Competências Organizacionais no Contexto dos Relacionamentos Interorganizacionais

André Luís Sena Nascimento, Ananda Armani, Jane Lúcia Santos, Peter Bent Hansen

Resumo


As competências organizacionais exercem papel importante para o estabelecimento e desenvolvimento da estratégia corporativa. É por meio delas que os recursos e as capacidades são utilizados com vistas a aumentar a competitividade entre as organizações. As competências ainda podem ser adquiridas, aperfeiçoadas e customizadas por meio das relações interorganizacionais, onde verifica-se a colaboração, a coopetição e o compartilhamento de recursos. Portanto, a troca de conhecimento entre as organizações possibilita o aumento da vantagem competitiva. Desta forma, entende-se que a análise das competências no contexto das relações entre organizações implica no estabelecimento de uma nova maneira de desenvolver e manter a competitividade. Tendo em vista o contexto apresentado, o corrente trabalho analisa a relação das competências organizacionais no contexto interorganizacional. Para alcançar esse objetivo foi desenvolvida uma revisão de literatura a partir da utilização de técnicas e método bibliométricos, o que permitiu visualizar a trajetória da produção científica sobre as competências organizacionais no contexto desses relacionamentos. O trabalho foi desenvolvido em duas etapas: busca sistemática da literatura, por meio da escolha de palavras chave e critérios para seleção de publicações e análise sistemática da literatura, a qual foi composta por análise dos resultados obtidos na primeira fase, bem como a análise de 22 artigos selecionados. Como resultados, foram encontrados 79 artigos que tratam da temática, os quais estão publicados em 57 periódicos e foram escritos por 194 autores vinculados a 129 instituições localizadas em 24 países diferentes. Os periódicos International Journal of Technology Management, Technological Forecasting and Social Change, Technovation e Strategic Management Journal são os que mais publicam sobre a temática, e também os que geram mais impacto na área. Nos artigos analisados foi possível encontrar certa proximidade, nem sempre claramente estudada e discutida explicitamente, entre os temas competências organizacionais e relações interorganizacionais. Por meio da leitura dos trabalhos selecionados, ratificou-se a importância das redes de colaboração para as organizações participantes, assim como a relevância das competências organizacionais para o sucesso de tais relações.

Palavras-chave


relações interorganizacionais. competências organizacionais. vantagem competitiva

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Amin, A., & Cohendet, P. (1999, February). Learning and adaptation in decentralised business networks. Environment and Planning D – Society & Space (vol. 17, n. 1, pp. 87-104).

Araújo, C. A. (2006, January/June). Bibliometria: evolução história e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre (vol. 12, n. 1, pp. 11-32).

Bengtsson, M., & Eriksson, J. (2002). Stickiness and leakiness in inter-organizational innovation projects. In: K. Sahlin-Andersson, & A. Söderholm (Ed.). New Perspectives on the Temporary-PermanentDilemma. Regenerated Projects: Beyond Project Management (pp. 81-107). Malmö: Liber.

Boy, D. E, & Spekman, R. E. (2008). The market value impact of indirect ties within technology alliances. Journal of the Academy of Marketing Science (vol. 36, n. 4, pp. 488-500).

Crossan, M. M., & Apaydin, M. (2010). A multi-dimensional framework of organizational innovation: a systematic review of the literature. Journal of Management Studies (vol. 47, n. 6).

De Oliveira et al. (2016). A bibliometric analysis of international literature on collaboration in supply chain. BASE -Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, São Leopoldo (vol. 13, n. 1, pp. 32-52).

Faccin, K., & Brand, F.C. (2015, January/April). Inovação Aberta e Redes: Enfoques, Tendências e Desafios. Revista de Administração IMED 5.1 (pp.10-35).

Foster-Fishman P. G., Berkowitz S. L., Lounsbury, D. W., Jacobson S., & Allen N. A. (2001, April). Building collaborative capacity in community coalitions: A review and integrative framework. American Journal of Community Psychology (vol. 29, n. 2, pp. 241-261).

Gulati, R., & Gargiulo, M. (1999). Where do Interorganizational Networks Come From? American Journal of Sociology (vol. 104, n. 5, pp. 1439-1493).

Hacklin, F., Inganas, M., Marx, C., & Pluss, A. (2009). Core rigidities in the innovation process: A structure benchmark on knowledge management challenges. International Journal of Technology Management (vol. 45, n. 3-4, pp. 244-266).

Hamel, G. (1989). Strategic Intent. Harvard Business Review (vol. 67, n. 3, pp. 63-78).

Hardy, C., Phillips, N., & Lawrence, T.B. (2003). Resources, Knowledge and Influence: The Organizational Effects of Inteorganizational Collaboration. Journal of Management Studies (vol. 40, n. 2, pp. 321-347).

Homburg, C., Furst, A., & Kuehnl, C. (2012). Ensuring international competitiveness: A configurative approach to foreign marketing subsidiaries. Journal of the Academy of Marketing Science (vol. 40, n. 2, pp. 290-312).

Hsu C. W., Chen, H. M., & Jen, L. C. (2008). Resource linkages and capability development. Industrial Marketing Management (vol. 37, n. 6, pp. 677-685).

Kehler, N. (2006, January/April). Interorganizational Relationships and Learning. Disponível em: Acesso em: Kobashi, N. Y.; Santos, R. N. M. Institucionalização da pesquisa científica no Brasil: Cartografia temática e de redes sociais por meio de técnicas bibliométricas. TransInformação, Campinas-SP (vol. 18, n. 1, pp. 27-36).

Kurtz, D. J., Santos, J.L.S., & Steil, A. (2013). Capacidade de absorção do conhecimento e capacidades dinâmicas no contexto de ambientes turbulentos. In: Anais do IV EnADI – Encontro de Administração da Informação da ANPAD. Bento Gonçalves – RS.

Larsson, R., Bengtsson, L., Henriksson, K., & Sparks, J. (1988, May/June). The interorganizational learning dilemma: Collective knowledge development in strategic alliances. Organizational Science (vol. 9, n. 3, pp. 285-305).

Lee, J. N., Miranda, S. M., & Kim, Y. M. (2004, June). IT Outsourcing strategies: Universalist, contingency, and configurational explanations of success. Information Systems Research (vol. 15, n. 2, pp. 110-131).

Lei D., & Slocum, J. W. (1992). Global strategy, competence-building and strategic alliances. California Management Review (vol. 35, n. 1, pp. 81-97).

Li, F., & Williams, H. (1999). New Collaboration between Firms: The Role of Interorganizational Systems. Department of Management Science. Glasgow. In: 32nd Hawaii International Conference on System Sciences. Hawaii (pp. 1-10).

Lin, C. Y. (2014). The evolution of Taipei’s music industry: Cluster and network dynamics in the innovation practices of the music industry. Urban Studies (vol. 51, n. 2, pp. 335-354).

Lorenzoni, G., & Lipparini, A. (1999, April). The leveraging of interfirm relationships as a distinctive organizational capability: A longitudinal study. Strategic Management Journal (vol. 20, n. 4, pp. 317-338).

Ozatagan, G. (2011). Shifts in value chain governance and upgrading in the European periphery of automotive production: Evidence from Bursa, Turkey. Environment and Planning A (vol. 43, n. 4, pp. 885-903).

Prevot, F. (2008). The management of competences in the context of interorganizational relations. Business Strategy. In MARTENS, R.; HEENE, A.; SANCHEZ, R. Competence Building and Leveraging in Interorganizational Relations (vol.11, pp. 7-25).

Santos, J. L. S., Kalsing, M., & Hansen, P. B. (2014, Outubro). Redes de cooperação interorganizacional: Uma análise sistemática da produção científica na Web of Science de 1981 – 2013. Anais do XVII Seminários em Administração – SEMEAD. FEA-USP, São Paulo – SP.

Schoenmakers, W., & Duysters, G. (2006, May). Learning in strategic technology alliances. Technology Analysis & Strategic Management (vol. 18, n. 2, pp. 245-264).

Scott, J. E. (2000). Facilitating interorganizational learning with information technology. Management Information Systems (vol. 17, n. 2, pp. 81-113).

Sluytis, K., et al. (2010). Building capabilities to manage strategic alliances for Competitive Pager. In: The 26th IMP Conference, Budapest (pp. 1-24).

Tidd, J. (1995, September). Development of novel products through intraorganizational and interorganizational networks – the case of home automation. Journal of Product Innovation Management (vol. 12, n. 4, pp. 307-322).

Tiwana, A., & Keil, M. (2007, June). Does peripheral knowledge complement control? An empirical test in technology outsourcing alliances. Strategic Management Journal (vol. 28, n. 6, pp. 623-634).

Vanderstraeten, J., & Matthyssens, P. (2012). Service-based differentiation strategies for business incubators: Exploring external and internal alignment. Technovation (vol. 32, n. 12, pp. 656-670).

Vanhaverbeke, W., & Gilsing, V.; Duysters, G. (2012). Competence and governance in strategic collaboration: The differential effect of network structure on the creation of core and noncore technology. Journal of Product Innovation Management (vol. 29, n. 5, pp. 784-802).

Wang, I. M., Shieh, C. J., & Chen, K. H. (2011). Study of the human resource management outsourcing risks. Actual Problems of Economics (vol. 125, pp. 364-375).

Wegner, D., et al. (2011, December). Capital Social e a Construção da Confiança em Redes de Cooperação: Mudando Padrões de Relacionamentos na Pecuária de Corte. Revista de Administração IMED 1.1 (vol. 1, n. 1, pp.72-96).

Wei, S. (2012). Dynamic analysis of cluster-based technological innovation. Actual Problems of Economics (vol. 127, p. 352-357).

Yung, I. S., & Lai, M. H. (2012). Dynamic capabilities in new product development: The case of Asus in motherboard production. Total Quality Management & Business Excellence (vol. 23, n. 9-10, pp. 1125-1134).

Yung, I. S., Lee, H. W., & Lai, M. H. (2009). Competitive advantages created by a cluster collaboration network for supplier management in notebook PC production. Total Quality Management & Business Excellence (vol. 20, n. 7, pp. 763-775).




DOI: https://doi.org/10.18256/2237-7956.2017.v7i2.1719

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.