A Importância da Consultoria Empresarial na Gestão Financeira das Micro e Pequenas Empresas

Wagner Eduardo Schuster, Marcos Paulo Albarello Friedrich

Resumo


No Brasil, 99% das organizações são classificadas como micro ou pequenas empresas e, deste total, 27% fecha suas portas antes de completar um ano por problemas financeiros (SEBRAE/SP, 2010). Este estudo tem como objetivo analisar a importância da consultoria empresarial na gestão financeira das micro e pequenas empresas. Para atingir-se este objetivo, realizou-se uma entrevista com 19 questões fechadas a 20 empresários dos setores da indústria, comércio e serviços da cidade de Passo Fundo, no norte do estado do Rio Grande do Sul. A análise dos dados coletados foi realizada através do software SPSS® versão 23 por meio da análise de frequência das respostas e tabelas de referências cruzadas. Os resultados encontrados demonstraram que entre as principais dificuldades apresentadas pelas empresas pesquisadas, 70,83% estão concentradas nas dificuldades relacionadas a gestão financeira. Além disso, pode-se verificar também que, 70% dos empresários entrevistados acreditam que a consultoria traz benefícios para a gestão financeira, porém apenas 35% destes buscaram este tipo de serviço, evidenciando que os gestores das micro e pequenas empresas acreditam na importância da consultoria, porém não apresentam comportamento proativo na busca por este serviço.


Palavras-chave


Micro e pequenas empresas; Gestão financeira; Consultoria empresarial

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Antonik, L. R. (2004). A administração financeira das pequenas e médias empresas. Revista FAE Business, (8), 35-38.

Braga, R., Nossa, V., & Marques, J. A. V. D. C. (2004). Uma proposta para a análise integrada da liquidez e rentabilidade das empresas. Revista Contabilidade & Finan-ças, 15(SPE), 51-64.

Carvalho, I.M.V., Oliveira, J.L.C.R., Leite, L.A.M.C., & Rohm, R.H.D. (2009). Consulto-ria em gestão de pessoas. Rio de Janeiro: FGV.

Crocco, L., & Guttman, E. (2005). Consultoria empresarial. (1. ed.). São Paulo: Sarai-va.

Drucker, P.F. (2001). O melhor de Peter Drucker: a administração. São Paulo: Nobel.

Edmiston, K. (2007). The Role of Small and Large Business in Economic Develop-ment. Economic Review- Federal Reserve Bank of Kansas City.

Ernst & Young. (2017). Estratégia de Gestão Financeira.

Fernandes Filho, O., Nascimento, J.P.B., Borges, G.F., Soares, K.G.R., Moraes, A.F.O., & Teixeira, E. (2010). Gestão Financeira em Micro Empresas Familiares: um Estudo na Indústria Moveleira de Santa Cruz de Minas-MG. VII SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

Gitman, L.J. (2010). Princípios de administração financeira. 12. Ed. São Paulo: Pearson.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2010). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Brasília.

Jacintho, P. R. B. (2004). Consultoria empresarial: procedimentos para aplicação em micro e pequenas empresas. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Kipping, M., & Clark, T. (2012). Researching Management Consulting: an introduc-tion to the handbook. The Oxford Handbook of Management Consulting. New York: Oxford University Press, pp. 1-26.

KPMG. (2016). KPMG’s financial management practice.

Laville, C., & Dionne, J. (1999). A construção do saber. Belo Horizonte: UFMG.

Mahamid, I. (2012). Factors affecting contractor’s business failure: contractors’ per-spective. Engineering, Constructionand Architectural Management. v. 19 n. 3, pp. 269-285.

Ministério do Trabalho e Emprego [MTE]. (2015). Relatório anual de informações so-ciais.

Monteiro, A.A.S.M. (2003). Fluxos de caixa e capital de giro: uma adaptação do mo-delo de Fleuriet. In: Seminário de Contabilidade e Controladoria, 2., 2003, São Pau-lo.

Monteiro, J. (2016). Consultoria empresarial: um estudo de caso sobre as prestado-ras de serviço em consultoria empresarial do município de Criciúma/SC. Monografia (Ciências Contábeis). Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma.

Monteiro, J.M., & Barbosa, J.D. (2011). Controladoria empresarial: Gestão econômica para as micro e pequenas empresas. Revista da Micro e Pequena Empresa – FAC-CAMP. São Paulo, 5(2), 38-59.

Morelix, A., Tareque, I., Fairlie, R.W., Russell, J., & Reedy, E.J. (2016). The Kauffman Index 2016: Main Street Entrepreneurship Metropolitan Area and City Trends.

Neto, A. A. (2003). Finanças corporativas e valor. Atlas.

Neves, J.A.D., & Pessoa, R.W.A.P. (2006). Causas da mortalidade de micro e pe-quenas empresas: o caso das lojas de um Shopping Center. Revista Organizações em Contexto, 4, 165-195.

Oliveira, L.N.Q., Fonseca, P.S., & Bonadiman, T.K.P. (2014). Consultoria empresari-al: O diferencial nas empresas modernas.

Oliveira, W.L., Costa, A.C., Romão, L.M., & Oliveira, H.C. (2016). Mortalidade de Mi-cro e Pequenas Empresas: O que Fazer pela Sustentabilidade do Empreendedo-rismo? Revista Livre de Sustentabilidade e Empreendedorismo, 1(3), 129-150.

Padoveze, C.L., & Benedicto, G.C.(2007). Análise das demonstrações financeiras. 2. ed. São Paulo: Thompson Learning.

PricewaterhouseCoopers [PwC]. (2017). Consultoria em Finanças.

Ralio, V.R.Z. (2015). O SEBRAE e a Consultoria para Pequena Empresa no Brasil: processos históricos e arranjos organizacionais nas últimas décadas. (Tese de Dou-torado em Engenharia de Produção). São Carlos: UFSCar.

Santana, J. (1993). Como entender o mundo dos negócios. Brasília: SEBRAE.

Santos, L.M.D., Ferreira, M.A.M., & Faria, E.R. (2009). Gestão financeira de curto prazo: características, instrumentos e práticas adotadas por micro e pequenas em-presas. Revista de Administração da UNIMEP, 7(3).

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas [SEBRAE]. (1997). A força da pequena empresa no Brasil. Brasília, ano III, n. 13.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas [SEBRAE]. (2011). Anu-ário do trabalho na micro e pequena empresa: 2010-2011. 4. ed. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Org.), & Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos [DIEESE]. Brasília.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas [SEBRAE]. (2014). Fato-res condicionantes e taxa de mortalidade de empresas no Brasil. Relatório de Pes-quisa, Brasília. Recuperado em 07 abril, 2016, de http://www.sebrae.com.br

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em São Paulo [SE-BRAE/SP]. (2010). Doze anos de monitoramento da sobrevivência e mortalidade de empresas. Coleção Estudos e Pesquisas. Série Ambiente dos Pequenos Negócios. São Paulo/SP.

Small Business Administration [SBA]. (2013). History of the U.S. Small Business Administration.

Sousa, A.S., Silva, C.A., Lima, R.M, & Carneiro, W. (2015). Gestão financeira em empresa familiar de pequeno porte do ramo de roupas em Embu das Artes. Revista de Administração FW, 13(23), 21-35.

The Association of Chartered Certified Accountants [ACCA]. (2010). Small business: a global agenda.

Trewin, D. (2001). Small Business in Australia.

United States International Trade Commission [USITC] (2010). Small and medium sized enterprises: Overview of Participation in US Exports.

Vergara, S.C. (2009). Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. (3. ed.). São Paulo: Atlas.

Weimberg, G. M. (1990). Consultoria: O segredo do sucesso. São Paulo: McGraw-Hill.




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2017.v7i2.1950

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.