relator: Ricardo Villas Bôas Cueva. Brasília, 21 abr. 2015. Disponível em: http://www.stj.jus.br/SCON/decisoes/toc.jsp?livre= erro+m%E9dico+e+fetal&processo=573298.NUM.&&b=DTXT&thesaurus=JURIDICO&p=true. Acesso em: 13 set. 2017.

BRASIL. Relatora encerra audiência pública sobre descriminalização do aborto. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=386005. Acesso em 11 dez. 2018.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Fundamentos para uma teoria jurídica das Políticas Públicas. São Paulo: Saraiva, 2013.

CASPER, Monica J. Feminist politics and fetal surgery. Adventures of a research cowgirl on the reprodutive frontier. Feminist Studies, v. 23, pp. 233-262, 1997.

CHAZAN, Lilian Krakowski. Ultrassom, medicina e espetáculo. Centro Latino Americano em Sexualidade e Direitos Humanos, Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.clam.org.br/pdf/Lilian.pdf. Acesso em: 02 ago. 2017.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução CFM nº 2.121/2015. Diário Oficial da União. Brasília, 24 set. 2015. Disponível em: http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2015/2121_2015.pdf. Acesso em: 25 jun. 2017.

CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Pacto de San José da Costa Rica. San José da Costa Rica, 22 nov. 1969. Disponível em: http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/instrumentos/sanjose.htm. Acesso em: 20 nov., 2017.

FRANÇA, Genival Veloso. Intervenções Fetais – Uma Visão Bioética. In: BARBOZA, Heloísa Helena; MEIRELLES, Jussara M.L.; BARRETO, Vicente Paulo. (Orgs.). Novos Temas de Biodireito e Bioética. Rio de Janeiro: Renovar, 2003. p. 27- 48.

FRANÇA, Genival Veloso. A devida compreensão dos direitos e deveres em ginecologia e obstetrícia. Derecho y Cambio Social, Peru, pp.1-26, 2005.

GOMES, Júlio Cézar Meirelles. Aspectos éticos do diagnóstico pré-natal. Bioética, Brasília, v.11, n.2, pp. 117-128, 2004.

GRECHI, Daniela. O uso de células-tronco embrionárias: Incertezas e novas promessas para a medicina do futuro. Caxias do Sul: Educs, 2009.

KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 1986.

LOWI, Ilana. Detectando Más-Formações, Detectando Riscos: Dilemas Do Diagnóstico Pré-Natal. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 17, n. 35, pp. 103-125, 2011.

MIYADAHIRA, Seizo; FRANCISCO, Rossana Pulcineli Vieira; ZUGAIB, Marcelo. Aspectos Éticos da Terapêutica Fetal. In: MELO, Nilson Roberto; FONSECA, Eduardo Borges (Org.). Coleção Febrasgo: Medicina Fetal. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

POTECHI, Bruna. O Estatuto do Nascituro: quando os documentos legislativos constroem pessoas. Cadernos de Campo (São Paulo, 1991), v. 22, n. 22, pp. 315-325, 2014.

RECKZIEGEL, Janaína. Dignidade Humana em Risco: Existe Limites para Experiências Científicas? Prismas: Curitiba, 2016.

RECKZIEGEL, Janaína; MAISSONET, Luiz Henrique. Benefícios Da Clonagem Terapêutica E As Células-Tronco Embrionárias Frente Ao Princípio Da Dignidade Humana No Ordenamento Jurídico Brasileiro. In: XXIV ENCONTRO NACIONAL DO COMPEDI, p. 248-272, 2015, Aracaju. Anais Eletrônicos...Aracaju, UFS, 2015. Disponível em: https://www.conpedi.org.br/publicacoes/c178h0tg/51f4alp5/R2mopbRfSTWKJ041.pdf. Acesso em: 09 de set. 2017.

RODRIGUES, C. S. Sentidos, Limites E Potencialidades Da Medicina Fetal: A Visão Dos Especialistas. Dissertação - Mestrado em Saúde da Criança e da Mulher, Instituto Fernandes Figueira, Rio de Janeiro, 2010.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do Contrato Social. Tradução de Ana Resende. São Paulo: Martin Claret, 2013.

SÃO PAULO. Tribunal de Justiça. Apelação nº 1003834-7820138260053 – SP. Apelantes: Mário Sérgio da Silva e Aline Silva de Carvalho. Apeladas: Fazenda Do Estado De São Paulo e Hospital das Clinicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - Instituto da Criança. Relator: Heloísa Martins Mimessi. São Paulo, 29 ago. 2016. Disponível em: http: https://esaj.tjsp.jus.br/cjsg/getArquivo.do?conversationId=&cdAcordao=976493 2&cdForo=0&uuidCaptcha=sajcaptcha_369efc3b25e14be495194b9f4f846819&vlCaptcha=rRuh&novoVlCaptcha=. Acesso em: 29 nov. 2017.

SARLET, Ingo Wolfgang. Notas Sobre a Dignidade (da Pessoa) Humana no Âmbito da Evolução do Pensamento Ocidental. R. Opin. Jur., Fortaleza, v. 13, n. 17, pp. 249-267, 2015.

SCAVONE, Lucila. Nosso Corpo Nos Pertence? Discursos Feministas Do Corpo. Gênero, Niterói, v. 10, n. 2, pp. 47-62, 2010.

TUNA, Tiago Alexandre Ferreira. Cirurgia Fetal: Atualidade e Perspectivas Futuras. Dissertação -Mestrado Integrado em Medicina: Área Cirurgia Pediátrica. Faculdade de Medicina, Universidade do Porto, Porto, 2012.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2018.v14i3.2485

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo