A Mediação do Brand Equity na Relação entre as Evidências Físicas e a Intenção de Compra em Lojas de Cosméticos

Gabriela Cygainski Vaz, Mellina da Silva Terres

Resumo


O presente estudo busca entender o papel mediador do brand equity na relação entre as evidências físicas (fatores de ambiente, de design e social) na intenção de compra dos consumidores das lojas de cosméticos em geral. O brand equity, conceito que trata do valor da marca, ajuda a criar vantagem competitiva e agregar valor aos produtos e serviços oferecidos. Nesse sentido, com o aumento da competitividade entre as empresas, o brand equity tem sido uma área de pesquisa popular, entretanto, há poucos estudos empíricos que utilizem essa dimensão como mediadora. Além disso, o conceito de “evidências físicas” tem sido investigado recentemente por meio de pesquisas que demonstram a sua importância na influência do comportamento do consumidor. A partir dos resultados, foi possível realizar o teste de mediação que considerou as evidências físicas como a variável independente, a intenção de compra como variável dependente e o brand equity (qualidade percebida, lealdade e lembranças/associações de marca) como mediador, resultando em evidências substanciais que mostram que há relação mediadora indicada por este estudo. Tais achados oferecem contribuições aos varejistas e responsáveis pelo marketing das empresas de cosméticos ao identificar a importância de investir no ponto de venda como forma de obter valor de marca e consequente intenção de compra.


Palavras-chave


Evidências Físicas; Comportamento do Consumidor; Brand Equity; Intenção de Compra

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Aaker, D. A. (1991). Managing brand equity. New York: Free Press.

Aaker, D. A. (1998). Marcas: brand equity - gerenciando o valor da marca. São Paulo: Elsevier.

Abihpec (2014). Setor de cosméticos deve atingir projeção anual apesar da desaceleração. Recuperado em 14 de setembro, de 2015, de: http://www.abihpec.org.br/2014/10/setor-de-cosmeticos-deve-atingir-projecao-anual-apesar-da-desaceleracao

Appolinário, F. (2006). Metodologia da ciência: filosofia e prática de pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Ariffin, H. F., Bibon, M. F., & Abdullah, R. P. S. R. (2012). Restaurant’s atmospheric elements: what the customer wants. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 38, 380-387.

Baker, J., Grewal, D., & Parasuraman, A. (2003). The influence of store environment on quality inferences and store image. Ebsco Publishing.

Best, R. J., Hawkins, D. I., & Mothersbaugh, D. L. (2007). Comportamento do consumidor: construindo a estratégia de marketing. Rio de Janeiro: Elsevier.

Bitner, A. M. J. (1992). Servicescapes: the impact of physical surroundings on customers and employees. Journal of Marketing, 56, 57-71.

Blackwell, R. D., Miniard, P. W., & Engel, J. F. (2005). Comportamento do consumidor. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Blessa, R. (2003). Merchandising no ponto-de-venda. São Paulo: Atlas.

De Toni, D., Bacichetto, V. D. V., Milan, G. S., & Larentis, F. (2014). A relação entre conhecimento da marca e nível de preço na intenção de compra: um experimento com perfumes de luxo. REMark, 13(3), 108-122.

Gil, A. C. (1991). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Girard, T. et al. (2017). Consumer-based brand equity of a private-label brand: measuring and examining determinants. Journal of Marketing Theory and Practice, 25(1), 39-56.

Hepola, J., Karjaluoto, H., & Hintikka, A. (2017). The effect of sensory brand experience and involvement on brand equity directly and indirectly through consumer brand engagement. Journal of Product & Brand Management, 26(3), 282-293.

Howard, J., & Sheth, J. (1969). The theory of buyer behavior. New York: John Wiley.

Kapferer, J.-N. (2003). As marcas: capital da empresa – criar e desenvolver marcas fortes. Porto Alegre: Bookman.

Keller, K. L. (1993). Conceptualizing, measuring and managing customer-based brand equity. Journal of Marketing, 57, 01-22.

Keller, K. L. (1998). Strategic brand management: building, measuring and managing brand equity. Upper Saddle River: Prentice Hall.

Keller, K. L., & Kotler, P. (2006). Administração de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Las Casas, A. L. (1992). Marketing de varejo. São Paulo: Atlas.

Lassar, W., Mittal, B., & Sharma, A. (1995). Measuring customer-based brand equity. Journal of Consumer Marketing, 12, 11-19.

Lopes, E., & Silva, D. (2012). Modelos integrativos do comportamento do consumidor: uma revisão teórica. Revista Brasileira de Marketing, 10(3), 03-23.

Malhotra, N. K. (2005). Introdução à pesquisa de marketing. São Paulo: Pearson Prentice.

Maroco, J., & Garcia-Marques, T. (2006). Qual é a fiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas? Laboratório de Psicologia, 4(1), 65-90.

Mattar, F. N. (2011). Administração de varejo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Samara, B. S., & Morsch, M. A. (2005). Comportamento do consumidor: conceitos e casos. São Paulo: Prentice Hall.

Peter, J., & Olson, J. (2001). Consumer behavior and marketing strategy – international edition. New York: McGraw-Hill.

Pinho, J. B. (1996). O poder das marcas. São Paulo: Summus.

Rambocas, M., Kirpalani, V. M., & Simms, E. (2018). Brand equity and customer behavioral intentions: a mediated moderated model. International Journal of Bank Marketing, 36(1), 19-40.

Saiani, E. (2004). Loja viva: revolução no pequeno varejo brasileiro. Rio de Janeiro: Senac.

Sampaio, C. H., Sanzi, G., Slongo, L. A., & Perin, M. G. (2009). Fatores visuais de design e sua influência nos valores de compra do consumidor. Revista de Administração de Empresas, 49(4), 373-386.

Tavares, M. C. (1998). A força da marca: como construir e manter marcas fortes. São Paulo: Harbra.

Yoo, B., & Donthu, N. (2001). Developing and validating a multidimensional consumer-based brand equity scale. Journal of Business Research, 52, 01-14.

Yoo, B., Donthu, N., & Lee, S. (2000). An examination of selected marketing mix elements and brand equity. Journal of the Academy of Marketing Science, 28, 195-211.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2019.v9i1.2720

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.