Estilos de liderança: um estudo sobre a percepção dos funcionários de um supermercado da mesorregião central do Paraná

Joice Schley, Marcia Aparecida Zampier, Silvio Roberto Stefano, Marcos Roberto Kuhl

Resumo


Embora a liderança não seja uma ciência exata, pois está diretamente ligada ao comportamento das pessoas, sabe-se que nos dias atuais, uma liderança ativa deve representar um espelho para seus liderados. O objetivo principal do presente estudo consistiu em buscar qual a percepção dos líderes em relação ao estilo de liderança adotado aos seus subordinados, em uma das lojas de uma rede de supermercados. Para isso, realizou-se um estudo com abordagem quantitativa, de caráter descritivo. O questionário foi aplicado em 115 (cento e quinze) funcionários, ou seja, 62,25% do universo. Através da amostragem não probabilística com direcionamento dos questionários aos líderes e liderados, de uma rede de supermercados da mesorregião central do Paraná. O instrumento de pesquisa foi o questionário de Barreto et al. 2013, de modo que adaptou-se algumas questões, a fim de estruturar dentro do objetivo proposto. Os principais resultados foram: os líderes dirigentes apresentam características ligeiramente superiores aos líderes modeladores, e seguidos por líderes afetivos. Para conferência dos dados utilizou-se a Análise de Clusters e a Analise ANOVA, a segunda serve para testar se as médias de mais de duas populações são ou não significativamente diferentes. O presente trabalho demonstrou os diversos estilos de liderança e competências desenvolvidas pelo líder. Contudo, conclui-se que um líder pode desenvolver várias tendências na administração e gerenciamento de pessoas, porém precisa de flexibilidade caso tenha que incorporar outro estilo de liderança.

Texto completo:

PDF

Referências


Adizes, Ichak. (1995). Gerenciando as mudanças; o poder da confiança e respeito mútuos na vida pessoal, familiar dos negócios e na sociedade. 2.ed. São Paulo: Pioneira.

Associação Brasileira de supermercados Abras. (2012). Empresas investem mais no desenvolvimento de líderes. Disponível em: http://www.abras.com.br/clipping.php?area=3&clipping=29536. Acesso em: 20 de set. 2014.

Barreto, Leilianne Michelle Trindade da Silva. et al. (2013) Revista de Administração da Universidade de São Paulo. Cultura Organizacional e Liderança: uma relação possivel? Disponível em: Acesso em: 10 de set. 2014.

Bergamini, Cecilia. W. (1994) Liderança: a administração do sentido. Revista de Administração de Empresa, São Paulo, SP, v. 34, n. 3.

Bruni, A. L. (2011). Estatística Aplicada à Gestão Empresarial. 3 ed. São Paulo: Atlas.

Campos, Heliete Lopes et al. (2013). Revista Gestão & Planejamento. Estilos de liderança e interferência no nível de confiança organizacional: um estudo de caso. 2013. Disponível em: . Acesso em: 26 de ago. 2014.

Cobra, Marcos. (2006). Administração de marketing no Brasil. 2.ed. São Paulo: Cobra Ed. E Marketing.

Conceição Neto, Vera Lucia da. (2014). Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal de Pernambuco. Quem são os líderes de Pernambuco: modelos teóricos e práticas locais. Disponível em: http://www.ufpe.br/pospsicologia/images/Dissertacoes/2008/neto%20vera%20lcia%20da%20conceio.pdf.pdf>. Acesso em: 07 de set. 2014.

Costa Neto, Pedro Luiz de O. (2002). Estatística; 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher.

Duarte, Giselle Aparecida; PAPA Adriana de Cassia. (2011). Revista de Administração da Universidade Federal Santa Maria. A utilização da liderança situacional como diferencial estratégico para as organizações contemporâneas. Disponível em: . Acesso em: 26 de ago. 2014.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS. Trad. LoríViali. 2 ed. Porto Alegre: Artmed.

Fleury, M. T. L., Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea. Edição Especial. Disponível em: . Acesso em: 26 de ago. 2014.

Gallon, Shalimar; Bitencourt, Betina Magalhães; Fleck, Carolina, Freddo. (2013). A pesquisa sobre Liderança no Brasil: publicações no enanpad ao longo de 10 anos. Cadernos de Gestão e Empreendedorismo. Disponível em: Acesso em: 02 de ago. 2014.

Garner, John W. (1990). Liderança: sucesso e influência a caminho da modernidade. Rio de Janeiro: Record.

Gil, Antonio Carlos. (2010). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5 ed.São Paulo: Atlas.

Hunter, James. (2004). O Monge e o executivo: uma história sobre a essência da liderança. Rio de Janeiro: Sextante.

Isidro Filho, Antonio; Guimarães, Tomás de Aquino. (2008). Estilos de Liderança e Mecanismos de Aprendizagem em Organizações: análise de suas relações em uma organização financeira. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional. Disponível em: . Acesso em: 26 de ago. 2014.

Kotter, J. P. (2002). O Coração da Mudança. Rio de Janeiro: Campus.

Lacombe, F.; Heilborn, G. (2008). Administração: Princípios e Tendências. 2ª ed. São Paulo, Saraiva.

Ladeia, Bárbara. (2013). Os prós e contras de 6 estilos de liderança. Revista Exame. Disponível em: Acesso em: 25 de jul. 2014.

Limongi-França, Ana Cristina. (2006). Comportamento Organizacional: conceitos e práticas. São Paulo: Saraiva.

Maroco, J. (2003). Análise estatística – com utilização do SPSS. 2 ed. Lisboa: Edições Sílabo.

Mattar, Fauze. (2001). Pesquisa de marketing. Edição compactada. São Paulo: Atlas.

Maxwell, John C. (2008). Você nasceu para liderar: o maior treinador de líderes da atualidade ensina os segredos para desenvolver o líder que existe em você. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil.

Montana, Patrick; Charnov Bruce H. (2003). Administração. São Paulo: Saraiva.

Motta, Paulo Roberto. (1997). A ciência e a arte de ser dirigente. 8 ed. Rio de Janeiro: Record.

Posner, Barry; Kouzes, James. (2011). O coração da Liderança: os sete passos para estimular pessoas e aumentar resultados. 3 ed. São Paulo: Gente.

Possi, Marcus. (2006). Gerenciamento de projetos guia do profissional: aspectos humanos e interpessoais. Volume 2. Rio de Janeiro: Brasport.

Prodanov, C. C.; Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale.

Robbins, Stephen Paul. (2000). Administração: tradução e perspectivas. São Paulo: Saraiva.

Robbins, P. Stephen. (2005). Comportamento Organizacional. 11ª Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Santos, Nilcéia Cristina dos. et al. (2013). Anpad. A Relevância da Liderança no Brasil: Um Estudo Bibliométrico sobre a Produção Acadêmica no Período de 2007 a 2012. Enanpad Anais... Disponível em:Acesso em: 03 de ago. 2014.

Stefano, Silvio Roberto; et al. (2008). Liderança Orientada para Resultados: um estudo de múltiplos casos em instituições financeiras. Revista Capital Científico. Disponível em: http://revistas.unicentro.br/index.php/capitalcientifico/article/viewFile/813/924. Acesso em: 20 de set. 2014.

Tulgan, Bruce. (2009). Não tenha medo de ser chefe: como combater a epidemia de subgerenciamento e se tornar o líder de que sua equipe precisa. Rio de janeiro: Sextante.

Vergara, S. C. (2012). Gestão de pessoas. 12 ed. São Paulo: Ed. Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v5n2p139-152

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.