A administração clássica: um estudo aplicado a centrais de atendimento (call center)

Jairo Moran Carvalho Ribeiro, Matias Lovison, Edeni Malta da Silva, Eliana Andréa Severo, Eric Henri Dorion

Resumo


As organizações modernas, a exemplo de operações de centrais de atendimento, ou call centers, tem atuado em diversas áreas de negócios, que pode ser do simples atendimento, como os serviços de atendimento a clientes - SAC, a grandes empresas com foco em cobrança, televendas ou operações diversas. Assim, a pesquisa buscou apresentar evidências do emprego das teorias clássicas da administração, através de estudo de casos, em dois Call Centers de empresas do Rio Grande do Sul vinculados à rede varejista de eletroeletrônicos e a distribuidora de energia elétrica. Embora, a natureza de atuação diversa entre as duas centrais analisadas, os princípios clássicos da administração se mostraram evidenciados em ambas as operações, a exemplo da racionalização do trabalho, controle das atividades, supervisão atuante, jornadas definidas, prêmios por produção, dentre outros elementos característicos dos princípios defendidos por Taylor, Fayol, Ford entre outros clássicos da administração.


Texto completo:

PDF

Referências


Azevedo, M. C., & Caldas, M.P. (2002). Seriam os call centers os sweatshops do século XXI, ANPAD, Recife.

Azevedo, M. C., & Caldas, M. P. (2005). O discurso evolucionista e a prática involutiva: um estudo empírico sobre o impacto de mudanças tecnológicas sobre o desenho do trabalho em call centers. ANPAD, Recife.

Azevedo, M. C., & Caldas, M. P. (2005). O discurso evolucionista e a prática involutiva: um estudo empírico sobre o impacto de mudanças tecnológicas sobre o desenho do trabalho em Call Centers. Revista Administração Contemporânea, 9(3). Curitiba. Recuperado em: 03 novembro, 2012, de http://dx.doi.org/10.1590/S141565552005000 300003

Ruspi, E., Muco, K., & Mitaj, A. (2014). Albanian Industry Problems and Perspectives, in Front of the Crisis and International Labor Allocation. European Journal of Sustainable Development, 2239-5938.

Bakker, A. B. (2007). The Job Demands-Resources model: state of the art. Journal of Managerial Psychology, 22(3), 309-328.

Bormio, M. F. Trabalho de teleatendente: proposta de um protocolo de avaliação ergonômica, 2012. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Bauru, 2012.

Braga, R. (2006). Infotaylorismo: o trabalho do teleoperador e a degradação da relação de serviço. Revista de Economía Política de las Tecnologías de la Información y Comunicación, 8(1).

Brown, L., Gans, N., Mandelbaum, A. Sakov, A., Shen, H., Zeltyn, S., & Zhao, L. (2004). Statistical analysis of a telephone call center: A queueing-science perspective, Technical Report, University of Pennsylvania.

Callaghan, G., & Thompson, P. (2002, March). We recruit attitude: the selection and shaping of routine call center labour. Journal of Management Studies. 39(2), 233-254, Oxford.

Caravantes, G. R., Panno, C. C., & Kloeckner, M. C. (2005) Administração: teorias e processos. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Carvalho, R. V. C. (2012). Quatro acepções do clássico nas teorias clássicas da Administração. VII Convibra Administração. Recuperado em 03 novembro, 2012, de http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_1252.pdf.

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & Silva, R. (2007). Metodologia científica (6a ed.) São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Costa, M. G. D. (2007). Em Busca de um Modelo Brasileiro de Mentoria e Liderança: o caso de uma organização de Call center. 2007. 335 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Empresarial) - Faculdade Boa Viagem, Recife.

Cruz, E. P., Paiva, C. F. C., & Silva, F. N. S. (2012). Modernidade da abordagem clássica da administração: um estudo no setor de faturamento de uma transportadora. Recuperado_em_03_novembro,_2012,_de: http://www.aedb.br/seget/artigos06/538_SEGET%202006%20III. pdf.

Etizioni, A. (1980). Organizações modernas. São Paulo: Livraria Pioneira Editora.

Gil, A.C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Handy, C. (1985). The future of work: a guide to a changin society (pp. 216-230). London: Blackwell Publishers.

Jacques, M. G., & Codo, V. (2002). Saúde mental & trabalho. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes.

Knapik, J. (2005). Administração geral e de recursos humanos. Curitiba: Ibpex.

Kobielus, J. (1994, April). Avoiding the high-tech sweatshop syndrome. Network World, 11(17), 32.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing. Uma orientação aplicada (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Maximiano, A. C. A. (2011). Administração para empreendedores (2a ed.). São Paulo: Pearson Education.

Maximiano, A. C. A. (2008). Teoria geral da administração. São Paulo: Atlas.

Morgan, G. (2007). Imagens da organização. São Paulo: Atlas.

Motta, F. C. P. (1977). Teoria geral da administração: uma introdução. São Paulo: Pioneira.

Motta, F. C. P. & Vasconcelos, I. F. G. (2001). Teoria geral da administração (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Montana, P. J. & Charnov, B. H. (2003). Administração (2ª ed.). São Paulo: Saraiva.

Mocelin, D. G. & Silva, L. F. S. C. (2008, agosto). O telemarketing e o perfil sócio-ocupacional dos empregados em call centers. Caderno CRH, 21(53), Salvador, BA.

Neto, A. S. (2008). (Re)formulação do conceito de prática administrativa: algumas reflexões sobre as funções administrativas propostas por Henri Fayol. Formación Gerencial, 7(2).

Park, K. H., Bonis, D. F., & Abud, M. R. (1997). Introdução ao estudo da administração. São Paulo: Pioneira.

Reis, A. M. D. (2012). Relações de trabalho no mundo juvenil: o caso da corporação McDonald (Florianópolis, 2000-2006). XXIV Simpósio Nacional de História– 2007. Recuperado em 03 setembro, 2012. http://ebookbrowse.com/gdoc.php?id=75683064&url=cd0d50fbdd63c970919e8b86d0b12dee.

Robbins, S. P. (2000). Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva.

Smith, I., & Trevor, B. (2005).British management theory and practice: the impact of Fayol. Management Decision, 43, 1317-1334.

Sadrul, I. S., & Mohammad R. A. K. (2013). Classical and neoclassical approaches of management: an overview – IOSR. Journal of Business and Management (IOSR-JBM), 14(6), 1-5.

Taylor, F. W. (1970). Princípios de Administração Científica (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Taylor, P., & Bain, P. (1999). An assembly line in the head: Work and employee relations in the call centre. Industrial Relations Journal, Oxford, Blackwell Publishers.

Vasconcelos, I. F. G., Motta, F. C. P., Pinochet, L. H. C., & Segalla, D. R. (2001). O lado humano da tecnologia: um estudo exploratório sobre os paradoxos organizacionais dos sistemas de informação. ANPAD, Campinas.

Vasconcellos, L. H. R., Marx, R., & Figueiredo, J. C. B. de. (2011). A Contribuição do Call center para a Inovação em Empresas de Serviço no Brasil. In: ENANPAD, XXXV, 2011, Rio de Janeiro, Anais. Rio de Janeiro, ANPAD, 2011.

Wahiduzzaman, Md., & Islam, H. (2011). Spatial distribution of call center and its importance as a new sector of outsourcing to Bangladesh. Asian journal of management research, Online Open Access publishing platform for Management Research.

Weber, M. (2002). Ensaio de sociologia (5a ed.). Rio de Janeiro: LTC.

Weber, M. (1980). Textos selecionados (2a ed.). São Paulo: Abril Cultural.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos (4a ed.). Porto Alegre: Bookman.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v5n1p49-58

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.