A observância do princípio da proporcionalidade no direito comparado quanto à interceptação de dados digitais / The observance of the principle of proportionality in comparative law on digital data interception

Matheus Arcangelo Fedato, Luiz Fernando Kazmierczak

Resumo


 

RESUMO

O artigo se propõe a analisar como o princípio da proporcionalidade está sendo utilizado no contexto das interceptações informáticas, estando o tema ligado à vigilância digital para a garantia da segurança pública e a proteção da privacidade. A análise se dá pela observância de como ordenamentos jurídicos estrangeiros (EUA, Alemanha, Portugal) tratam a matéria, tendo em vista os programas de interceptação americanos e sua declarada guerra ao terrorismo, a jurisprudência alemã e a sua visão de proporcionalidade e Portugal pela regulamentação do tema por determinação da União Europeia. Constatou-se que a proporcionalidade tem sido utilizada como modo de balizar o conflito de interesses gerados pela colisão dos direitos fundamentais. A preservação da privacidade mostrou-se privilegiada, restando, como exceção, os programas de espionagem do governo norte-americano. Para atingir o objetivo do estudo, foi utilizado o método dedutivo, além de meios de pesquisa eletrônicos e bibliográficos.

Palavras-chave: Princípio da Proporcionalidade; Colisão de Direitos; Segurança Pública; Privacidade; Interceptação de dados.

 

ABSTRACT

The article proposes to analyze how the principle of proportionality is being used in the context of computer intercepts, linked the subject to the digital surveillance to guarantee public safety and the privacy protection. The analysis is based on observance of how foreign legal systems (USA, Germany, Portugal) deal with the matter, because of the American interception programs and their declaration of war on terrorism, the German jurisprudence and their view of proportionality and Portugal by regulating the subject by determination of the European Union. It has been observed that proportionality has been used as a means of assessing the conflict of interests generated by the collision of fundamental rights. The preservation of privacy has been privileged, with the exception of the espionage programs of the US government. To reach the study objective, the deductive method was used, as well as electronic and bibliographic research resources.

Keywords: Principle of Proportionality; Collision of Rights; Public Safety; Privacy; Data Interception.


Palavras-chave


Princípio da Proporcionalidade; Colisão de Direitos; Segurança Pública; Privacidade; Interceptação de dados.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALEMANHA. Lei Fundamental da República Federal da Alemanha. 1949. Trad: Assis Mendonça. Disponível em: https://www.btg-bestellservice.de/pdf/80208000.pdf Acesso em: 24 mai. 2017.

ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. 2. ed. Trad. Virgílio Afonso da Silva. São Paulo: Malheiros Editores, 2012.

ASSANGE, Julian. Quando o Google encontrou o Wikileaks. Trad. Cristina Yamagami. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Vigilância Líquida: diálogos com David Lyon. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BRASIL. STF. RHC nº 88371 SP, Relator: Min. Gilmar Mendes, Data de Julgamento: 14/11/2006. Segunda Turma, Data de Publicação: DJ 02-02-2007.

CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de Sociologia Jurídica. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

DA SILVA, Eliezer Gomes; GIACOIA, Gilberto. Provas lícitas não repetíveis, autorizadas por decisões com deficiência de fundamentação: nulidade e inadmissibilidade da prova, nas interceptações telefônicas, e o necessário emprego da técnica de ponderação. In: Anais do XXIV Congresso Nacional do CONPEDI - UFMG/FUMEC /Dom Helder Câmara – Processo Penal e Constituição. Florianópolis: CONPEDI, 2015.

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. Constitution of the United States. 1787. Disponível em: https://www.senate.gov/civics/constitution_item/constitution.htm Acesso em: 24 mai. 2017.

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. Patriot Act: Public Law 107th-56 OCT 26, 2001- To deter and punish terrorist acts in the United States and around the world, to enhance law enforcement investigatory tools, and for other purposes. 2001. Disponível em: https://www.congress.gov/107/plaws/publ56/PLAW-107publ56.pdf. Acesso em: 24 mai. 2017.

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. National Security Agency. Domestic Surveillance Directorate. Surveillance Techniques: How Your Data Becomes Our Data. Disponível em: https://nsa.gov1.info/surveillance/. Acesso em: 24 mai. 2017.

LICHTBLAU, Eric. Justice Dept. Lists Use of New Power to Fight Terror. The New York Times, 2003. Disponível em: http://www.nytimes.com/2003/05/21/politics/21PATR.html. Acesso em: 24 mai. 2017.

LUXEMBURGO. Corte de Justiça da União Europeia. Acórdão de C-293/12 e C-594/12 Direitos Digitais Irlanda, Seitlinger e Outros. Disponível em: http://curia.europa.eu/juris/document/document.jsf?text=&docid=150642&pageIndex=0&doclang=PT&mode=req&dir=&occ=first∂=1&cid=120934. Acesso em: 24 mai. 2017.

MONTEIRO, Tania; RIZZO, Alana. Abin monta rede para monitorar a internet. 2013. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,abin-monta-rede-para-monitorar-internet,1044500,0.htm. Acesso em: 24 mai. 2017.

MORAIS, Fausto Santos de. Ponderação e Arbitrariedade: A inadequada recepção de Alexy pelo STF. Salvador: Juspodvm, 2016.

MORAIS, Fausto Santos de; ZOLET, Lucas. Constitutional rights expansion and contributions from Robert Alexy’s theory / A expansão dos direitos fundamentais e a contribuição teórica de Robert Alexy. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, v. 12, n. 2, p. 127-136, dez. 2016. ISSN 2238-0604. Disponível em: https://seer.imed.edu.br/index.php/revistadedireito/article/view/1505/1006. Acesso em: 24 mai. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v12n2p127-136

O GLOBO. Relembre o caso de espionagem da NSA a cidadãos e empresas no Brasil. 2013. Disponível em: http://oglobo.globo.com/pais/relembre-caso-de-espionagem-da-nsa-cidadaos-empresas-no-brasil-9782018. Acesso em: 24 mai. 2017.

PINHEIRO, Patricia Peck. Direito Digital. 5. ed. rev. atual. ampl. São Paulo: Saraiva, 2013.

PORTUGAL. Lei n. 32/2008, de 17 de julho de 2008. Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2006/24/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de Março, relativa à conservação de dados gerados ou tratados no contexto da oferta de serviços de comunicações electrónicas publicamente disponíveis ou de redes públicas de comunicações. Disponível em: http://www.dre.pt/pdfgratis/2008/07/13700.pdf. Acesso em: 24 mai. 2017.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 11. ed. rev. e atual. Porto Alegre: Editora Livraria do Advogado, 2012.

SCHWABE, Jürgen. Cinquenta anos de jurisprudência do Tribunal Constitucional Alemão. Org. MARTINS, Leonardo. Trad. HENNIG, Beatriz. et al. Montevideo: KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG E. V., 2005.

UNIÃO EUROPEIA. Diretiva 24/2006, de 13 de abril de 2006. Relativa à conservação de dados gerados ou tratados no contexto da oferta de serviços de comunicações eletrônicas publicamente disponíveis ou de redes públicas de comunicações, e que altera a Diretiva nº 2002/58/CE. Disponível em: http://eur-lex.europa.eu/legal-content/en/TXT/?uri=CELEX:32006L0024 Acesso em: 24 mai. 2017.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2017.v13i3.2038

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo