Democracia nas cidades invisíveis: uma viagem para além da bilateralidade política / Democracy in the invisible cities: a voyage beyond the political bilateralism

Ana Paula Lemes de Souza, Rafael Lazzarotto Simioni

Resumo


RESUMO: Tomando como norte os protestos que eclodiram a partir do ano de 2011, incluindo a Primavera Árabe, os indignados espanhóis, os sindicatos de Wisconsin, os estudantes chilenos e o Occupy Wall Street, o fio condutor deste artigo é indagar a democracia na globalização. Usualmente, o movimento utilizou o slogan "Nós somos os 99%" e o discurso se baseava em uma desigualdade extrema e uma economia disfuncional. Embora as manifestações tenham cessado, ora por repressão, ora por exaustão, uma questão permaneceu: no mundo contemporâneo, altamente complexo, parece haver uma negação da política e de sua bilateralidade, em seu código oposição e situação, tendo a globalização encolhido ou expandido a política. Pretende-se, neste artigo, responder essa indagação, de forma a reconstruir a democracia, utilizando o viajante-mapa do romance As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino, como ponto de partida. Igualmente, objetiva-se revelar a bilateralidade política, discutir a globalização como o despertar de um movimento de ruptura e analisar o arquivo e a memória da democracia. Como resultado, observa-se que a democracia deve revelar a sua expansão para além da forma política estatal pluripartidária, reconstruindo, incessantemente, a política. Este artigo se utilizou dos aportes da teoria dos sistemas de Niklas Luhmann.

PALAVRAS-CHAVES: Niklas Luhmann. Democracia. Movimentos. Globalização. Política.

 

 

ABSTRACT: Taking as north the protests erupted from the year 2011, including the Arab Spring, the Spanish ‘indignants’, the Wisconsin unions, the Chilean students and the Occupy Wall Street, the common thread of this article is to ask the democracy in globalization. Usually, the movement used the slogan "We are the 99%" and the speech was based on extreme inequality and a dysfunctional economy. Although the manifestations have ceased, or by repression or by exhaustion, a question remained: in the contemporary world, highly complex, there seems to have a denial of the politic and its bilateralism, in its opposition and situation code, and probably the globalization shrunk or expanded the politic. This article intend to answer this question, in order to reconstruct democracy, using the traveler-map of the literary work Invisible Cities, by Italo Calvino, as a starting point. Also, aims to reveal the political bilateralism, discuss globalization as an awakening of a breakthrough movement and analyze the archive and the memory of democracy. As a result, it is observed that democracy must reveal its expansion beyond the multi-party state political form, rebuilding, incessantly, the politic. This article used the contributions of the systems theory of Niklas Luhmann.

KEYWORDS: Niklas Luhmann. Democracy. Movements. Globalization. Politic.


Palavras-chave


Niklas Luhmann. Democracia. Movimentos. Globalização. Política.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Profanações. Tradução de Selvino Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007.

ANTELO, Raúl. “O arquivo e o presente”. In: Gragoatá, v. 22, Niterói: EdUFF, 1º sem. 2007, pp. 43 – 61.

BENJAMIN, Walter. “O surrealismo: o último instantâneo da inteligência europeia”. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. Prefácio Jeanne Marie Gagnebin. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 2011 (Obras escolhidas v. 1), pp. 32-33.

BOVE, L. La Stratégie du Conatus. Affirmation et résistance chez Spinoza. Paris. Librairie Philosophique J. VRIN, 1996.

CALVINO, Italo. As Cidades Invisíveis. Rio de Janeiro: Biblioteca Folha de S. Paulo, 2003.

CARNEIRO, Henrique Soares. Apresentação. Rebeliões e ocupações de 2011. Em Harvey, D.; Davis, M.; Žižek, S.; Ali, T. & Safatle, V. P. Occupy: movimentos de protestos que tomaram as ruas. São Paulo: Boitempo: Carta Maior, 2012.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

DE GIORGI, Raffaele. Sobre o direito, Kafka, Dürrematt e a ideia de Luhmann sobre o camelo. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 29-43, Jan./Jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2016.

DE GIORGI, Raffaele. Direito, tempo e memória. Tradução de Guilherme Leite Gonçalves. São Paulo: Quartier Latin, 2006.

DERRIDA, Jacques. Mal de Arquivo. Tradução de Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

DERRIDA, Jacques. L’autre cap: seguido de “La démocratie ajournée”. Paris: Minuit, 1991.

DERRIDA, Jacques. Políticas de la amistad (seguido de El oído de Heidegger). Tradução de Patricio Peñalver. Madrid: Trotta, 1998.

DERRIDA, Jacques. El monolingüismo del otro. Buenos Aires: Manatial, 2012.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Tradução de Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994

DERRIDA, Jacques. Força de lei: o fundamento místico de autoridade. 2. ed. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Tradução de Miriam Schnaiderman e Renato Janini Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 1973.

LUHMANN, Niklas. El Derecho de la Sociedade. Tradução de Javier Torres Nafarrate. México: Universidad IberoAmericana, 2002.

LUHMANN, Niklas. Introdução à Teoria dos Sistemas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

LUHMANN, Niklas. Legitimação pelo procedimento. Brasília: Universidade de Brasília, 1980.

LUHMANN, Niklas. Teoría política en el Estado de Bienestar. Madrid: Alianza Universidad, 2007.

LUHMANN, Niklas. La Sociedad de la Sociedad. Ciudad de México: Helder, 2006.

LUHMANN, Niklas. Poder. Brasília: Universidade de Brasília, 1985.

LUHMANN, Niklas. Complejidad y modernidad: de la unidad a la diferencia. Madrid: Editorial Trotta, 1993.

LUHMANN, Niklas. "Jenseits von Barbarei", Gesellschaftsstruktur und Semantik. Studien zur Wissenssoziologie der modernen Gesellschaft. 1995. Frankfurt, Suhrkamp, vol. 4.

NEVES, Marcelo. Entre Têmis e Leviatã: uma relação difícil: O Estado Democrático de Direito a partir e além de Luhmann e Habermas. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

SIMIONI, Rafael Lazzarotto. A comunicação do poder em Niklas Luhmann. Revista Brasileira de Estudos Políticos, Belo Horizonte, v. 97, pp. 153-178, 2008.

ŽIŽEK, Slavoj. O Violento silêncio de um novo começo. Em Harvey, D.; Davis, M.; Žižek, S.; Ali, T. & Safatle, V. P. Occupy: movimentos de protestos que tomaram as ruas. São Paulo: Boitempo: Carta Maior, 2012. pp. 15-25.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v13n1p196-216

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo