A Eficiência dos Gastos dos Programas de Segurança Alimentar: O Caso dos Restaurantes Comunitários do Distrito Federal

Hilda Maria Neto Gonçalves da Silva, Milena Osorio Pedelhes, Abimael de Jesus Barros Costa

Resumo


A alimentação é um direito assegurado constitucionalmente. Nesse contexto, associado à atenção que agencias multinacionais canalizam ao assunto, foram criados os Restaurantes Comunitários, meio pelo qual o Estado propõe fornecer alimentação saudável a população de baixa renda. No ano de 2017 a previsão da Lei Orçamentária Anual do Distrito Federal para a execução dessa política pública correspondia a R$ 39.150.000,00 (trinta e nove milhões cento e cinquenta mil reais). Tal informação associada à relevância que essa política possui diante da população e dos meios de comunicação motivaram a pesquisa. Diante disso, o objetivo desse estudo é verificar a eficiência dos gastos dos restaurantes comunitários do Distrito Federal, por meio do método de Análise Envoltória de Dados (DEA), nos anos de 2012 a 2016. Foram utilizados dados referentes a despesa empenhada, a despesa liquidada e a quantidade de habitantes por região administrativa. Os resultados indicaram que todos os restaurantes foram eficientes durante o período de análise. Sendo que o restaurante localizado na Estrutural se revelou o mais eficiente enquanto o do Itapoã, o menos eficiente. No entanto as regiões administrativas que apresentam maior número de famílias em situação de vulnerabilidade não possuem os restaurantes mais eficientes. Ressalta-se que esse resultado pode ser utilizado pelos gestores público como meio de aprimorar a formulação dessa política pública.


Palavras-chave


Gestão;Políticas Públicas

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Araújo, E. T., & Boullosa, R. (2009) Avaliação e Monitoramento de Projetos Sociais. Curitiba, PR: Ed. IESDE.

Benevides, C. D. V. (2011). Um Estado de bem-estar social no Brasil. Universidade Federal Fluminense. Departamento de Economia, Rio de Janeiro.

Bojanic, A. J., França, C. G. D., Marques, V. P. M. D. A., & Del Grossi, M. E. (2016). Superação da fome e da pobreza rural: iniciativas brasileiras.

Boullosa, R., & Tavares, E. (2009). Avaliação e monitoramento de projetos sociais. Curitiba: IESDE, Brasil SA.

Brasil, Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (2004). Manual Programa Restaurante Popular, Brasília.

Brasil, Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (2008). Segurança Alimentar e Nutricional: Trajetória e Relatos da Construção de uma Política Nacional, Brasília.

Briggs, A. (1961). The welfare state in historical perspective. European Journal of Sociology/Archives europeennes de sociologie, 2(2), 221-258.

Cohen, E., & Franco, R. (1993). Avaliação de projetos sociais. In Avaliaçäo de projetos sociais.

Costa, D. (1947). Experiencia Brasileira em restaurantes populares. Boletín de la Oficina Sanitaria Panamericana (OSP), 26(5), 415-21.

Cruz, K. G. (2012). Insegurança alimentar e estado nutricional nos restaurantes populares do Brasil: paradoxo e convergência?. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana)-Universidade de Brasília.

De Macedo, D. C., Teixeira, E. M. B., Jerônimo, M., Barbosa, O. A., & de Oliveira, M. R. M. (2009). A construção da política de segurança alimentar e nutricional no Brasil.

Decreto n. 37.355, de 20 de maio de 2016 (2016). Altera o inciso IV do art. 6º do Decreto nº 29.975, de 27 de janeiro de 2009, que regulamenta a Lei n° 4.208, de 25 de setembro de 2008 e dá outras providências. Recuperado em outubro de 2017 de http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/2bc168deae204c0c812d8b45e84c8f2d/Decreto_37355_20_05_2016.html

Dilley, M., & Boudreau, T. E. (2001). Coming to terms with vulnerability: a critique of the food security definition. Food policy, 26(3), 229-247.

Dispensa de Licitação Nº 004/2017 – Suag/Sedestmidh (2017). Recuperado em novembro de 2017 de http://www.sedest.df.gov.br/images/Ato%20Convocat%C3%B3rio%20-%20Pedido%20de%20Proposta%20-%20DL%20004-2017%20-%20RC%20Itapo%C3%A3%2025.10.pdf

Do Distrito Federal, G. (2015). Pesquisa distrital por amostra de domicílios (PDAD). SEPLAN/CODEPLAN. Recuperado em novembro de 2017 de http://www.codeplan.df.gov.br/images/CODEPLAN/PDF/pesquisa_socioeconomica/pdad/2016/Apresentacao_PDAD_Distrito_Federal_2015.pdf

Duarte de Araújo, M. A., & Pinheiro, H. D. (2010). Reforma gerencial do Estado e rebatimentos no sistema educacional: um exame do REUNI. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, 18(69).

Estellita Lins, M., de Castro Lobo, M. S., Moreira da Silva, A. C., Fiszman, R., & Ribeiro, V. J. D. P. (2007). O uso da Análise Envoltória de Dados (DEA) para avaliação de hospitais universitários brasileiros. Ciência & saúde coletiva, 12(4).

Fontoura, L. N. J. (2013). Planejamento urbano-ambiental: o uso e ocupação do solo no Distrito Federal. Revista On Libe IPOG. Goiânia/GO-5ª Edição, (005).

Freitas, I. D., Tancredi, M., Cavalcante Filho, J. T., & Meneguin, F. (2013). Avaliação de políticas públicas no Senado Federal: proposta de abordagem. Brasília: Senado Federal.

Gobato, R. C., Panigassi, G., & Villalba, J. P. (2010). Identificação do perfil de usuários de um Restaurante Popular do Município de Campinas. Segurança Alimentar e Nutricional, 17(2), 14-25.

Godoy, K. C., Sávio, K. E. O., de Cássia Akutsu, R., Gubert, M. B., & Botelho, R. B. A. (2014). Perfil e situação de insegurança alimentar dos usuários dos Restaurantes Populares no Brasil Socio-demographic and food insecurity characteristics of soup-kitchen users in Brazil Perfil y situación de seguridad alimentaria en. Cad. Saúde Pública, 30(6), 1239-1249.

Gomes, F. G. (2006). Conflito social e welfare state: Estado e desenvolvimento social no Brasil. Revista de Administração Pública, 40(2), 201-234.

Gonçalves, M. P., Campos, S. T. D., & Sarti, F. M. (2011). Políticas públicas de segurança alimentar no Brasil: uma análise do Programa de Restaurantes Populares. Revista Gestão & Políticas Públicas, 1(1).

Guerreiro, M. P. (2010). Análise dos gastos sociais brasileiros na perspectiva do estado de bem-estar social: 1988 a 2008. Dissertação de Mestrado. Pós-graduação em Economia da Universidade Federal Fluminense.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Censo Demográfico 2010. Recuperado em novembro 2017 de www. ibge. gov. br/home/estatistica/populacao/censo2010/

Kubijovyc, V. (Ed.). (1984). Encyclopedia of Ukraine: Volume I: AF Plus Map and Gazetteer. University of Toronto Press.

Lei n 4.208, de 25 de setembro de 2008 (2008). Institui o Programa Vida Melhor e dá outras providências. Recuperado em novembro de 2017 de http://www.sinj.df.gov.br/SINJ/Norma/58656/Lei_4208_25_09_2008.pdf

Luiz, Gabriel (2016). GDF volta a traz e reduz preço de refeições em restaurantes comunitários. Recuperado em novembro de 2018 de http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2016/05/gdf-volta-atras-e-reduz-preco-de-refeicao-em-restaurantes-comunitarios.html.

Machado, Í. E., Costa, K. A., Pereira, S. C. L., Abreu, M. N. S., Júnio, D., & Santiago, C. (2012). Estado nutricional e perfil socioeconômico e demográfico dos usuários de um restaurante popular. Rev. enferm. Cent. Oeste Min, 243-253.

Magalhães, R. (2014). Evaluation of public policies and initiatives in food and nutrition security: dilemmas and methodologies perspectives. Ciência & saúde coletiva, 19(5), 1339-1346.

Marinho, A. (2003). Avaliação da eficiência técnica nos serviços de saúde nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Revista brasileira de economia, 57(3), 515-534.

Meneguin, F. B., & Freitas, I. V. B. D. (2013). Aplicações em avaliação de políticas públicas: metodologia e estudos de caso. Brasília: Núcleo de Estudos e Pesquisas/CONLEG/Senado, mar/2013 (Texto para Discussão nº 123).

ONU (1948). Declaração Universal de Direitos Humanos. Recuperado em outubro de 2017 de http://www. onu-brasil. org. br/documentos_direitoshumanos. Php

Parisoto, D. F., Hautrive, T. P., & Cembranel, F. M. (2013). Redução do desperdício de alimentos em um restaurante popular. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, 7(2).

Pedro, M. M. R., & dos Santos Claro, J. A. C. (2010). Gestão de perdas em unidade de restaurante popular: um estudo de caso em São Vicente. Qualitas Revista Eletrônica, 9(1).

Peña, C. R. (2008). A model of evaluation of the efficiency of the public sector through the method data envelopment analysis (DEA). Revista de Administração Contemporânea, 12(1), 83-106.

Pimenta, C. C. (1998). A reforma gerencial do Estado brasileiro no contexto das grandes tendências mundiais. Revista de Administração pública, 32(5), 173-199.

Pinstrup-Andersen, P. (2009). Food security: definition and measurement. Food security, 1(1), 5-7.

Qureshi, M. E., Dixon, J., & Wood, M. (2015). Public policies for improving food and nutrition security at different scales. Food Security, 7(2), 393-403.

Rodrigues, T. J. (2013). Política social e desenvolvimento após a constituição brasileira de 1988. Monografia de Graduação, Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Ciências Econômicas 2013. Porto Alegre. Brasil

Santos, L. A. D. S., & Santos, L. S. D. (2007). Avaliação de políticas públicas de segurança alimentar e combate à fome no período 1995-2002: 4-Programa Nacional de Alimentação Escolar. Cadernos de Saúde Pública, 23, 2681-2693.

Santos, S. M. C. D., & Santos, L. M. P. (2007). Avaliação de políticas públicas de segurança alimentar e combate à fome no período de 1995-2002: 1-Abordagem metodológica. Cad Saúde Pública, 1029-1040.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras.

Sen, A., Motta, L. T., & Mendes, R. D. (2000). Desenvolvimento como liberdade (Vol. 11). São Paulo: Companhia das Letras.

Senra, L. F. A. D. C., Nanci, L. C., Mello, J. C. C. B. S., & Meza, L. A. (2007). Estudo sobre métodos de seleção de variáveis em DEA. Pesquisa Operacional, 27(2), 191-207.

Serrano, A. L. M., Prux, G. F., Wilbert, M. D., de Araujo Neto, L. M., & Peña, C. R. (2017). Eficiencia das Concessionarias Ferroviárias no Brasil: Uma Aplicação por meio da Análise Envoltória de Dados. Perspectivas Contemporâneas, 12(2), 55-72.

Silva, A. B. (2010). Perfil nutricional da clientela atendida nos Restaurantes Comunitários do Distrito Federal. 2010. Dissertação Mestrado. Programa de Pós-Graduação de nutrição Humana, Faculdade de Ciências da Saúde. Brasília. Brasil.

Soares Filho, S. (2011). Brasil, a Continuidade da Política do Pão e Circo ou é só Impressão? Revista de Estudos Jurídicos UNESP, 14(19).

Valente, F. L. S., Menezes, F., & Maluf, R. S. (1995). Contribuição ao Tema da Segurança Alimentar no Brasil. Agora/Redcapa.

Wilbert, M. D., & D’Abreu, E. C. C. F. (2013). Eficiência dos gastos públicos na educação: análise dos municípios do estado de alagoas. Advances in Scientific and Applied Accounting, 6(3), 348-372.

Wolffenbuttel, A. (2004). O que é? Índice de Gini. Revista Desafios do Desenvolvimento. IPEA.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2018.v8i2.2540

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.