Empreendedorismo em cenários complexos: uma visão da realidade atual e futura no Brasil a partir de análise comparativa

Cristiano Guimaraes Machado, Diogo Batista de Freitas Cruz, Flavia Braga Chinelato, Luiz César Fernandes da Silva

Resumo


Administrar as complexidades de 2015 tem sido uma das principais preocupações das empresas, de seus profissionais e, especialmente, de seus principais representantes, os donos. Embora esta seja uma preocupação geral, são as micro, pequenas e médias empresas as mais fragilizadas em cenários de crise. No entanto, antagonicamente, a abertura de novas empresas representauma alternativa a muitos profissionais nestes períodos.Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo discutir possíveis perspectivas para o empreendedorismo no Brasila partir de 2015, considerando a análise de cenário de complexidades análogas no período da crise financeira de 2008.Os resultados encontrados apontam uma tendência ao aumento do empreendedorismo inicial em cenários de crise, sendo a escassez de emprego opotencial motivador. Constatou-se ainda uma aparente relação entre o empreendedorismo por oportunidade e a taxa de empreendedores estabelecidos. Assim, uma das principais complexidades a serem administradas no atual cenário brasileiro é a percepção das oportunidades, uma vez que os empreendedores por necessidade possuem maior propensão à descontinuidade da atividade. 


Texto completo:

PDF

Referências


BANCO CENTRAL DO BRASIL (BCB). Relatórios diversos. Disponível em: www.bcb.org.br

BELLUZZO, Luiz Gonzaga. CARNEIRO, Ricardo. Globalização e Integração Perversa. Revista de Política Econômica em Foco, n. 1 – maio/ago. 2003.

BIANCARELI, André Martins. Liberalização Financeira, Fluxos de Capital, Financiamento Externo: Três momentos de um debate no Brasil (1989- 2002). Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto de Economia da Unicamp. 2003.

BRANCHER, I. B.; OLIVEIRA, E. M.; RONCON, A. Comportamento empreendedor: estudo bibliométrico da produção nacional e a influência de referencial teórico internacional. Internext – Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 166-193, jan./jun. 2012.

CASTILHO, M. (2011). Impactos da Crise Econômica Internacional Sobre O Comércio Exterior Brasileiro. In: Crise Financeira Global: mudanças estruturais e impactos sobre os emergentes. Livro 2. Rio de Janeiro: IPEA 2011.

CHESNAY, François (2008). “El fin de un ciclo. Alcance y rumbo de lacrisisfinanciera”. In: Grupo de Pesquisas Políticas para o Desenvolvimento Humano do Programa de Estudos pós-graduados em Economia Política da Sociedade Brasileira de Economia Política (org.). Primeiro Dossiê de textos Marxistas sobrea Crise Mundial. SBEP, p. 14-44.

DRUCKER, P. F. (1985). Innovation and entrepreneurship. New York: Harper & Row.

ÉSTHER, Angelo Brigato. Empreendedorismo: Contexto, Concepções e Reflexões. Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD, 8., 2014, Gramado. Anais... Gramado: ENEO, 2014.

FERRAZ, Fernando Cardoso. Crise Financeira Global: Impactos na Economia Brasileira, Política Economia e Resultados. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE) do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

FREITAS, M. C. P. Os efeitos da crise global no Brasil: aversão ao risco e preferência pela liquidez no mercado de crédito. Estudos Avançados, v. 23, n. 66, 2009.

FREITAS, M.C.; CINTRA, A.M. Inflação e Deflação de Ativos a Partir do Mercado Imobiliário Americano. Revista de Economia Política, vol.28, no 3 (111), pp.411-433, julho-setembro. 2008.

GIMENEZ, F. A. P., FERREIRA, J. M., RAMOS, S. C.. Configuração Empreendedora ou Configurações Empreendedoras? Indo um pouco além de Mintzberg. In: 32 Encontro Anual da ANPAD, 32,2008, Rio de Janeiro.Anais... Rio de Janeiro, ANPAD, 2008.

GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR. Empreendedorismo no Brasil. IBQP, 2006-2010; 2013.

GONTIJO, C. & OLIVEIRA, F. A.. Subprime: os 100 dias eu abalaram o capital financeiro mundial e os efeitos da crise sobre o Brasil. Belo Horizonte: 2011.

Hisrich, R. D., &; Peters, M. P. (2004). Empreendedorismo (5a ed). Porto Alegre: Bookman.

Jansen, P. G. W., & Van Wees, L. L. G. M. (1994). Conditions for internal entrepreneurship.Journal of Management Development, 13(9), 34-51.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LIMA, T.D & DEUS, L.N. A crise de 2008 e seus reflexos na economia brasileira. Revista Cadernos de Economia, Chapecó, v. 17, n. 32, p. 52-65, jan./jun. 2013.

MACEDOM. A. e PRATES, D. M. Fluxos de capitais internacionais para o Brasil desde os anos 90. Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica do Instituto de Economia da Unicamp, 2002.

MARTENS, C. D. P; FREITAS, H. Empreendedorismo no nível organizacional: um modelo conceitual para estudo da orientação empreendedora, suas dimensões e elementos. Revista Adm. MADE (Universidade Estácio de Sá), v. 11, p. 15-44, 2007.

OLIVEIRA, J. S.; PEREIRA, J. A.; SOUZA, M. C. D. Empreendedorismo, cultura e diversidade: a participação dos empreendedores negros nas atividades empreendedoras no Brasil no período de 1990 a 2008. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 11, n. 2, p. 7-30, 2013.

ROSSI, F., SCHMIDT, C.M; ALVEZ, J.K.D; DREHER M.T.Empreendedorismo Coletivo: a Experiência da Região Oeste do Paraná no Contexto do Turismo Sustentável . VIII Encontro de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Anais... Goiania, 2014.

SECRETARIA DE POLÌTICA ECONÔMICA. Relatório de gestão 2009. Mar. 2010. Disponível em: www.fazenda.gov.br/spe/publicacoes/institucional/relatoriosdegetao/relatoriogestao2009.pdf.

SILVA, Luiz César Fernandes. O Investimento Estrangeiro Direto na Economia Brasileira nos anos 90: Expectativas, resultados e diretrizes para a Política Pública. Dissertação de Mestrado, Fundação João Pinheiro- Escola de Governo. Belo Horizonte (MG), 2009.

SKIDELSKY, Robert. Keynes, o Regresso de Mestre. Tradução Sônia Oliveira. Texto Editores, 2009.

TIMMONS, J. A. et al. New Venture Creation: entrepreneurship in the 1999s. 3rd ed. IRWIN: Homewood, Boston, 1990.

VALE, G. M. V.Empreendedorismo, marginalidade e estratificação social. Revista de Administração de Empresas, v. 54, n. 3, p. 310-321, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v5n2p153-165

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.