Estratégia como prática: um estudo em empresas incubadas de base tecnológica

Jaiane Aparecida Pereira, Marcia Cristina David de Souza, Luiz Tatto, Josiane Silva de Oliveira

Resumo


O presente artigo resulta de um estudo realizado em uma incubadora de base tecnológica localizada no Estado do Paraná objetivando analisar como os processos de formação de estratégias organizacionais, a partir de seu entendimento como prática social, se configuram em empresas incubadas e determinam os processos de inovação nesse contexto. Discute-se, a partir da filosofia do processo, como os processos de construção de estratégias organizacionais são articulados em relação à dinâmica social no qual os empreendedores estão imersos e formam as práticas em torno dos processos de inovação organizacional. Para tanto utilizou-se de uma abordagem qualitativa com entrevistas semiestruturadas como instrumento de coleta de dados. As análises das entrevistaqs foram construídas com base na técnica de análise de conteúdo. As categorias de análise foram construídas tendo por base a emergência e recorrência de alguns aspectos sobre o processo de construção das estratégias organizacionais, sendo eles: planejamento, tomada de decisão, flexibilidade da tomada de decisão, iniciativa individual e relacionamento com o mercado. A partir das análises dessas categorias pode-se perceber que o processo de estratégia nas empresas incubadas emerge segundo a concepção da estratégia como prática, sendo as estratégias formuladas de maneira menos formal e mais relacionadas ao tipo emergente.

 

 

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


Aktouf, O. (2002). Governança e pensamento estratégico: uma crítica a Michael Porter. Revista de Administração de Empresas, 42(3).

Albino, J. C, & Gonçalves, C. A. (2008). Estratégia como Prática: Uma proposta de Síntese? Anais do ENANPAD – Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, 32, Rio de Janeiro.

ANPROTEC. (2012). Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. Disponível em: . Acesso em: 15 de maio de 2012.

Bauer, M. W. (2007). Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: M. W. Bauer & G. Gaskell (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 6. ed. (pp. 189-217). Petrópolis: Vozes.

Bertero, C. O., Vasconcelos, F. C., & Binder, M. P. (2003). Estratégia Empresarial: A produção científica brasileira entre 1991 e 2002. Revista de Administração de Empresas, 43(4).

Bessant, J., & Tidd, J. (2009). Inovação e Empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman.

Blandy, B. A., & João, B. N. (2009). A Prática Estratégica: Aproximações entre a teoria e a Experiência Vivida. Anais do 3Es – Encontro de Estudos em Estratégia, 4, Recife.

Borges, C., Filion, L. J., & Simard, G. (2008). Jovens empreendedores e o processo de criação de empresas. Revista de administração Mackenzie, 9 (8).

Bringer, J. D., Johnston, L. H., & Brackenridge, C. H. (2004). Maximizing Transparency in a Doctoral Thesis: The Complexities of Writing About the Use of QSR*NVIVO Within a Grounded Theory Study. Qualitative Research, 4(2), 247-265.

Bromiley, P. & Rau, D. (2014). Towards a practice-based view of strategy. Strategic Management Journal, 35(8), 1249–1256.

Castro, S. C., & Machado, H. V. (2007). Empresas de base tecnológica egressas de incubadoras paranaenses: fatores de mortalidade. In: Causas de mortalidade de pequenas empresas. Maringá: Eduem.

Chia, R. (2004). Strategy-as-practice: reflections on the research agenda. Europenan Management Review, 1(1), 29-34.

Chia, R. (2007). Post-processual challenges for the emerging strategy-as-practice perspective: Discovering strategy in the logic of practice. Human Relations, 60(1), 217-242.

Clegg, S., Carter, C., & Kornberger, M. A. (2004). “Máquina Estratégica”: Fundamentos epistemológicos e desenvolvimentos em curso. Revista de Administração de Empresas Eletrônica, 44(4).

Cone, J. D., & Foster, S. L. (2006). Dissertations and theses from start to finish. 2 ed. Washington: American Psychological Association.

Denzin, N. K., & Lincoln, Y. S. (1994). Handbook of Qualitative Research. London: Sage.

Felton, C., & Langley, A. (2011). Strategy as Practice and the Narrative Turn. Organization Studies, 32(9), 1171-1196.

Fontana, A., & Frey, J. H. (1994). Interviewing: the art of science. In: N. K. Denzin, & Y. S. Lincoln. (Orgs). Handbook of Qualitative Research. London: Sage.

Geiger, D. (2009). Revisiting the Concept of Practice: Toward an Argumentative Understanding of Practicing. Management Learning, 40(1), 129-144.

Golsorkhi, D., Rouleau, L., Seidl, D., & Vaara, E.; (Eds.) (2010). Cambridge Handbook of Strategy as Practice, Cambridge University Press, Cambridge, Angleterre.

Greatti, L., & Previdelli, J. J. (2007). O uso do plano de negócios como instrumento de análise comparativa das trajetórias de sucesso e de fracasso empresarial. In: Causas de mortalidade de pequenas empresas. Maringá: Eduem.

Hannan, M. T., & Freeman, J. (1977). The population ecology of organizations. American Journal of Sociology, 82(5), 929-964.

INCUBADORA MARINGÁ. (2009). Incubadora Tecnológica de Maringá. Disponível em: . Acesso em: 20 de novembro de 2009.

Jarzabkowski, P. (2004). Strategy as Practice: Recursiveness, Adaptation, and Practices-in-Use. Organization Studies, 25(4), 529-560.

Jarzabkowski, P., & Whittington, R. (2008). A strategy-as-Pratice approach to strategy research and education. Journal of Management Inquiry, 17(4), 282-286.

Jarzabkowski, P., Balogun, J. & Seidl, D. (2007). Strategizing: the challenges of a practice perspective. Human Relations, 60(1), 5-27.

Leite-da-Silva, A. R., Carrieri, A. P. & Souza, E. M. (2012). A Constructionist Approach for the Study of Strategy as Social Practice. Brazilian Administration Review, 9, 1-18.

MCT. (2009). Ministério da Ciência e Tecnologia. Disponível em: . Acesso em: 22 de março de 2012.

Miles, M. B., & Huberman, A. M. (1994). Qualitative data analysis: an expanded sourcebook. 2 ed. Thousand Oaks: Sage.

Mintzberg, H. (1994). The rise and fall of strategic planning. New York: The Free Press.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2000). Safari de Estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman.

Pettigrew, A.; Thomas, H., & Whittington, R. (2002). Strategic Management: The strengths and limitations of a field. In: A. Pettigrew, H. Thomas, & R. Whittington. Handbook of strategy and management. London: Sage, 2002, 3-30.

Porter, M. (1980). Competitive strategy: techniques for analyzing industries and competitors. New York: The Free Press.

Saraiva, E. V., Carrieri, A. P., Aguiar, A. R. C. & Brito, V. G. B. (2011). Um “Pas de Deux” da Estratégia com a Arte: as Práticas do Grupo Corpo de Balé. Revista de Administração Contemporânea, 15(6), 1016-1039.

Greco, S. M. S. S., Bastos Junior, P. A., Machado, J. P., Felix, J. C, Silvestre, R. G. M., Passos, C. A. K., Schlemm, M. M., Meza, M. L. F. G., Rissete, C. R., Cunha, S. K., Bulgacov, Y. L. M., Camargo, D., & Réa, M. X. (2009). Empreendedorismo no Brasil 2008. Curitiba: Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade [IBQP].

Seidl, D. & Whittington, R. (2014). Enlarging the Strategy-as-Practice Research Agenda: Towards Taller and Flatter Ontologies. Organization Studies, 35, 1407-1421.

Tidd, J., Bessant, J., & Pavitt, K. (2008). Gestão da Inovação. Porto Alegre: Bookman.

Walter, S. A., & Augusto, P. O. M. (2009). O caleidoscópio da estratégia: o papel das consultorias externas no strategizing de uma organização. Anais do 3Es – Encontro de Estudos em Estratégia, 4, Recife.

Whittington, R. (2002). O que é estratégia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Whittington, R. (2004). Estratégia após o modernismo: recuperando a prática. Revista de Administração de Empresas Eletrônica, 44(4).

Whittington, R. (2006). Completing the Practice Turn in Strategy Research. Organization Studies, 27(5), 613-634.

Williamson, O. E. (1996). Economics and organization: a primer. California Management Review, 38(2). 131-146.

Wilson, D. C., & Jarzabkowski, P. (2004). Pensando e agindo estrategicamente: novos desafios para a análise estratégica. Revista de Administração de Empresas, 44(4).




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v4n2p161-176

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.