Impacto da Gestão do Capital de Giro na Rentabilidade das Empresas do Setor de Construção Civil

Alexandre Teixeira Norberto Batista, Roberto Silva da Penha, Wagner de Paulo Santiago, Handerson Leonidas Sales

Resumo


O objetivo deste artigo foi verificar o impacto da gestão do capital de giro na rentabilidade das empresas de capital aberto do setor de construção civil de 2007 a 2016. Para isso, foram observados alguns indicadores das empresas do setor ao longo desses anos e estimou-se um modelo econométrico a partir de uma análise com dados em painel. Como determinantes da rentabilidade do capital investido (ROI), variável dependente neste estudo, foram definidos indicadores de prazos médios: prazo médio de recebimento das vendas (PMR); prazo médio de renovação dos estoques (PME); prazo médio de pagamento ao fornecedor (PMP). Estimando a regressão com o modelo de efeitos aleatórios, apurou-se que as variáveis explicativas apresentam uma relação inversa com a rentabilidade dessas empresas a um nível de 1% de significância, com exceção do PMP. Implicando que um menor prazo para renovação dos estoques e das vendas proporciona uma maior rentabilidade para empresas do setor da construção civil. Evidencia-se também que a gestão do capital de giro da empresa impacta na rentabilidade das empresas do setor de construção civil.


Palavras-chave


Rentabilidade; Capital de Giro; Construção Civil

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Assaf Neto, A. (2012). Finanças corporativas e valor. São Paulo: Atlas.

Brasil, H. V., & Brasil, H. G. (2002). Gestão financeira das empresas: um modelo dinâmico. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Brasil, H. G., & Fleuriet, M. (2003). Fluxo de caixa e análise do posicionamento estratégico. Revista de Economia e Administração, 2(4), 01-21.

Bruni, A. L. (2010). Análise contábil e financeira. São Paulo: Atlas.

Breusch, T. S., & Pagan, A. R. (1979). A simple test for heteroscedasticity and random coefficient variation. Econometrica, 47(5), 1287-1294.

Chow, G. (1960) Tests of equality between sets of coefficients in two linear regressions. Econometrica, 28(3), 591-605.

Costa, R. B. L., Macedo, A. C. M., Câmara, S. F., & Batista, P. C. S. (2013). A influência da gestão do capital de giro no desempenho financeiro de empresas listadas na BM&FBovespa (2001-2010). Revista Contabilidade & Controladoria, 5(1), 65-81.

Deloof, M. (2003). Does working capital management affect profitability of Belgian firms?. Journal of Business Finance & Accounting, 30, 573-587.

Fávero, L. P. (2013). Dados em painel em contabilidade e finanças: teoria e aplicação. Brazilian Business Review, 10(1), 131-156.

Fávero, L. P., Belfiore P., Takamatsu, R. T., & Suzart, J. (2014). Métodos quantitativos com Stata®. Rio de Janeiro: Elsevier.

Fochezatto, A., & Ghinis, C. P. (2011). Determinantes do crescimento da construção civil no Brasil e no Rio Grande do Sul: evidências da análise de dados em painel. Ensaios FEE, 31, 648-678.

Gitman, L. J., & Zutter, C. J. (2010). Principles of managerial finance. Prentice Hall.

Gujarati, D. N., & Porter, D. C. (2011). Econometria básica. Porto Alegre: AMGH.

Hausman, J. A. (1978). Specification tests in econometrics. Econometrica, 46(6), 1251-1271.

Hoji, M. (2017). Administração financeira e orçamentária. São Paulo: Atlas.

Louzada, L. C. (2015). Relação entre a vantagem competitiva e o desempenho operacional da firma a partir do uso de métricas das demonstrações contábeis. (Tese de doutorado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Matarazzo, D. C. (2003). Análise financeira de balanços. São Paulo: Atlas.

McGahan, A. M., & Porter, M. E. (1997). How much does industry matter really?. Strategic Management Journal, 18, 15-30.

Oliveira, A. M. B., & Melo Sobrinho M. J. V. (2009). Gestão do capital de giro e capacidade de geração de caixa: um estudo sobre o desempenho de empresas brasileiras de construção civil. Anais do Congresso Brasileiro de Custos. Fortaleza, CE, 16.

Padachi, K. (2006). Trends in working capital management and its impact on firm’s performance: an analysis of Mauritian small manufacturing firms. International Review of Business Research Papers, 2(2), 45-58.

Palombini, N. V. N., & Nakamura, W. T. (2012). Key factors in working capital management in the Brazilian market. Revista de Administração de Empresas, 52(1), 55-69.

Pires, C. O. (2013). Fatores determinantes da necessidade de capital de giro corporativa. (Dissertação de mestrado) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, Brasil.

Porter, M. E. (2004). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier.

Rocha, T. A. R., Sousa, A. F., & Luporini, C. E. M. (2011). Relação entre indicadores de capital de giro e lucratividade das empresas listadas na BM&FBovespa. Anais do Seminários de Administração - Semead, São Paulo, SP, 14.

Samiloglu, F., & Demirgunes, K. (2008). The effect of working capital management on firm’s profitability: evidence from Turkey. The International Journal of Applied Economics and Finance, 2(1), 44-50.

Sousa, A. F., Luporini, C. E. M., & Souza, M. S. (1996). Gestão do capital de giro. Caderno de Pesquisa em Administração, 1(3), 01-29.

Wooldridge, J. M. (2002). Econometric analysis of cross section and panel data. Cambridge: MIT Press.

Young, S. D., & O’Byrne, S. F. (2003). EVA e gestão baseada em valor: guia prático para implementação. Porto Alegre: Bookman.

Zanré, R. (2008). Opção para o gerenciamento e a otimização do fluxo de caixa. Conjuntura da Construção, 6(3), 18-19.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i1.2993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.