Sustentabilidade: uma Abordagem das Percepções de Professores do Ensino Superior

Cleunice Zanella, Silvana Dalmutt Krüger, Rodrigo Barichello

Resumo


A pesquisa objetiva identificar as percepções dos professores de uma instituição de ensino superior localizada no município de Chapecó (SC) acerca da temática sustentabilidade. Quanto às características metodológicas, o estudo se caracteriza como descritivo, realizado por meio de survey, com aplicação de questionários para a amostra composta por 97 professores atuantes na instituição. Os resultados evidenciam que 54,9% dos respondentes relacionam a temática sustentabilidade com a abordagem de cunho ambiental, 33,8% relacionam às questões sociais, enquanto 11,3% ponderam a abordagem econômico-financeira. Quanto ao conceito, 72,2% consideram que a sustentabilidade envolve a preocupação e ações conjuntas que consideram o desempenho econômico, financeiro, ambiental e social. Entre as preocupações e objetivos das organizações, 74,5% da amostra indica a qualidade dos produtos ou serviços; 67,0% consideram o consumo consciente e responsável dos recursos naturais e 64,0% indicam o uso de tecnologias limpas, como fator importante para o contexto organizacional. Destaca-se a importância das discussões acerca da sustentabilidade, especialmente no ambiente acadêmico, em prol da conscientização dos objetivos do desenvolvimento sustentável.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Desenvolvimento Sustentável; Ensino Superior

Texto completo:

PDF

Referências


Abu-Alruz, J., Hailat, S., Al-Jaradat, M., & Khasawneh, S. (2018). Attitudes toward pillars of sustainable development: the case for university science education students in Jordan. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 64-73.

Albarello, E. P. (2011). As transformações recentes na cadeia suinícola e suas consequências no desenvolvimento local: o caso do médio alto Uruguai gaúcho. (Dissertação de Mestrado). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Ijuí, RS.

Ambrozini, L. S. (2017). Pressões internas e externas na utilização de padrões de divulgação de informações socioambientais amplamente aceitos: uma análise sobre estrutura de governança corporativa, ambiente institucional e a perspectiva de legitimação. Revista Contemporânea de Contabilidade, 14(31), 3-25.

Barin-Cruz, L., Pedrozo, E., & Martinet, A. C. (2007). Estratégia de desenvolvimento sustentável: integração matriz/filial numa multinacional siderúrgica europeia. Revista Eletrônica de Administração, 13, 1-22.

Barth, M. (2018). Many roads lead to sustainability: a process-oriented analysis of change in higher education. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 64-73.

Becker, D. V., Ávila, L. V., Nascimento. L. V. M., & Madruga, L. R. L. G. (2015). Educação para a sustentabilidade no ensino superior: o papel do docente na formação do administrador. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 19(3), 615-628.

Brunstein, J., Jaime, P., Curi, D. P., D’Angelo, M. J., & Mainardes, E. W. (2015). Assessment and evaluation of higher education in business management: an analysis of the Brazilian case in the light of social learning theory for sustainability. Assessment & Evaluation in Higher Education, 40(6), 833-854.

Camargo, T. F., Zanin, A., Mazzioni, S., Moura, G. D., & Afonso, P. S. L. (2018). Sustainability indicators in the swine industry of the Brazilian state of Santa Catarina. Environment, Development and Sustainability, 20(1), 65-81.

Campos, S. A. P., Estivalete, V. F. B., & Machado, M.S. (2008). Perspectivas da sustentabilidade e a relação com os stakeholders: um estudo envolvendo uma rede horizontal do segmento do varejo. In Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente, Porto Alegre, 2008. Anais... Porto Alegre.

Correa, J., Gonçalves, M., Sanches, S., & Moraes, R. (2018). Disclosure socioambiental de empresas norte-americanas listadas na Nyse: características e os possíveis fatores para a divulgação voluntária. Contabilidade Vista & Revista, 28(2), 53-77.

Costa, T., & Santos, S. S. (2009). Organizações da sociedade civil e as construções teóricas contemporâneas acerca da sustentabilidade. Cadernos Gestão Social, 2(1), 105-120.

Elkington, J. (1998). Cannibals with forks: the triple botton line of 21st century business. Philadelphia: New Society.

Fernandes, A. R. de., Fonseca, S. E., & Cunha, C. L. (2018). Responsabilidade social e influências sobre retornos de cotações: um estudo acerca do desempenho de índices de sustentabilidade. Revista Administração em Diálogo, 20(1), 25-39.

Feil, A. A., & Schreiber, D. (2017). Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cadernos EBAPE.BR, 15(3), 667-681.

Franco, I. T., Teixeira, M. G., De Azevedo, D. B., & Moura-Leite, R. C. (2015). A inserção da temática de sustentabilidade na formação de futuros gestores: como os professores se deparam com o assunto? Administração: Ensino e Pesquisa, 16(3), 571-607.

Ghoshal, S. (2005). Bad management theories are destroying good management. Practices Academy of Management Learning & Education, 4(1), 75-91.

Hofman-Bergholm, M. (2018). Changes in thoughts and actions as requirements for a sustainable future: a review of recent research on the finish educational system and sustainable development. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 19-30.

Kruger, S. D., & Petri, S. M. (2019). Avaliação da sustentabilidade da produção suinícola sob o enfoque das externalidades. Revista Universo Contábil, 14(2), 137-161.

Kruger, S. D., Zanella, C., Barichello, R., & Petri, S. M. (2018). Sustentabilidade: uma abordagem acerca das percepções dos acadêmicos de uma instituição de ensino superior de Santa Catarina. Revista GUAL, 11(3), 86-104.

Kruger, S. D., Pfitscher, E. D., Uhlmann, V. O., & Petri, S. M. (2013). Sustentabilidade ambiental: estudo em uma instituição de ensino catarinense. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(1), 98-112.

Lazaretti, K., Giotto, O. T., Sehnem, S., & Bencke, F. F. (2019). Building sustainability and innovation in organizations. Benchmarking: an International Journal, ahead-of-print.

Mebratu, D. (1998). Sustainability and sustainable development: historical and conceptual review. Environmental Impact Assessment Review, 18(6), 493-520.

Paiva, L. E. B., Lima, T. C. B., Rebouças, S. M. D. P., Ferreira, E. M. D. M., & Fontenele, R. E. S. (2018). Influência da sustentabilidade e da inovação na intenção empreendedora de universitários brasileiros e portugueses. Cadernos EBAPE.BR, 16(4), 732-747.

Paula, A. P. P. D., & Keinert, T. M. M. (2016). Inovações institucionais participativas: uma abordagem exploratória da produção brasileira em administração pública na RAP e no EnAPG (1990-2014). Cadernos EBAPE.BR, 14(3), 744-758.

Petarnella, L., Silveira, A., & Machado, N. S. (2017). Educação ambiental e ensino de sustentabilidade: reflexões no contexto da administração. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 6(1), 1-12.

Quintero, Y. A. R., Faria, M. C., & Llamarte, C. S. (2017). Responsabilidad social en universidades de gestión privada en Barranquilla, Colombia. Revista de Ciencias Sociales, 23(3), 48-62.

Raupp, F. M., & Beuren, I. M. (2004). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In Beuren, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas. p. 76-97.

Santiago-Brown, I., Metcalfe, A., Jerram, C., & Collins, C. (2015). Sustainability assessment in wine-grape growing in the new world: economic, environmental, and social indicators for agricultural businesses. Sustainability, 7(7), 8178-8204.

Sehnem, S. (2019). Circular business models: babbling initial exploratory. Environmental Quality Management, 28(1), 83-96.

Sehnem, S., Santos, A. A. P., & Silva, C. G. (2019). Is the sustainability a driver of the circular economy? Social Responsibility Journal, 1, p. 1747-1117.

Trigo, A. G. M., Lima, R. S. X., & Oliveira, D. M. de. (2014). Índice de sustentabilidade socioambiental no ensino. Revista de Administração da UFSM, 7, 07-22.

Trindade, N. R., Marques, C. S., Piveta, M. N., Favarin, R. R., Telocken, S. G., & Trevisan, M. (2018). Educação para sustentabilidade e teorias de aprendizagem: um estudo bibliométrico dos últimos 10 anos. Revista de Administração da UFSM, 11 (especial), 402-420.

United Nations, World Commission on Environment and Development. (1987). Our common future: report of the World Commission on Environment and Development.

United Nations Global Compact. (2015). Recuperado em 22 de janeiro, 2019, de https://www.unglobalcompact.org/.

Veisson, M., & Kabaday, A. (2018). Exploring the preschool teachers’ views on professionalism, quality of education and sustainability: international study in Estonia and Turkey. Journal of Teacher Education for Sustainability, 20(2), 5-18.

Zamberlan, J. F., Bortolotto, R. P., Ramos, J. P., Cabral, H., Jesus, G.M., Leão, D., & Frizzo, K. (2015). A sustentabilidade no ensino técnico em administração: currículo oficial ou oculto. HOLOS, 31(1), 214-226.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i2.3499

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.