Lógicas Institucionais: Um Estudo em uma Organização Privada de Ensino Superior do Sul do Brasil

Marcela Bortotti Favero, Amanda Ferreira Guimarães

Resumo


Lógicas dominantes têm sido substituídas pela ideia de diversas lógicas institucionais que interagem entre si. Especificamente no que se refere ao sistema educacional, tais lógicas são conflitantes, caracterizando o campo como um sistema híbrido de lógicas institucionais. O presente trabalho teve por objetivo identificar quais são as lógicas institucionais presentes em uma organização de ensino superior privada na região noroeste do estado do Paraná. A pesquisa, qualitativa do tipo descritiva, compreendeu a realização de entrevistas semiestruturadas com os diretores das diferentes áreas da organização, sendo a análise estruturada por meio da técnica de análise de conteúdo. Por principais resultados, identificou-se que lógica de mercado é dominante na organização analisada. Outras lógicas para o andamento das atividades foram a de burocracia e a política. Verificou-se que o atendimento às lógicas dominantes levou ao surgimento de lógicas institucionais distintas, tais como profissões, cultura, tecnologia e diversidade. Diante disso, conclui-se que é a complexidade inerente às respostas às lógicas dominantes que leva a mudanças no cenário institucional.


Palavras-chave


Institucionalização; Educação; Mercado; Complexidade

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Almadoz, J. (2014). Founding teams as carriers of competing logics: when institutional forces predict bank’s risk exposure. Administrative Science Quartely, 59(3), 442-473.

Araujo, L. G. (2017). Lógicas institucionais e resposta estratégica em organizações híbridas: o caso das empresas juniores. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil.

Bardin, L. (1979). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bertels, S., & Lawrence, T. B. (2016). Organizational responses to institutional complexity stemming from emerging logics: the role of individuals. Strategic Organization, 14(4), 01-37.

Brasil (2014). Saiba como funciona o sistema de ensino superior no Brasil. Recuperado em 19 de dezembro, 2017, de http://www.brasil.gov.br/educacao/2009/11/ensino-superior

Brasil (2017). Ensino superior tem 8,05 milhões de alunos matriculados em 2016. Recuperado em 19 de dezembro, 2017, de http://www.brasil.gov.br/educacao/2017/08/ensino-superior-tem-8-05-milhoes-de-alunos-matriculados-em-2016

Bressan, C. L. (2004). Mudança organizacional: uma visão gerencial. Anais do I Seminário de Gestão de Negócios, Curitiba, Brasil.

Canhilal, S. K., Lepori, B., & Seeber, M. (2016). Decision-making power and institutional logic in higher education institutions: a comparative analysis of European institutions. In: Pinheiro, R., Geschwind, L., Ramirez, F. O., & VrangbÆk, K. Towards a comparative institutionalism: forms, dynamics and logics across the organizational fields of health care and higher education. Research in the sociology of organizations, 45, Emerald Group Publishing Limited.

Costa, M. C., Guarido Filho, E. R., & Gonçalves, S. A. (2013). Lógicas institucionais e formação da governança de recursos hídricos: análise do caso brasileiro. Revista de Gestão Organizacional, 6(4), 99-119.

Costa, M. C., & Mello, C. M. (2012). Mudanças e lógicas institucionais: panorama e proposta de conciliação entre três diferentes abordagens institucionalistas. Anais do VII Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD, Curitiba, Brasil.

Friedland, R., & Alford, R.R. (1991). Bringing society back in: symbols, practices, and institutional contradictions. In: Powell, W.W., & Dimaggio, P. The new institutionalism in organizational analysis (pp. 232-263). Chicago: University of Chicago Press.

Friedland, R. (2012). The institutional logics perspective: a new approach to culture, structure, and process. M@n@gement, 15(5), 583-595.

Greenwood, R., Raynard, M., Kodeih, F., Micelotta, E. R., & Lounsbury, M. (2011). Institutional complexity and organizational responses. The Academy of Management Annals, 5(1), 317-371.

Gümüsay, A. A. (2017). The potential for plurality and prevalence of the religious institutional logic. Business & Society, 01-27.

Haveman, H. A., & Gualtieri, G. (2017). Institutional logics. Oxford Research Encyclopedia of Business and Management.

Jackall, R. (1988). Moral mazes: the world of corporate managers. New York: Oxford University Press.

Kochhann, S. C., Rodrigues, L. A., & Moiseichyk, A. E. (2016). O fator institucional pode afetar valores e comportamentos segundo a lógica mercantilista e a dinâmica organizacional? Um estudo realizado sobre o ensino superior privado em administração. Saber Humano, 6(9), 58-76.

Lawrence, T. B., & Philips, N. (2004). From Moby Dick to Free Willy: macro-cultural discourse and institutional entrepreneurship in emerging institutional fields. Organization, 26(5), 689-711.

Lee, M. P., & Lounsbury, M. (2015). Filtering institutional logics: community logic variation and differential responses to the institutional complexity of toxic waste. Organization Science, 26(3), 847-866.

Ministério da Educação. (2015). Resumo técnico: censo da educação superior 2013. Recuperado em 16 de janeiro, 2018, de http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2013/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2013.pdf

Ministério da Educação. (2017). MEC e Inep divulgam resultado do Censo da Educação Superior de 2016. Recuperado em 03 maio, 2019, de http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/mec-e-inep-divulgam-dados-do-censo-da-educacao-superior-2016/21206

Meyer, R. E., & Hammerschmid, G. (2006). Changing institutional logics and executive identities: a managerial challenge to public administration in Austria. American Behavioral Scientist, 49(7), 1000-1014.

Semesp. (2018). Mapa do ensino superior no Brasil. 2018. Recuperado em 03 maio, 2019, de https://www.semesp.org.br/pesquisas/mapa-do-ensino-superior-no-brasil-2018/

Oliveira, J. S., & Mello, C. M. (2016). As lógicas institucionais no campo organizacional circo contemporâneo: uma etnografia multissituada no contexto Brasil-Canadá. Revista Alcance, 23(4), 475-494.

Quattrone, P. (2015). Governing social orders, unfolding rationality, and Jesuit accounting practices: a procedural approach to institutional logics. Administrative Science Quarterly, 60(3), 411-445.

Teixeira, M. G. (2012). A influência do hibridismo de lógicas institucionais no processo decisório de adoção de prática de governança corporativa: o caso Cooperativa Veiling Holambra. Tese de doutorado, Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil.

Thornton, P. H., & Ocasio, W. (1999). Institutional logics and the historical contingency of power in organizations: executive succession in the higher education publishing industry. American Journal of Sociology, 105(3), 801-843.

Thornton, P. H., & Ocasio, W. (2008). Institutional logics. In The sage handbook of organizational institutionalism. London, Sage Publications.

Thornton, P. H., Ocasio, W., & Lounsbury, M. (2012). The institutional logics perspective. Oxford: Oxford University Press.

Viana, M. F. (2016). Lógicas institucionais e estratégia como prática: uma abordagem construtivista. Tese de doutorado, Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, Brasil.

Vieira, M. M. F. (2016). Por uma boa pesquisa (qualitativa) em administração. In M. M. F. Vieira, & D. M. Zouain, Pesquisa qualitativa em administração. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Zajac, E. J., & Westphal, J. D. (2004). The social construction of market value institutionalization and learning perspectives on stock market reactions. American Sociological Review, 69, 433-458.

Zilber, T. B. (2011). Institutional multiplicity in practice: a tale of two high-tech conference in Israel. Organization Science, 22(6), 1539-1559.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i1.3076

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.