A inovação como estratégia competitiva das organizações: um ensaio teórico

Maiquel Silva Kelm, Daniel Knebel Baggio, Martinho Luis Kelm, Marcos Paulo Dhein Griebeler, Jorge Oneide Sausen

Resumo


O presente estudo tem como objetivo realizar um ensaio teórico sobre a temática da inovação. As definições de inovação são estudadas em uma perspectiva histórica e ainda compreendida como uma das estratégias competitivas das organizações neste ambiente complexo. Corresponde a uma pesquisa bibliográfica teórico-conceitual. Os resultados apresentados levam a conclusão que a inovação passar a ser um dos pontos fundamentais e, um dos instrumentos essenciais para a organizaçãoalcançar seu objetivo superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Arbix, G. (2010). Inovação: Estratégias de sete países. Brasília: ABDI.

Baldwin, John. (1996). Innovation: The Key to Success in Small Firms.In Evolutionary Economics and the New International Political Economy. Edited by J. de la Mothe and G. Paquette. London: Pinter.

Baldwin, John. (1999). Innovation, training and success. Working Paper. DOI:10.2139/ssrn.202229.

Baxter, M. (1998). Projeto de Produto: Guia Prático para o Desenvolvimento de Novos Produtos. 1a edição. São Paulo. Editora Edgard Blücher Ltda.

Boeker W. (1989). Strategic change: The effects of founding and history. Academy of Management Journal, vol. 32, p. 489-515.

Cometti, Nilton. (2013). Apresentação da SETEC no II SENITIF: Política de Inovação na Rede Federal. Disponível em: http://blogdareitora.ifsc.edu.br/files/apresentacao_inovacao_CONIF.pdf. Acesso em 28/03/2014.

Coutinho, Luciano G., & Ferraz, João Carlos. (1994). Estudo da competitividade da indústria brasileira. 4º ed. Campinas, Papirus.

Crawford, C. Merle. (1994). New Products management. 4ed. Burridge, Irwin.

Delmar F., & Shane, S. (2006). Does experience matter? The effect of founding team experience on the survival and sales of newly founded ventures. Strategic Organization, vol. 4, n. 3, p. 215-247.

Delmas, M. (2014). Innovating against European rigidities: institutional environment and dynamiccapabilities. BrenSchoolworkingpaper. Universidade da Califórnia. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.7.6983&rep=rep1&type=pdf. Acesso em 13/01/2014.

Dittrich, K., et al. (2004). Using networks for changing innovation strategy: the case og IBM. ERIM Report Series Research in Management.

Drucker, Peter. (2003). Inovação e Espírito Empreendedor. São Paulo: Thompson.

Duffy, J.; Kelly, J. (1989). United Front is Faster. Management Today, p. 131-139.

Eesley, C. E., Hsu, D.H., & Roberts, E. (2013). The Contingent Effects of Top Management Teams on Venture Performance: Aligning Founding Team Composition with Innovation Strategy and Commercialization Environment. Working Paper. Disponível em: http://ssrn.com/abstract=1498740.

Ferraz, J.C., Jupfer, D., & Haguenauer, L. (1996). El desafío competitivo para la industria brasileña. Revista de La Cepal, Santiago de Chile, v. 58.

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

Gellatly, Guy. (1999). Differences in Innovator and Non-Innovator Profiles: Small Establishments in the Business Services. Forthcoming Research Paper. Analytical Studies Branch. Ottawa: Statistics Canada.

Gort, M., & Klepper, S. (1982). Time Paths in the Diffusion of Product Innovations. Economic Journal, vol. 92, p. 630-53.

Greiner, L.E. (1972). Evolution and revolution as organizations grow. Harvard Business Review, vol. 50, n. 4, p. 37-46.

Hooley, G. J., Perin, M, & Sampaio, C. (2006). O impacto dos recursos da empresa na performance de inovação. In: 30º Encontro da ANPAD (EnANPAD 2006). Anais... Salvador.

Lambin, Jean-Jacques. (2000). Marketing Estratégico. Lisboa: McGraw Hill.

Maidique, M., & Patch, P. (1982). Corporate strategy and technological policy. In: Tushman, M.L., & Moore, W.L. (Ed.). Readings in the Management of Innovation. Marshfield, MA: Pitman.

Motta, Paulo Roberto. (1995). Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. 10. ed. Rio de Janeiro:Record.

Ofek, Elie & Sarvary, Miklos. (2003). R&D, Marketing, and the Success of Next-

Generation Products. Marketing Science, vol. 22, n. 3 (Summer), p. 355-370.

Ofek, Elie & Turut, Ozge. (2004). To Innovate or Imitate? R&D Decision and the Role of Market Research. Cambridge: Harvard Business School, Working Paper.

Pace, A, & Britto, E. (2003). Competitividade e inovação: Análise do setor de caminhões pesados no Brasil. 3Es – Encontros de Estudos em Estratégia, Anais...

Porter, Michael E. (1980). Competitive strategy. New York: Free Press.

Porter, M.E. (1991). Towards a dynamic theory of strategy. Strategic Management Journal, vol. 12, p. 95-117.

Sausen, J. O. (2012). Gestão estratégica, competitividade e desenvolvimento. In: Siedenberg, Dieter (Org.). Desenvolvimento sob múltiplos olhares. Ijuí: Ed. Unijuí, 2012. p. 207-267.

Schumpeter, J.A. (1988). A teoria do desenvolvimento economico. São Paulo: Nova Cultura.

Tidd, J., Bessant, John, & Pavitt, Keith. (2008). Gestão da inovação. 3ª. ed. Porto Alegre:

Tushman, M., & Nadler, D. (1997). Organizando-se para a inovação. In: Starkey, K. Como as organizações aprendem. São Paulo: Futura.

Vasconcelos, F; & Cyrino, A. (2000). Vantagem competitiva: os modelos teóricos e a convergencia entre estratégia e teoria organizacional. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 40, n. 4, p. 20-37

Zahra, A. & Ellor, D. (1993). Accelerating New Product Development and SuccessfulMarket Introduction. Cincinnati. SAM Advanced Management Journal, vol. 58, issue 1, p. 9-15.




DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v4n3p274-285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.