Uso da BM&F - Bolsa de Mercadorias e Futuros - por Produtores, Cerealistas e Cooperativas

William Zanella, Cristiane Dienstmann, Manuela Rösing Agostini, Sabrina Frâncio

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar a adesão aos contratos futuros da BM&F, por parte dos produtores rurais, cerealistas e cooperativas rurais do Corede Nordeste - RS. Dentre as ferramentas disponíveis para proteção de preço no momento da comercialização de soja, os públicos estudados neste trabalho tem como opção os contratos futuros de derivativos junto a BM&F. Através de pesquisa exploratória, com entrevistas em profundidade, realizadas por contato telefônico, foram explorados itens como: a adesão ou não aos contratos futuros da BM&F, a aversão ou propensão ao risco, e quais as ferramentas que estes públicos utilizam para proteção do preço do soja. Dentre as conclusões, percebe-se que há três posicionamentos, específicos para cada público, sendo: os produtores rurais ainda não possuem grande conhecimento quanto a BM&F; as cooperativas rurais dividem-se nas percepções, e existem tanto aquelas atuantes com contratos junto a BM&F, quanto aquelas que apenas realizam contratos futuros com empresas regionais, ou troca de insumos por grãos com os produtores; já por parte dos cerealistas, verifica-se maior propensão ao uso da ferramenta estudada.


Texto completo:

PDF Abstract


DOI: http://dx.doi.org/10.18256/2237-7956/raimed.v2n1p64-79

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






Revista de Administração IMED (RAIMED)               ISSN: 2237-7956                Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA/IMED)

Faculdade Meridional – IMED – www.imed.edu.br – Rua Senador Pinheiro, 304 – Bairro Rodrigues – 99070-220 – Passo Fundo – RS – Brasil Tel.: +55 54 3045 6100

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.