A redução teleológica no ordenamento jurídico português: Análise de jurisprudência/Teleological reduction in Portuguese law: Case law analysis

Sérgio Coimbra Henriques

Resumo


A verificação de uma discordância entre o resultado da interpretação da lei no caso concreto e a finalidade desta coloca problemas interpretativos. A admissibilidade da redução teleológica, desconsiderando o elemento textual da interpretação, nunca poderá constituir uma forma de o intérprete ultrapassar os limites impostos pelo próprio sistema, em busca de uma solução do caso concreto radicada na sua percepção, com a qual se procura substituir ao legislador. Para comprovar este pressuposto metodológico, são analisadas diversas decisões dos tribunais portugueses que aplicam a redução teleológica.

Palavras-chave: Interpretação da lei, redução teleológica, análise jurisprudencial;

ABSTRACT

The result of the interpretation of the law can sometimes bring about solutions that aren’t in line with its purpose. The use of teleological reduction, which allows judges to disregard the textual element of a norm, is admissible but cannot be a way for the interpreter to go beyond the limits of the legal system as a whole, in order to achieve a solution that is solely based on his own perception of what is fair. In order to demonstrate this methodological assumption, we analyse Portuguese case law applying teleological reduction.

Keywords: Interpretation of the law, teleological reduction, case law analysis;


Palavras-chave


Interpretação da lei, Redução teleológica, análise jurisprudencial;

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALEXY, Robert “Interpretação teleológica e vinculação à lei”, Trad. Miguel Brito Bastos, Revista da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Coimbra, Coimbra Editora, 2012.

ALVES, Sílvia. “O espírito das leis – para uma teoria da interpretação da lei no século XVIII”, Separata Revista da FDUL, vol. XLII, n. 1, Coimbra, Coimbra Editora, 2001.

BATISTA MACHADO, J. Introdução ao Direito e ao discurso legitimador, Coimbra, Almedina, 1993.

BRONZE, Fernando José. Lições de Introdução ao Direito, Coimbra, Coimbra Editora, 2006.

CASTANHEIRA NEVES, António. Digesta. Escritos acerca do Direito, do Pensamento Jurídico, da sua Metodologia e Outros, Coimbra, Coimbra Editora, 1995.

CASTANHEIRA NEVES, António. Questão de facto questão de direito ou o problema metodológico da juridicidade: ensaio de uma reposição crítica. Coimbra, Tese de Doutoramento em Ciências Jurídicas apresentada à Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, 1967.

CRISP, Roger; SLOTE, Michael (Org.). Virtue Ethics, Oxford University Press, 1997.

DOMINGOS DE ANDRADE, Manuel. Ensaio sobre a interpretação das leis. Interpretação e aplicação das leis, Coimbra, Arménio Amado, 1963.

ENGISCH, Karl. Introdução ao Pensamento Jurídico, 3.ª Ed., Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1972.

FERRARA, Francesco. Ensaio Sobre a Teoria da Interpretação das Leis. Trad. Domingos de Andrade. Coimbra, Arménio Amado, 1987.

GRAU, Roberto Eros, Ensaio e discurso sobre a interpretação/aplicação do direito, São Paulo, Malheiros, 2005.

HESSE, Konrad. Escritos de Direito Constitucional, Madrid, Centro de Estudios Constitucionales, 1992.

LAMEGO, José. Hermenêutica e jurisprudência: análise de uma recepção, Lisboa, Editorial Fragmentos, 1990.

LARENZ, Karl. Metodologia da Ciência do direito. Trad. José Lamego. 7.a Ed., Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2014.

MAXIMILIANO, Carlos. Hermenêutica e aplicação do Direito, Rio de Janeiro, Forense, 2013.

MENEZES CORDEIRO, António. Da boa-fé no direito civil, Coimbra, Almedina, 1997.

MENEZES CORDEIRO, António. Tratado de Direito Civil Português, Coimbra, Almedina, 1999.

MENEZES CORDEIRO, António. Tratado de Direito Civil, Vol. I, Coimbra, Almedina, 2012.

OLIVEIRA ASCENSÃO, José de. “Direito Alternativo”, [s. d.], disponível em http://www.fd.ulisboa.pt/wp-content/uploads/2014/12/Ascensao-Jose-Oliveira-DIREITO-ALTERNATIVO.pdf (última consulta a 15-09-15).

OLIVEIRA ASCENSÃO, José de. “Lojas em centros comerciais; integração empresarial; forma – Anotação ao Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça de 24 de março de 1992”, Revista da Ordem dos Advogados, no. 54, 1994.

OLIVEIRA ASCENSÃO, José de. O Direito - Introdução e Teoria Geral, 11.a ed., Coimbra, Almedina, 2001.

PALMA, Fernanda. Direito Penal - Parte Geral, Lisboa, AAFDL, 1994.

PEREIRA, Rui. “A descriminação do consumo de droga”, in Líber Discipulorum para Jorge de Figueiredo Dias, Coimbra, Coimbra Editora, 2003.

PINTO DUARTE, Rui. “‘Convicção-crença’ nas decisões judiciais, Themis, Ano VI, n.º 6, Coimbra, Almedina, 2003.

PINTO MONTEIRO, António. “Cláusulas contratuais gerais: da desatenção do legislador de 2001 à indispensável interpretação correctiva da lei”, Revista de Legislação e Jurisprudência, Coimbra, Coimbra Editora, no. 3966, 2011.

PIRES DE LIMA; ANTUNES VARELA. Código Civil Anotado, 2.Ed., Coimbra, Coimbra Editora, 1979.

POÇAS, Luís. O Dever de Declaração Inicial do Risco no Contrato de Seguro, Coimbra, Almedina, 2013.

POÇAS, Luís. O Dever de Declaração Inicial do Risco no Contrato de Seguro, Coimbra, Almedina, 2013.

ROMANO MARTINEZ, Pedro. Direito das Obrigações (Parte Especial). Contratos. Compra e Venda. Locação. Empreitada, Almedina, Coimbra, 2000.

SANTOS JUSTO, A. Introdução ao Estudo do Direito, Coimbra, Coimbra Editora, 2012.

STRECK, Lenio Luiz. “O problema da decisão jurídica em tempos pós-positivistas”, Revista da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Coimbra, Coimbra Editora, 2012.

TAVARES, Alexandre Macedo. “O supremo tribunal de Justiça e a redução teleológica do alcance da denúncia espontânea: uma análise crítico-reflexiva”, Revista Tributária e de Finanças Públicas, 2008.

TEIXEIRA DE SOUSA, Miguel. Introdução ao Direito, Coimbra, Almedina, 2012.

TORRE, Ricardo Lobo, Normas de interpretação e integração do direito tributário, Rio de Janeiro, Renovar, 2006.

VÁRIOS. Lexit – Códigos Anotados & Comentados – Sociedades comerciais, Ginocar Produções, 2013.

VAZ TOMÉ, Maria João Romão Carreiro. “Sobre o contrato de mandato sem representação e o trust”, Revista da Ordem dos Advogados, Ano 67, Vol. III, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 15.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v12n1p141-162

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 2238-0604

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Direito está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

    
Periódicos CAPES  googlelogo_scholar.png
DOAJ.jpg
  
Diadorim.jpg
 
 dialnet.png
latindex.jpg
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png

 
circ.png
 
 miar.png

logo_base.gif
 
 
 logos_DOI_CrossRef_CrossChek.png
 
CiteFactor2.png
  
Scilit logo