Relações Entre Tipos de Sistemas Orçamentários e Fatores Contingenciais no Setor Industrial

Pedro Oliveira Trocz, Simone Boruck Klein, Leandro Augusto Toigo, Franciele Wrubel

Resumo


Sistemas de controle gerenciais podem receber adaptações e inovações em resposta às variáveis contingenciais externas às organizações. O presente estudo visa verificar se existem relações entre os tipos de sistemas orçamentários e os fatores contingenciais que afetam o setor industrial. As variáveis contingenciais: ambiente, estrutura, estratégia, processo tecnológico e porte foram relacionadas à taxonomia orçamentária, à flexibilidade de mudanças no orçamento e ao processo de elaboração orçamentário. A coleta de dados foi realizada por questionário em 28 indústrias paranaenses. O tratamento dos dados envolveu frequência relativa e correlações canônicas, a fim de quantificar a força da relação entre as variáveis do estudo. O perfil da amostra foi predominantemente de empresas de grande porte e do setor alimentício, que utilizam o orçamento para direcionar os recursos, análise de desempenho e alinhamento com o planejamento estratégico. Os tipos de orçamento flexível e por atividade foram predominantes. Os resultados das correlações canônicas permitem inferir que a ênfase orçamentária em planos operacionais está relacionada à estrutura organizacional descentralizada e processos repetitivos, a ênfase orçamentária em comunicação interna relaciona-se a estratégias de custos e porte da organização, o orçamento contínuo relaciona-se a planos operacionais e processos customizados e as dimensões orçamento flexível e processo base zero relacionam-se a aspectos legais.


Palavras-chave


Variáveis contingenciais; Tipologias orçamentárias; Orçamento empresarial

Texto completo:

PDF

Referências


Abernethy, M. A., &Brownell, P. (1999). The role of budgets in organizationsfacingstrategicchange: anexploratorystudy. Accounting, organizationsandsociety, 24(3), 189-204.

Beuren, I. M. (2009). Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade. 3ª Edição. São Paulo: Atlas.

Beuren, I. M., &Fiorentin, M. (2014). Influência de Fatores Contingenciais nos Atributos do Sistema de Contabilidade Gerencial: um estudo em empresas têxteis do Estado do Rio Grande do Sul. Revista de Ciências da Administração, 16(38), 195-212.

Chagas, E. F. B.(2016). Material didático curso de estatística aplicada.www.researchgate.net/publication/315735440_Modulo5AnaliseMultivariadanoSPSS

Chapman, C. S., &Kihn, L. A. (2009). Information system integration, enablingcontroland performance. Accounting, organizationsandsociety, 34(2), 151-169.

Chenhall, R. H. (2003). Management control systems design within its organizationalcontext: findingsfromcontingency-basedresearchanddirections for the future. Accounting, organizationsandsociety, 28(2-3), 127-168.

Chenhall, R. H. (2007). Theorizing contingencies in management control systems research. Handbooksof management accountingresearch, 1, 163-205.

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2016). Métodos de Pesquisa em Administração-12ª Edição. McGraw Hill Brasil.

Corrar, L. J., Paulo, E., & Dias Filho, J. M. (2007). Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 280-323.

Covaleski, M. A., Evans III, J. H., Luft, J. L., & Shields, M. D. (2003). Budgetingresearch: threetheoretical perspectives andcriteria for selectiveintegration. Journalof Management AccountingResearch, 15(1), 3-49.

Da Silva, A. C., & Oliveira, R.C.M.G.(2008).Aplicação da abordagem contingencial na caracterização do uso do sistema de controle orçamentário: um estudo multicaso. JournalofInformation Systems and Technology Management, 5, 163-184.

Espejo, M. M. S. B., &Frezatti, F. (2008). Perfil dos atributos do sistema orçamentário sob a perspectiva contingencial: uma abordagem multivariada. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. D., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Feltrim,D&Buesa ,N.Y.(2013). Orçamento empresarial: Umaferramenta para tomada de decisão. Revista eletrônica gestão e negócios-Volume4-n°1.

Flamholtz, E. G. (1983). Accounting, budgetingandcontrol systems in theirorganizationalcontext: theoreticalandempirical perspectives. Accounting, organizationsandsociety, 8(2-3), 153-169.

Fraser, R. &Pflaeging, N.(2007). Os 12 princípios do “BeyondBudgenting”: Como organizações podem ir “além dos orçamentos”, deixando para trás a gestão por comando e controle. São Paulo: BBRT White Paper, 2007.

Frezatti, F. (2000). Orçamento Empresarial:Planejamento E Controle Gerencial .SP: Atlas.

Frezatti, F. (2005). Beyondbudgeting: inovação ou resgate de antigos conceitos do orçamento empresarial?. RAE-revista de administração de empresas, 45(2), 23-33.

Frezatti, F. (2006). Orçamento Empresarial. 3ª. Edição. São Paulo: Atlas.

Gimenez, L., Oliveira, A. B. S., Junior, A. R., &Parisi, C. (2009). Uma análise comparativa das propostas BeyondBudgeting e gestão econômica. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC.

Gordon, L. A., & Narayanan, V. K. (1984). Management accounting systems, perceived environmental uncertainty and organization structure: an empirical investigation. Accounting, organizations and society, 9(1), 33-47.

Gorla, M. C., &Lavarda, C. E. F. (2011). Influência de fatores contingenciais sobre o sistema orçamentário:estudo em uma empresa industrial têxtil. (Tese de Doutorado). Universidade Regional de Blumenau, FURB, SC, Brasil.

Hansen, S. C., Otley, D. T., & Van der Stede, W. A. (2003). Practicedevelopments in budgeting: an overview andresearch perspective. Journalof management accountingresearch, 15(1), 95-116.

Hansen, S. C., & Van der Stede, W. A. (2004). Multiplefacetsofbudgeting: na exploratoryanalysis. Management accountingresearch, 15(4), 415-439.

Hope, J., & Fraser, R. (2003). Beyondbudgeting: how managers can break freefromtheannual performance trap. Harvard Business Press.

Hyvönen, J. (2007). Strategy, performance measurement techniques and information technology of the firm and their links to organizational performance. Management Accounting Research, 18(3), 343-366.

Junqueira, E. R. (2010). Perfil do sistema de controle gerencial sob a perspectiva da teoria da contingência (Tese de Doutorado) Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

King, R., Clarkson, P. M., & Wallace, S. (2010). Budgetingpracticesand performance in small healthcare businesses. Management AccountingResearch, 21(1), 40-55.

Lavarda, C. E. F., Gorla, M. C., Lavarda, R. B., Angonese, R.(2016). The InfluenceofContingencyFactorsontheDevelopmentof a Budgeting System in a BrazilianTextile Manufacturing Company. Revista Gestão. Org, 14(1), 115-124.

Libby, T., & Lindsay, R. M. (2010). Beyondbudgetingorbudgetingreconsidered? A surveyof North-American budgetingpractice. Management accountingresearch, 21(1), 56-75.

Lunkes, R. J. (2003). Contribuição à melhoria do processo orçamentário empresarial.

Marconi, M. D. A., & Lakatos, E. M. (2004). Metodologia de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Merchant, K. A. (1984). Influencesondepartmentalbudgeting: Anempiricalexaminationof a contingencymodel. Accounting, organizationsandsociety, 9(3-4), 291-307.

Merchant, K. A. (2007). O modelo do sistema de orçamento corporativo: influências no comportamento e no desempenho gerencial. Revista de Contabilidade e Organizações, 1(1), 107-124.

Otley, D. (1994). Management control in contemporaryorganizations: towards a wider framework. Management accountingresearch, 5(3-4), 289-299.

Parias, L.D.B. (2005).Estadistica como apoyo a la investigacion.El Autor.

Porter, M. E. (1980). Industrystructureandcompetitivestrategy: Keys toprofitability. Financial analystsjournal, 30-41.

Serwen, L. (2002). Solutions for Better Planning: What a NationalSurveyReveals. New York, NY: Financial ExecutivesInstituteResearch Foundation.

Sharma, D. S. (2002). The differentialeffectofenvironmentaldimensionality, size, andstructureon budget system characteristics in hotels. Management AccountingResearch, 13(1), 101-130.

Silva, A. C. D., & Gonçalves, R. C. D. M. (2008). Aplicação da Abordagem Contingencial na Caracterização do uso do Sistema de Controle Orçamentário: um Estudo Multicaso. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação. Journal of Information Systems and Technology Management, 5(1), 163-184.

Sponem, S., & Lambert, C. (2016). Exploringdifferences in budget characteristics, roles andsatisfaction: A configurational approach. Management AccountingResearch, 30, 47-61.

Van der Stede, W. A. (2001). Measuring ‘tight budgetary control’. Management Accounting Research, 12(1), 119-137.

Verhagem, J. A., &Lavarda, C. E. F. (2011). Inovações no processo orçamentário a luz da abordagem contingencial: o caso de uma empresa de grande porte do sul do Brasil. In Congresso ANPCONT.

Voss, W. A. M. (2014). A percepção das variáveis contingenciais nas críticas à adoção e ao uso do orçamento.

Weston, J. F., &Brigham, E. F. (2000). Fundamentos da administração financeira.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2021.v11i1.4164

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Pedro Oliveira Trocz, Simone Boruck Klein, Leandro Augusto Toigo, Franciele Wrubel

Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED Business School – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Vila Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo/RS – Brasil Tel.: +55 51 4004-4818

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.