A comunicação organizacional interna: um estudo no Programa Nacional de Formação em Administração Pública da Universidade Estadual do Centro Oeste

Caroline Monteiro, Josiani Aparecida Karpinski, Juliane Sachser Angnes

Resumo


O objetivo geral deste artigo propôs identificar como ocorre o processo de comunicação organizacional interna, entre a secretaria do Programa Nacional de Formação em Administração Pública (PNAP) da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO) e os coordenadores dos cursos a esta vinculados, a partir da ótica dos agentes envolvidos no processo. Esta pesquisa, de caráter qualitativo, trata-se de um estudo de caso. Sendo assim, a coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas que foram direcionadas aos funcionários da secretaria do PNAP e aos Coordenadores de Curso de Especialização a fim de descobrir a forma de comunicação interna estabelecida entre estes atores, bem como, os principais elementos que dificultam o processo comunicacional organizacional interno. Por meio dos resultados encontrados observa-se que as formas de comunicação estabelecidas entre a secretaria e coordenadores de curso apontam a necessidade de um contato pessoal mais frequente entre estes agentes para que o processo comunicacional interno seja eficiente. 


Texto completo:

PDF

Referências


Araujo D. C. de, Simanki, E. S. S. & Quevedo, D. M. (2012, janeiro-março). Comunicação interna: relação entre empresa e colaboradores, um estudo de caso. Revista Brazilian Business Review. . 9(1), 47-64.

Blikstein, I. (2014). Técnicas de comunicação escrita. São Paulo: Ática.

Cardoso, O. de O. (2006, novembro-dezembro). Comunicação empresarial versus comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Revista de Administração Pública, 40(6).

Cavalcante, S. (2008) Gestão da comunicação organizacional: conhecendo as ferramentas e suas aplicabilidades. Monografia, curso de Gestão Empresarial e Pessoas, Universidade Potiguar, João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Franco, S. M. & Leão, A. L. M. de S.(2013). Codificando/Decodificando a comunicação organizacional: uma contribuição dos estudos culturais. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração. 7(1,).

Gil, A. C. (2001) Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S. (2010). O estudo de caso qualitativo. 115-143. In: Godoi, C. K.; Bandeira-de-Mello, R.& Silva, A. B. (org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Hall, R. (2004). Organizações: estruturas, processos e resultados. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Kunsch, M. M. K. (1997). Relações públicas e modernidade: novos paradigmas na comunicação organizacional. São Paulo: Summus.

Kunsch, M. M. K. (2009). Relações públicas e comunicação organizacional: das práticas à institucionalização acadêmica. Organicom – Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas. (10/11), 49-56.

Kunsch, M. M. K. (2012). Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. 4.ed. revisada, atualizada e ampliada. São Paulo: Summus.

Lupetti, M. (2009). Gestão estratégica da comunicação mercadológica. São Paulo: Cencage Learning.

Maitland, L.(2000). Administre seu tempo. 2ª. reimp. São Paulo: Nobel.

Marchiori, M. (2008). Comunicação Interna: um olhar mais amplo no contexto das organizações. Artigo apresentado em Congresso. Recuperado em 27 outubro, 2014, de http://www.alaic.net/alaic30/ponencias/cartas/com_org_yRP/ponencias/GT2_1marchiori.pdf

Michel, M. de O., Michel, J. & Porciúncula, C. G. (2013). A Comunicação Organizacional, as redes sociais e seus desafios: afetos e emoções nesse contexto. Revista Internacional de Relaciones Publicas, 3(6).

Nassar, P. (2004). O que é comunicação empresarial. São Paulo: Brasiliense.

Passos, S. J. F. dos. (2010) A comunicação organizacional e as novas ferramentas midiáticas. Revista Científica da FAI, 10(1), 94-104.

Pereira, F. M. & Saiz-Melo, P. G. (2009). Veículos de comunicação interna: oportunizando a comunicação estratégica. Artigo em anais de Congresso (ALICE). In: Jornada Acadêmica da Embrapa Soja. Resumos ... Londrina: Embrapa Soja. Recuperado em 27 outubro, 2014, de http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/575036.

Pimenta, M. A. (2010). Comunicação empresarial. Campinas: Alínea.

Rebechi, C. N. (2011). Comunicação nas relações de trabalho: análise crítica de vozes da comunicação organizacional no Brasil. Revista latino-americana de ciências de la comunicación, 6(10), 148-161. Recuperado em 1 outbro, 2015, de http://www.alaic.net/revistaalaic/index.php/alaic/article/view/92/87.

Robbins, S., Judge, T. & Sobral, F. (2010). Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. 14. ed. Tradução de Rita de Cássia Gomes. São Paulo: Prentice Hall.

Stoner, J. A. F. & Freeman, R. E. (1999). Administração. 5.ed. Rio de Janeiro: LTC.

Scroferneker, C. M. A. (2006). Trajetórias teórico-conceituais da Comunicação Organizacional. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia. (31).

Torquato, G. (2002). Comunicação empresarial, comunicação institucional: conceitos, estratégias, sistemas, estrutura, planejamento e técnicas. São Paulo: Summus.

Weil, P. (1992) Relações humanas na família e no trabalho. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes.

Wels, A. M. C. (2005). Estudando a comunicação organizacional: redes e processos integrativos. Revista Conexão – Comunicação e Cultura, 4(7), 73-86.

Wolton, D. (2006). É preciso salvar a comunicação. Trad. Vanise Pereira Dresch. São Paulo: Paulus.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v5n2p121-138

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.