Ageismo nas Organizações: Questões para Debate

Romário Alves da Silva, Diogo Henrique Helal

Resumo


O objetivo do ensaio teórico é discutir o fenômeno ageismo no ambiente organizacional e suas influências no processo do envelhecimento. Trata-se de uma temática relevante, em função do processo de envelhecimento da população mundial e das representações negativas de tal processo. O artigo traz definições sobre o processo do envelhecimento, partindo do princípio que este é de cunho singular e multifacetado. Em seguida, discute a importância do trabalho e suas influências identitárias, sociais e pessoais para o sujeito idoso, assim como discute o fenômeno ageismo, termo utilizado para todo e qualquer preconceito e discriminação que envolva o fator idade. Conclui-se que existe a necessidade de combater e modificar o modo que o sujeito idoso é visto no ambiente organizacional.


Palavras-chave


Ageismo; Envelhecimento; Mercado de Trabalho; Preconceito

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Achenbaum, W. A. (2015). A history of ageism since 1969. Journal of the American Society on Aging, 39(3), 10-16.

Alves, C. M., & Alves, S. C. A. (2011). Aposentei e agora? Um estudo acerca dos aspectos psicossociais da aposentadoria na terceira idade. Revista Kaleidoscópio, 2, 01-16.

Athayde, M., Neves, N. Y., & Silva, E. S. (2004). Saúde mental e trabalho: um campo de estudo em construção. In M. Athayde et al. (Org.), Cenários do trabalho: subjetividade, movimento e enigma. Rio de Janeiro: DP & A.

Barros, A., & Muniz, T. S. (2014). O trabalhador idoso no mercado de trabalho do capitalismo contemporâneo. Ciências Humanas e Sociais, 2(1), 103-116.

Beauvoir, S. (1990). A velhice. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Bourry, E. C. M. S., & Oliveira, L. B. (2017). Transição de carreira após a demissão: uma pesquisa com trabalhadores na maturidade. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração, São Paulo.

Butler, R. N. (1969). Age-ism: another form of bigotry. The Gerontologist, 9(4), 243-246.

Butler, R. N. (1980). Ageism: a foreword. Journal of Social Issues, 36(2), 08-11.

Cepellos, V. M., & Tonelli, M. J. (2017). Envelhecimento profissional: percepções e práticas de gestão da idade. Revista Alcance, 24(1), 04-21.

Chonody, J. (2016). Positive and negative ageism: the role of benevolent and hostile sexism. Affilia: Journal of Women and Social Work, 31(2), 207-218.

Codo, W. (2006). Um diagnóstico do trabalho - em busca do prazer. In W. Codo (Org.). Por uma psicologia do trabalho: ensaios recolhidos. (75-97). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Codo, W., Menezes, I. V., & Soratto, L. (2004). Saúde mental e trabalho. In J. C. Zanelli, J. E. Borges-Andrade, & A. V. B. Bastos (Orgs.), Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

Couto, M. C. P. P., Koller, S. H., Novo, R., & Soares, P. S. (2009). Avaliação de desempenho contra idosos no contexto brasileiro - ageismo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(4), 509-518.

Dawalibi, N. W., Anacleto, G. M. C., Witter, C., Goulart, R. M. M., & Aquino, R. de C. de (2013). Envelhecimento e qualidade de vida: análise da produção científica da Scielo. Estudos de Psicologia, 30(3), 393-403.

Duarte, C. V., & Silva, L. L. M. (2009). Expectativas diante da aposentadoria: um estudo de acompanhamento em momento de transição. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 10(1), 45-54.

Fontaine, R. (2010). Psicologia do envelhecimento. Edições Loyola.

França, L. H. de F. P., Siqueira-Brito, A. da R., Valentini, F., Vasques-Menezes, I., & Torres, C. V. (2017). Ageismo no contexto organizacional: a percepção de trabalhadores brasileiros. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 20(6), 762-772.

Goldani, A. M. (2010). Desafios do “preconceito etário” no Brasil. Educação e Sociedade, 31(111), 411-434.

Gonçalves, R. P. (2010). Envelhecer bem: recriando o cotidiano. Rio de Janeiro: Aquariana.

Griffin, B., Loh, V., & Hesketh, B. (2013). Age, gender, and the retirement process. In M. Wang (Ed.). The Oxford handbook of retirement. New York: Oxford University Press.

Helal, D., Nobrega, C., & Lima, T. (2017). Reflexões sobre a aposentadoria: perspectivas e desafios para os trabalhadores e para a gestão de pessoas. Anais do Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, Curitiba.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Agência IBGE Notícias.

Jyrkinen, M. (2014). Women managers, careers and gendered ageism. Scandinavian Journal of Management, 30, 175-185.

Levy, S. R., & Macdonald, J. L. (2016). Progress on understanding ageism. Journal of Social Issues, 72(1), 05-25.

Lima, T. B., & Helal, D. H. (2013). Trabalho na terceira idade: uma revisão sistemática da literatura brasileira entre 2008 e 2012. Gestão e Sociedade, 7(18), 369-394.

Loth, G., & Silveira, N. (2014). Etarismo nas organizações: um estudo dos estereótipos em trabalhadores envelhecentes. Revista de Ciências da Administração, 16(39), 65-82.

Malinen, S., & Johnston, L. (2013). Workplace ageism: discovering hidden bias. Experimental Aging Research, 39, 445-465.

Mucida, A. (2009). Escrita de uma memória que não se apaga: envelhecimento e velhice. Belo Horizonte: Autêntica.

Nelson, T. (2011). Ageism: the strange case of prejudice against the older you. In R. Wiener, & S. Wilborn (Eds.). Disability and aging discrimination: perspectives in law and psychology. New York: Springer.

Vanzella, E., Lima Neto, E. de A., & Silva, C. C. (2011). A terceira idade e o mercado de trabalho. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 14(4), 97-100.

Paolini, K. S. (2016). Desafio da inclusão do idoso no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 14(2), 177-182.

Silva, R. A. (2016). O idoso enquanto sujeito desejante e autônomo. Centro Universitário do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE, Brasil.

Siqueira-Brito, A. da R., França, L. H. F. P., & Valentini, F. (2016). Análise fatorial confirmatória da escala de ageismo no contexto organizacional. Avaliação Psicológica, 15(3), 337-345.

Torelly, I. W. O. (2008). A influência do trabalho na qualidade de vida do idoso e na sintomatologia depressiva. (Dissertação de mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Vergueiro, M., & Lima, M. (2010). O ageismo e os maus-tratos contra a pessoa idosa. Psychologica, 52(2), 185-208.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i1.3167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.