Sigilo e segredo profissional na atividade do solicitador: uma perspectiva ética / Confidentiality and professional secrecy in solicitor activity: an ethical perspective

Jorge Bonito

Resumo


No âmbito de variadas atividades profissionais é comum escutar que as mesmas estão vinculadas ao sigilo e /ou ao segredo profissional. Em Portugal, os solicitadores atuam em todo o território nacional e perante jurisdição, instância, autoridade ou entidade pública e privada, exercendo o exercício do mandato forense e a consulta jurídica, nos termos da Lei n.º 49/2004, de 24 de agosto. O dever de guardar segredo profissional é encarado, nesta profissão, como uma regra de ouro. Este trabalho procura problematizar o significado dos dois vocábulos – sigilo e segredo – numa perspetiva ética. Mergulha, na continuação, na atividade do solicitador, analisando os dispostos regulamentares sobre o sigilo e o segredo profissional nos Estatutos da Ordem e do Código Deontológico dos Solicitadores e dos Agentes de Execução.


Palavras-chave


Sigilo. Segredo profissional. Solicitador

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AC. TRC. Processo 60/10.6TAMGR-A.C1, 2015, 4 de março. Disponível em: http://www.dgsi.pt/jtrc.nsf/8fe0e606d8f56b22802576c0005637dc/0807f73a3502e45880257e050050ff56?OpenDocument. Acesso em: 17 fev. 2017.

Ac. TRC (2015, 16 de junho). Processo 772/14.9GCVIS-A.C1. Disponível em: http://www.dgsi.pt/jtrc.nsf/8fe0e606d8f56b22802576c0005637dc/b693c7f0dc4f8a5980257e6c0030827b?OpenDocument. Acesso em: 17 fev. 2017.

ARNAULT, António. Introdução à Advocacia: História – Deontologia, Questões Práticas. 3.ª ed. Coimbra: Coimbra Editora, 1996.

CENAVIDA, Walter. Segredos profissionais. São Paulo: Malheiros Editores, 1996.

CANOTILHO, Gomes; MOREIRA, Vital. Constituição Anotada. 3.ª edição revista. Coimbra: Coimbra Editora, 1993.

COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. Tratado de Lisboa – Versão consolidada. Lisboa: Assembleia da República, 2008. Disponível em: https://www.parlamento.pt/europa/Documents/Tratado_Versao_Consolidada.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

CONSELHO DA EUROPA. Convenção Europeia dos Direitos do Homem. Strasbourg: Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, 2002. Disponível em: http://www.echr.coe.int/documents/convention_por.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

CRLISBOA. Consulta 39/2012, 2013. Disponível em: https://www.oa.pt/Conteudos/Pareceres/detalhe_parecer.aspx?idc=5&idsc=42945&ida=128027. Acesso em: 17 fev. 2017.

HOTTOIS, Gilbert; PARIZEAU, Marie-Hélène. Dicionário de bioética. Lisboa: Instituto Piaget, 1998.

OA – ORDEM DOS ADVOGADO. Código de Deontologia dos Advogados Europeus – Versão Oficial Portuguesa. Disponível em: http://www.oa.pt/conteudos/artigos/lista_artigos.aspx?idc=31633&idsc=56303. Acesso em: 17 fev. 2017.

ONU. Declaração universal dos direitos do Homem, 1948. Disponível em: http://www.vpgr.azores.gov.pt/Sites/cid/pdf/DUDH.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

OSAE – ORDEM DOS SOLICITADORES E DOS AGENTES DE EXECUÇÃO. Carta deontológica dos postulantes europeus. Disponível em: http: http://solicitador.net/apresentacao/relacoes-externas/carta-deontologica-dos-postulantes-europeus/. Acesso em: 15 fev. 2017.

PEREIRA, André Gonçalo. O sigilo médico: Análise do direito português. Conferência apresentada no Centro de Estudos Jurídicos e Judiciários da Região Administrativa Especial de Macau, República Popular da China, 2008. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/10576/1/O%20Sigilo%20M%C3%A9dico.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

SAMPAIO, Sime Sobral; RODRIGUES, Filipe Wingeter. Ética e sigilo profissional. Serviço social & sociedade, v. 117, p. 84-93, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n117/06.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

UNESCO. Declaração universal sobre o genoma humano e os direitos humanos. Da teoria à prática. Brasília: UNESCO, 1997. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001229/122990por.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.




DOI: https://doi.org/10.18256/2238-0604.2017.v13i3.1774

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo